F1: Entenda por que Red Bull trocou motor em Sochi e Mercedes não

Equipe alemã fez modificações no começo da temporada, enquanto escuderia de Milton Keynes sofreu com danos na Grã-Bretanha e Hungria

F1: Entenda por que Red Bull trocou motor em Sochi e Mercedes não

O conselheiro da Red Bull Helmut Marko explicou porque foi tomada a decisão de dar a Max Verstappen uma nova unidade de força no GP da Rússia de Fórmula 1. O holandês mudou todos os elementos da sua unidade de potência da Honda entre TL1 e TL2 em Sochi, e por isso começará a corrida de domingo do fundo do grid.

Todas as equipes estão sob pressão para dar aos seus pilotos um quarto componente, pois fica cada vez mais claro que será difícil chegar ao final da temporada sem mudanças agora que o calendário completo foi confirmado. Aumentar a quilometragem arrisca problemas de confiabilidade, enquanto o desempenho também diminui.

Leia também:

Verstappen estava em uma posição ainda mais difícil do que a maioria depois que uma de suas unidades sofreu danos na batida na primeira volta do GP da Grã-Bretanha, então sua equipe sabia que uma mudança era inevitável.

Ele veio para a Rússia com uma penalidade de três posições no grid após o incidente com Lewis Hamilton em Monza. Com a Mercedes tradicionalmente em boa forma em Sochi, a decisão foi tomada neste fim de semana.

Marko também revelou que a escuderia tem a opção de mudar apenas dois elementos - que se acredita ser o V6 e o ​​turbo - o que teria resultado em uma pena de apenas dez posições. No entanto, foi decidido mudar tudo, um movimento que automaticamente manda um piloto para o fundo do grid.

"Já que a Mercedes é tão forte aqui, digamos que terminaremos em terceiro na qualificação", disse Marko ao Motorsport.com. "Mais três é seis, então 16, porque poderíamos ter recebido somente dez lugares de penalidade, tínhamos essa escolha."

"No entanto, entre 16 e 20 não faz diferença. Por isso escolhemos levar tudo. É a segurança e você pode forçar nas próximas corridas e não precisa se preocupar", acrescentou.

Questionado sobre o que Verstappen pode alcançar na corrida de domingo, ele disse: "A qualificação não importa para nós. Portanto, vamos nos concentrar no decorrer da prova. Dependerá de como ela estará se desenrolando, haverá um safety car ou não?"

"Por outro lado, ninguém pensou que você poderia ultrapassar em Zandvoort, e [Sergio] Pérez subiu para o oitavo lugar com uma parada extra. Eu acho que muitas coisas são possíveis."

Lewis Hamilton, Mercedes W12

Lewis Hamilton, Mercedes W12

Photo by: Charles Coates / Motorsport Images

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, disse que sua equipe não tem planos imediatos de equipar Hamilton com uma quarta unidade de força. O companheiro de equipe do britânico, Valtteri Bottas, ganhou um novo motor em Monza e, mesmo vencendo a corrida sprint, começou o GP do fundo do grid.

O austríaco insistiu que a equipe alemã quer aproveitar sua forte forma em Sochi e conquistar o máximo de pontos para o heptacampeão, que foi o segundo mais rápido no TL2 de sexta-feira.

"Acho que temos uma boa oportunidade aqui", disse Wolff ao Motorsport.com. "Se tudo correr como o planejado, começaremos na frente e espero poder terminar com bons pontos."

"No momento, estamos apenas olhando para o desenvolvimento da unidade de potência em termos de sinais de problemas de confiabilidade, que ainda não estão lá. Portanto, analisamos isso a cada fim de semana."

Ao contrário de Verstappen e Bottas, Hamilton não sofreu danos no motor em um acidente, então tem maior margem de segurança. No entanto, Wolff reconheceu que será complicado acertar o momento de qualquer penalidade.

"Pode haver um GP que está totalmente perdido ou envolvido em um acidente e estaria começando na parte de trás de qualquer maneira. Então, acho que implementar uma nova unidade de força prematuramente não é algo que gostaríamos de fazer."

O mais recente pacote da Honda inclui um novo armazenamento de energia, do qual Verstappen já utilizou sem penalidades em Spa. A Ferrari também tem um motor atualizado em Sochi, que foi dado a Leclerc. Assim como o holandês, o monegasco estará na fundo do grid.

Wolff comentou que a Mercedes fez suas modificações permitidas no início da temporada e, portanto, não haverá ganho de desempenho para Hamilton, além do associado à quilometragem.

"A verdade é que não sabemos dos outros", comentou. "Para nós, é importante escolher o momento certo para upgrades, e fizemos no início do ano. Estamos felizes com a forma que trabalhamos nisso, você pode ver que todo mundo está sofrendo de algum tipo de problema de confiabilidade ou atrasando os desenvolvimentos."

F1 2021: Mercedes BEM na Rússia, PUNIÇÃO para Verstappen, MEDO da chuva e as notícias de Sochi | SEXTA-LIVRE

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #133: O que poderia ser melhorado no documentário sobre Schumacher?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1 - Hamilton: Mercedes precisa capitalizar em cima da punição de Verstappen

Artigo anterior

F1 - Hamilton: Mercedes precisa capitalizar em cima da punição de Verstappen

Próximo artigo

F1: Gasly diz que quebra de asa dianteira "foi surpreendente"

F1: Gasly diz que quebra de asa dianteira "foi surpreendente"
Carregar comentários