Fórmula 1
04 set
Próximo evento em
21 dias
R
GP da Toscana
11 set
Próximo evento em
28 dias
R
GP de Singapura
17 set
Canceled
R
GP da Rússia
25 set
Próximo evento em
42 dias
R
GP do Japão
08 out
Canceled
R
GP dos Estados Unidos
23 out
Canceled
R
GP do México
30 out
Canceled
R
GP do Brasil
13 nov
Canceled
R
GP de Abu Dhabi
27 nov
Próximo evento em
105 dias

F1 não deve ter novo fabricante até 2026, diz Brawn

compartilhar
comentários
F1 não deve ter novo fabricante até 2026, diz Brawn
Por:
7 de jun de 2020 12:21

Diretor esportivo da F1 admitiu que nenhum novo fabricante de unidades de potência entrará no esporte até que as regras mudem em 2026 e enfatiza que as opções para qual formato será escolhido ainda estão abertas

Com a Audi rejeitando há muito tempo um programa de F1, nenhum potencial novo fabricante está esperando nos bastidores, o diretor esportivo da F1, Ross Brawn, admite que a situação não mudará sob os regulamentos atuais, que estão garantidos até 2025.

A esperança é que uma redefinição com novas especificações incentive outros fornecedores a começarem a planejar a se juntar à Ferrari, Mercedes, Renault e Honda a longo prazo.

Leia também:

"Não é tão longe assim quando você pensa que precisa fazer um novo motor", disse Brawn ao Motorsport.com. “Você terá que iniciar o projeto do seu motor em 18 meses.”

"Então, com a FIA e com os fabricantes, agora estamos olhando para o que será o próximo trem de força, e acho que é a oportunidade de envolver novos fabricantes, e precisamos encontrar uma especificação de projeto para fazer isso. Estamos analisando o que consideramos um trem de força relevante para esse período.”

"Ninguém vai investir no mecanismo atual, porque ele tem data para terminar e é um investimento muito substancial."

Embora não haja urgência para definir completamente os novos regulamentos, especialistas da F1 e da FIA já começaram a avaliar ideias.

"Curiosamente, estávamos discutindo sobre isso esta manhã", disse Brawn. “Pat Symonds, Nick Hayes, Gilles Simon, Fabrice Lom, Nikolas Tombazis, todos estamos trabalhando em como o trem de força deve parecer para o futuro.”

"Sabemos quais são os objetivos: relevância, economia e deve ser um bom motor de corrida. Sabemos o que queremos alcançar, mas ainda não definimos o que será.”

“Continuamos acreditando que existem abordagens alternativas para soluções para o futuro. Achamos que não há uma só solução.”

“Acreditamos que podemos ocupar um espaço muito relevante. Os combustíveis sustentáveis ​​são uma grande coisa para nós, porque qualquer que seja o motor que tenhamos, isso será a maior parte.”

"Com alguns de nossos parceiros, agora estamos trabalhando em uma estratégia para introduzir combustíveis sustentáveis ​​na F1. Portanto, esse será um grande elemento para o futuro. Mas, de momento, não tenho ideia de como o motor deve ser."

Perguntado se haveria uma revisão das regras atuais ou uma mudança mais radical, ele disse: “Acho que, no momento, sentimos que ela reterá tecnologias semelhantes às que temos agora.”

"Existem vários motores no horizonte, mas não achamos que eles estejam suficientemente estabelecidos para que em 18 meses você possa se comprometer com eles."

VÍDEO: Lucas di Grassi: bastidores de F1, rivalidade com Nelsinho, F-E e Le Mans

PODCAST: Entrevista com Rubens Barrichello: os bastidores da carreira do recordista de provas da F1

 

Toyota doa carro de último ano de F1 a leilão de caridade da FIA contra Covid-19

Artigo anterior

Toyota doa carro de último ano de F1 a leilão de caridade da FIA contra Covid-19

Próximo artigo

O dia em que Webber se deu conta que não seria campeão com a Red Bull

O dia em que Webber se deu conta que não seria campeão com a Red Bull
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Adam Cooper