F1: Veja os 10 piores carros que já ganharam uma corrida

Primeira vitória de Sebastian Vettel a ato de heroísmo de Jim Clark; reunimos as piores máquinas da categoria que já ganharam algum GP

F1: Veja os 10 piores carros que já ganharam uma corrida

O domínio absoluto dos carros da Mercedes nas últimas temporadas da Fórmula 1 tornou mais difícil apostar em outra equipe quando se trata em vitórias das corridas, mas houve um tempo em que não era tão simples e tínhamos mais vencedores 'aleatórios'.

Leia também:

Ao longo do tempo, os construtores produziram carros que provaram ser decepcionantes para batalhar pelo título, ou eram equipes que nunca se esperou que lutassem pela vitória, mas ainda assim conseguiram um triunfo surpreendente - seja por sorte ou circunstância.

Um exemplo disso é o GP do Brasil de 2003, vencido pelo italiano Giancarlo Fisichella. A corrida molhada repleta de acidentes foi tão caótica que o carro vencedor pegou fogo no parc fermé, e o piloto só recebeu o troféu semanas depois em Ímola!

Veja abaixo os 10 piores carros que já ganharam uma corrida na F1:

Kimi Raikkonen, Ferrari F60

Kimi Raikkonen, Ferrari F60

Photo by: Glenn Dunbar / Motorsport Images

10 - Ferrari F60, 2009

O carro da Ferrari para os novos regulamentos de 2009 era pobre. A equipe não só perdeu o truque do duplo difusor, utilizado de forma mais eficaz pela Brawn, o F60 também carecia de uma distribuição de peso ideal. Eles não concordaram com a legalidade do difusor duplo, o que fez com que não respondessem tão rapidamente quanto poderiam.

Como consequência, os pilotos Kimi Räikkönen e Felipe Massa demoraram quatro corridas para marcar pontos. Em Spa, já no final do ano, um safety car beneficiou a equipe de Maranello para ultrapassar um carro da Force India que não teve o impulso adicional do sistema de recuperação de energia.

Tom Pryce, Shadow DN8 Ford

Tom Pryce, Shadow DN8 Ford

Photo by: Sutton Images

9 - Shadow DN8 de 1977

Inicialmente projetado em 1976, o DN8 marcou pontos em cada uma de suas três temporadas na F1, mas nunca foi além.

Em um bom dia de 1977 Shadow conseguiu colocar um de seus carros entre os seis primeiros, normalmente guiado por Alan Jones. Em um dia ruim, e houveram muitos, não terminavam as corridas, acabando então em sétimo lugar no campeonato de construtores.

Teriam terminado em oitavo se não fosse por um dia memorável no GP da Áustria, Jones começou em 14°, mas a pista molhada no dia o proporcionou uma oportunidade e Jones fez progressos impressionantes nas primeiras 16 voltas da corrida, alcançando a segunda posição e terminando com a vitória. 

Race Winner Sebastian Vettel, Toro Rosso STR03 Ferrari

Race Winner Sebastian Vettel, Toro Rosso STR03 Ferrari

Photo by: Glenn Dunbar / Motorsport Images

8 - Toro Rosso STR3 de 2008

O STR era pura e simplesmente um Red Bull de 2008 com motor Ferrari ao invés de um Renault, mas foi muito além dessa diferença que fez a vitória de Sebastian Vettel no GP da Itália um dia notável.

Primeiramente a Toro Rosso moveu a distribuição de peso dos carros mais para a parte traseira do carro, o que melhorou a tração, o tempo chuvoso naquele fim de semana em Monza também desempenhou seu papel, permitindo que Vettel usasse a estabilidade dos carros na frenagem para assumir a pole e, em seguida, vencer a corrida confortavelmente.

Michele Alboreto, Tyrrell 011 Ford, Derek Warwick, Toleman TG183B Hart

Michele Alboreto, Tyrrell 011 Ford, Derek Warwick, Toleman TG183B Hart

Photo by: Motorsport Images

7 - Tyrrel O11B de 1983

O modelo não estava no ritmo de desenvolvimento de um carro razoavelmente competitivo, já que era a versão de 1982. Então, lutou para terminar entre os dez primeiros em 1983.

As pistas estreitas, que minimizam a vantagem de potência dos turbos e destacavam seus problemas, mostrou nas últimas etapas que os motores Cosworth ainda tinham uma chance.

Em Detroit, por exemplo, Michele Alberto se classificou em sexto e chegou à quarta colocação durante a prova, em seguida, passou à frente de Keke Rosberg quando o Williams fez um pit-stop lento, e pulou para a segunda posição após a Ferrari apresentar problemas no sistema de combustível. Alberto então partiu para pressionar sobre Nelson Piquet e assumiu a liderança no final da prova.

Além dessa vitória o melhor resultado em 1983 foi um quinto lugar. O carro foi substituído pelo 012 antes do final da temporada.

Gilles Villeneuve, Ferrari 126CK, leads Nigel Mansell, Lotus 87 Ford

Gilles Villeneuve, Ferrari 126CK, leads Nigel Mansell, Lotus 87 Ford

Photo by: Motorsport Images

6 - Ferrari 126 CK de 1981

A primeira Ferrari com turbocompressor, um carro com motor potente preso a um chassi que nem de longe era tão bom quanto a maioria de seus rivais.

De alguma forma, o carro ganhou duas corridas e, surpreendentemente, em duas das três pistas mais lentas da temporada. A primeira foi possível por causa de uma das grandes voltas de classificação da F1.

Gilles Villeneuve colocou a Ferrari na segundo posição no grid de Mônaco com Nelson Piquet na pole. A apenas quatro voltas para o final da prova, Villeneuve assumiu a primeira colocação após Piquet ficar preso no tráfego e apresentar problemas no sistema de combustível, vencendo então naquele ano em Mônaco.

Olivier Panis, Ligier JS43

Olivier Panis, Ligier JS43

Photo by: Sutton Images

5 - Ligier JS43 1996

Em média, o modelo era o sétimo carro mais rápido de 1996 e Olivier Panis se classificou em 14º em Mônaco, dois segundos atrás do pole Michael Schumacher.

O tempo chuvoso era uma atração e Panis estava inspirado. Algumas batidas ajudaram o piloto, inclusive a de Schumacher na primeira volta.

Após algumas ultrapassagens, Panis chegou na terceira posição, atrás da Williams de Damon Hill da Benetton de Jean Alesi. Damon Hill estava 48 segundos a frente quando seu motor explodiu, e - faltando 16 voltas para o final - a suspensão do carro de Alesi quebrou, fazendo que Oliver Panis registrasse sua única vitória no Mundial.

Jacques Laffite, Williams FW09 Honda

Jacques Laffite, Williams FW09 Honda

Photo by: Motorsport Images

4- Williams FW09 de 1984

FW09 foi o primeiro carro turbo da Williams e estavam tendo dificuldades para lidar com o motor Honda.

Keke Rosberg estava melhor preparado para o calor sufocante de Dallas do que seus rivais, pois tinha um suprimento de água resfriada em seu capacete para a nona etapa da temporada. Ele largou em sétimo e saltou para quarta posição, depois avançou rapidamente para segunda posição e, em seguida, ultrapassou Lotus de Nigel Mansell para assumir a liderança e registrar a vitória. 

Lotus 43 at Silverstone 70th Anniversary Parade

Lotus 43 at Silverstone 70th Anniversary Parade

Photo by: Simon Galloway / Motorsport Images

3- Lotus 43 de 1966

O chassi não era o grande problema do carro Lotus 43. O principal problema era o motor, que era muito pesado, não confiável e não tão potente quanto o esperado sob os novos regulamentos de unidade de força de 3 litros.

No entanto, se classificou em segundo lugar em Watkins Glen. Após alguns problemas, caiu para quarta posição, mas com os carros à frente também apresentando algumas falhas, acabou vencendo a corrida.

Maurice Trintignant, Ferrari 625

Maurice Trintignant, Ferrari 625

Photo by: Motorsport Images

2 - Ferrari 625 de 1955

A temporada de 1955 da F1 girou em torno do Mercedes-Benz W196 de Juan Manuel Fangio.

A Ferrari se classificou em nono a 3s3 da pole de Fangio. Após a equipe alemã apresentar raros problemas de transmissão e Alberto Ascari der seu famoso mergulho nas águas de Mônaco, Maurice Trintignant assumiu liderança da corrida, dando a vitória para a Ferrari.

Giancarlo Fisichella

Giancarlo Fisichella

Photo by: Jordan Grand Prix

1 - Jordan EJ13 de 2003

Esse é claramente o pior carro a vencer uma corrida na F1, tendo tido a sétima posição como seu melhor resultado até então.

O modelo apresentou problemas aerodinâmicos ainda no estágio de desenvolvimento, como se não bastasse, tiveram que substituir os motores Honda por Cosworth.

Em condições terríveis no Brasil, a equipe britânica chamou Giancarlo Fisichella para o pit stop mais cedo, o que fez com que pouco a pouco os pilotos fossem parando e o italiano ganhando posições.

Na volta 53, Fisichella estava em segundo lugar, atrás de Kimi Raikkonen, e um erro da McLaren permitiu que o piloto assumisse a liderança da corrida.  

Houve então uma batida forte entre Fernando Alonso e Mark Webber, que teve a prova interrompida como resultado, sendo acionada a bandeira vermelha.

Dessa forma, o resultado oficial foi obtido a partir das posições da última volta - 54 - onde Fisichella estava à frente.

Apesar da vitória, Jordan terminou o campeonato de construtores em nono lugar.

O design da equipe, Gary Anderson, falou que provavelmente esse seria de longe o pior carro a ganhar um GP.

AMEAÇADA pela Red Bull, Mercedes se vê MAL 'como em 2013' e crê em rival FAVORITA para F1 2021; veja

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST – Quais são os pilotos mais carismáticos da F1, mas sem grandes resultados?

 

compartilhar
comentários
F1: McLaren diz que ter dois pilotos rápidos é "chave" para ressurgimento da equipe

Artigo anterior

F1: McLaren diz que ter dois pilotos rápidos é "chave" para ressurgimento da equipe

Próximo artigo

F1: Aston Martin confirma Hulkenberg como piloto reserva e de desenvolvimento

F1: Aston Martin confirma Hulkenberg como piloto reserva e de desenvolvimento
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Ferrari , Team Lotus , Jordan
Autor Redação Motorsport.com