F1 - Verstappen critica Pirelli após pneu furado em Baku: "Já sabemos o resultado dessa conversa"

Sem papas na língua, holandês debocha de ‘possível’ justificativa por furo; fabricante culpa os detritos da pista

F1 - Verstappen critica Pirelli após pneu furado em Baku: "Já sabemos o resultado dessa conversa"

Com a vitória no colo, o fim de semana do GP do Azerbaijão de Fórmula 1 parecia perfeito para Max Verstappen. Após ultrapassagem em Lewis Hamilton, o holandês caminhava com tranquilidade para a vitória e, de quebra, ainda via a vantagem na liderança aumentar para o inglês. Porém, o piloto da Red Bull não contava com um problema no seu pneu traseiro esquerdo, que o levou a bater no muro da reta principal.

Verstappen foi o segundo piloto a sair da corrida por problemas com os pneus; o primeiro foi o canadense Lance Stroll, da Aston Martin. Após a corrida, o holandês conversou com os jornalistas e disse estar “irritado” com o que ocorreu, ainda insinuou já saber qual justificativa que a Pirelli daria sobre os estouros durante a corrida.

Leia também:

“Eu não tinha sentido nada até o momento em que, de repente, fui para a direita, o pneu estourou para fora do aro e não é um bom de se ter, é um lugar muito perigoso para ter um pneu estourado nessa velocidade’’, iniciou Verstappen.

“Com certeza [haverá conversas com a Pirelli], mas já sabemos o resultado dessa conversa e isso é um pouco difícil de aceitar".

“Vai ser relacionado aos detritos. É assim. Tenho certeza que haverá conversas, a Pirelli não está feliz com o que aconteceu aqui hoje, mas isso não muda nada para a corrida e para o resultado”, conclui o holandês.

Ironicamente, Verstappen acertou na justificativa. A fabricante italiana de pneus culpou os detritos da pista pelos cortes nos pneus do holandês e de Stroll durante o GP deste domingo. O chefe da Pirelli na Fórmula 1, Mario Isola, descartou que o motivo dos estouros tenha sido desgaste excessivo.

“Eu acredito que tenha sido os detritos, porque eles não tiveram nenhum aviso de que havia algo estranho no carro, na suspensão, no pneu, no freio, nada dava sinal de falha. E foi uma falha repentina’’, iniciou Isola.

“É quase impossível projetar um pneu capaz de resistir a qualquer tipo de entulho, se for um detrito mesmo. Caso não tenha sido um detrito, devemos considerar nossas ações".

"Considerando que o traseiro esquerdo é o pneu que passa pelo maior esforço, o corte que encontramos no pneu de Lewis e mais, são indicações que nos levam a essa direção".

“Porém, eu entendo perfeitamente os pilotos, que bateram nessa velocidade, estarem preocupados, isso é óbvio. Estou preocupado também. Não queremos excluir nada porque, como Max disse, esse tipo de coisas não podem acontecer".

F1 2021: GLÓRIA de PÉREZ, BATIDA de VERSTAPPEN e VACILO de HAMILTON; análise do CAOS em Baku | PÓDIO

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: TELEMETRIA: O quebra-cabeças na desafiadora Baku com Rico Penteado

 

compartilhar
comentários
F1: Gasly temia que problema no motor pudesse comprometer pódio em Baku

Artigo anterior

F1: Gasly temia que problema no motor pudesse comprometer pódio em Baku

Próximo artigo

F1 - Bottas critica carro da Mercedes no GP do Azerbaijão: "Não foi nada divertido"

F1 - Bottas critica carro da Mercedes no GP do Azerbaijão: "Não foi nada divertido"
Carregar comentários