Fórmula 1 GP da Áustria

F1: Mercedes garante que atraso na renovação de Hamilton não está ligado ao dinheiro

Toto Wolff garante que entrave está acontecendo por conta de 'detalhes'

Lewis Hamilton, Mercedes-AMG

Em meio a diversos rumores sobre a permanência de Lewis Hamilton na Mercedes e na Fórmula 1, a equipe garante que o atraso na resolução da renovação do heptacampeão não tem nada a ver com dinheiro.

Leia também:

O fabricante alemão está em negociações com Hamilton há semanas, já que eles procuram estender sua parceria para além do final desta temporada. Recentemente, tanto Mercedes quanto o britânico expressaram algum otimismo de que um acordo poderia cruzar a linha em breve com várias reuniões para discutir o assunto.

No entanto, ainda nada foi assinado e o chefe da Mercedes, Toto Wolff, disse no GP da Áustria que não haveria mais desenvolvimentos antes do GP da Inglaterra.

Os atrasos alimentaram especulações de que poderia haver obstáculos importantes no acordo, e até mesmo de que existe a possibilidade de as negociações fracassarem e ambas as partes seguirem caminhos separados. Mas Wolff minimizou essas sugestões e diz que o contrato está demorando tanto porque há o desejo de acertar alguns detalhes finais.

“Queremos fazer o melhor, em todos os detalhes, e às vezes você pode ter uma situação em que tudo é esculpido”, explicou ele. “Mas esta não é uma discussão sobre dinheiro. É sobre o futuro, é: o que queremos fazer certo e otimizar. Não estamos mais falando de duração, dinheiro, tudo isso. São apenas outros tópicos.”

A incerteza sobre o futuro de Hamilton na Mercedes veio contra o pano de fundo do piloto e da equipe que não concordaram o tempo todo durante o GP da Áustria. Hamilton expressou sua consternação com os limites da pista e o desempenho de seu Mercedes W14 durante a corrida, que atingiu um nível em que o próprio Wolff teve que intervir e dizer a Hamilton para “pilotar o carro”.

Enquanto alguns interpretaram a mensagem de Wolff como um sinal de tensão, ele descartou tal noção.

“Você deveria nos ouvir falando ao telefone e nos encontrando”, disse ele. "Isso não é nada! Acho que tivemos um fim de semana ruim, todos nós da equipe, e isso só nos fortalece.”

Wolff disse que sentiu que deveria se envolver no assunto porque a Mercedes já estava lutando por um fim de semana difícil e não precisava desperdiçar nenhuma oportunidade na corrida.

“Discutimos muito sobre os limites da pista e se eles foram aplicados ou não”, disse ele sobre o tráfego de rádio de Hamilton. “Eu senti que queria apenas ter certeza de que estávamos tirando o melhor proveito de um pacote que não funcionava e apenas dar o melhor de nós.”

Quem desbancaria Verstappen na Red Bull?

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast: Leclerc na Aston? Volta de Ricciardo? Sainz na Audi? O que vem por aí para 2024?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1 – Wolff: Horner está assustado por causa de preocupações com motor da Red Bull
Próximo artigo ANÁLISE F1: As principais estatísticas por trás do fiasco dos limites de pista no GP da Áustria

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil