F1 incentiva equipes a olharem para pilotos americanos

CEO da F1 acredita que este tipo de esforço pode render frutos no futuro, com a categoria buscando aumentar sua presença nos EUA

F1 incentiva equipes a olharem para pilotos americanos

A Liberty Media há muito tenta expandir a Fórmula 1 nos EUA e finalmente alcançou seu primeiro objetivo quando confirmou que o primeiro GP de Miami será realizado em 2022. Stefano Domenicali, CEO da categoria, acredita que um piloto americano é um alvo importante para a categoria, mas não acredita que isso ira acontecer em menos de dois anos.

A F1 não tem um piloto americano no grid desde que o vencedor das 500 Milhas de Indianápolis, Alexander Rossi, competiu pela última vez pela equipe Manor Marussia em 2015.

Leia também:

“Em relação a Miami,ter pilotos americanos no grid, é importante”, disse Domenicali. “A resposta para mim é muito clara, é sim. Estamos trabalhando com equipes, tentando entender qual é realmente a possibilidade de os pilotos americanos chamarem a atenção das equipes de F1 a curto prazo.”

“Sendo muito pragmático e realista, não vejo isso acontecendo nos próximos dois ou três anos. Mas talvez depois, sim. Sei que há times acompanhando outros bons pilotos, que se estiverem prontos, será um grande incentivo para o torcedor americano.”

“Porque como conhecemos pilotos, colocam entusiasmo, paixão, as pessoas querem ver esses caras. E, portanto, a esperança que temos é que muito, muito em breve teremos pilotos americanos competindo contra todos os outros na F1. ”

Alexander Rossi, Manor Marussia MR03

Alexander Rossi, Manor Marussia MR03

Photo by: Alastair Staley / Motorsport Images

Domenicali ressaltou que Miami será uma grande injeção de ânimo para o esporte nos EUA e revelou que, como parte de um impulso de relações públicas, o GP de Mônaco será exibido em telões no Hard Rock Stadium para fãs interessados.

“A boa notícia é que estamos falando de mais uma corrida nos Estados Unidos, em Miami, com uma cultura diferente, com uma filosofia diferente, com a forma diferente que vamos estruturar o show em torno dela”, disse.

“E a notícia incrível é que, em apenas algumas semanas após o nosso anúncio, a atenção em relação a este evento é realmente enorme e a expectativa de atingir o nível que desejamos.”

“É por isso que estamos construindo uma boa série de comunicações com os fãs americanos, porque queremos maximizar tudo a partir disso.”

“Posso antecipar, por exemplo, algo que será fantástico. Vamos dividir com o estádio do Miami Gardens e com os Miami Dolphins a corrida de Mônaco, porque eles querem começar a viver o clima.”

“E isso nos fornecerá a plataforma certa para estarmos prontos para garantir que o valor que vamos gerar nos EUA seja ainda maior.”

“E esse é realmente o pensamento estratégico fundamental por trás do fato de que teremos duas corridas nos Estados Unidos.”

F1 2021: MERCEDES identifica PONTO FRACO da RED BULL; saiba qual

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: A F1 deveria acabar com os limites de pista?

 

compartilhar
comentários
F1: McLaren tem "objetivo claro" de melhorar performance em classificações
Artigo anterior

F1: McLaren tem "objetivo claro" de melhorar performance em classificações

Próximo artigo

F1: Alonso diz que seu 100% ainda não é suficiente para bater um “impressionante” Ocon

F1: Alonso diz que seu 100% ainda não é suficiente para bater um “impressionante” Ocon
Carregar comentários