F1: Brown acredita que limite orçamentário deve ser 'policiado' assim como regras técnicas

CEO da McLaren acredita que categoria deve tratar qualquer potencial violação do teto orçamentário da mesma maneira de quebras nas regras técnicas"

Zak Brown, CEO, McLaren Racing, arrives at the track

A FIA está concluindo sua auditoria da apresentação financeira de cada equipe da Fórmula 1 referente à temporada de 2021, julgando se cada time cumpriu o limite de 145 milhões de dólares do ano passado.

Leia também:

Surgiram especulações durante o fim de semana do GP Singapura de que duas equipes - Red Bull e Aston Martin - podem ter violado o limite, embora ambas as equipes negassem ferozmente as alegações. A FIA deveria emitir os certificados de conformidade para as equipes que cumpriram o teto orçamentário na quarta-feira, mas veio a público apenas para anunciar que havia adiado o pronunciamento até segunda-feira após o GP do Japão.

Falando em Bathurst nesta sexta-feira, o CEO da McLaren, Zak Brown, disse não ter certeza de por que a FIA adiou a emissão dos certificados, mas enfatizou a necessidade de quaisquer possíveis violações serem tratadas da mesma maneira que qualquer outra quebra de regra.

“Eu não sei mais do que ninguém”, disse Brown. “Os certificados deveriam ser distribuídos na quarta-feira e agora foram adiados para segunda-feira, o que significa que por algum motivo não estão prontos. Você pode, com base na especulação, assumir que uma ou duas equipes não cumpriram. Não sei que seja esse o caso."

“Os limites de custos são extremamente importantes e precisamos garantir que sejam aplicados, se alguém violou isso, as penalidades apropriadas, não apenas financeiras, mas esportivas e técnicas. Se você violar as regras tecnicamente [ou] no esporte, você recebe penalidades e as finanças devem ser o mesmo."

“Porque se alguém gastou demais, isso lhe dá uma vantagem injusta e precisa ser tratada de acordo com firmeza e rapidez.”

De acordo com os regulamentos financeiros da FIA, qualquer equipe que ultrapasse o limite orçamentário em menos de 5% - cerca de sete milhões de dólares em 2021 - seria considerada uma violação menor, com sanções que variam de uma repreensão a deduções de pontos.

Mas uma violação além da marca de 5% é considerada uma violação material, que pode ser penalizada com exclusão do campeonato, deduções de pontos, redução de custos ou limitações de testes. A Red Bull disse estar "absolutamente confiante" de que permaneceu dentro do limite orçamentário e disse que está considerando uma ação sobre as alegações "difamatórias" no fim de semana de Singapura.

Ferrari e Mercedes foram claros na necessidade de que qualquer possível gasto excessivo seja tratado com severidade. A Ferrari afirmou que mesmo uma pequena violação poderia valer meio segundo por volta no desempenho do ano passado.

Na quinta-feira, em Suzuka, o piloto da Mercedes Lewis Hamilton disse que suas esperanças de conquistar o título em 2021 foram prejudicadas pelas limitações do teto orçamentário, tendo perdido por pouco para o piloto da Red Bull Max Verstappen na última corrida da temporada em Abu Dhabi.

 

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior VÍDEO: Schumacher aquaplana na pista e detona carro após TL1 em Suzuka; veja
Próximo artigo F1: Resultado do treino livre 1 (TL1) do GP do Japão, com Alonso na ponta

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil