F1: Apesar de críticas de fãs e pilotos, Wolff não vê motivos para mudança no formato de Drive to Survive

Mas, apesar do sucesso, série da Netflix é frequentemente criticada por fãs e pilotos

F1: Apesar de críticas de fãs e pilotos, Wolff não vê motivos para mudança no formato de Drive to Survive
Carregar reprodutor de áudio

Na última semana, a Fórmula 1 revelou que Drive to Survive, havia sido renovada por mais duas temporadas. E mesmo com as críticas que a produção vem recebendo de fãs e pilotos, o chefe da Mercedes, Toto Wolff, não vê necessidade de fazer mudanças ao formato da série da Netflix.

A série documental tem encontrado muito sucesso desde a sua estreia, em 2019. Após o lançamento da quarta temporada em março deste ano, Drive to Survive atingiu a primeira posição de séries mais vistas da Netflix em 33 países, e está a caminho de superar os números de audiência da safra anterior.

Leia também:

Mas a série não passa sem críticas, com a mais notável vinda do atual campeão, Max Verstappen, que se recusou a participar das gravações da temporada passada devido a preocupações sobre a manipulação de fatos para a criação de dramas falsos.

Falando após o anúncio da renovação, Wolff disse que, para ele, o formato "funciona muito bem", com o aumento contínuo nos números de audiência sendo prova de que não há necessidade de fazer grandes mudanças ao formato.

"Cada temporada tem sido mais forte que as anteriores", disse Wolff no fim de semana em Miami. "Acredito que agora as pessoas já conheçam o elenco, quem é quem, e seguem como um filme".

"E acho que, se o crescimento não fosse mais tão forte, a Netflix seria a primeira a falar com a F1 sobre mudar o formato. Mas, no momento, não precisamos disso".

Toto Wolff, Team Principal and CEO, Mercedes AMG talks to press

Toto Wolff, Team Principal and CEO, Mercedes AMG talks to press

Photo by: Carl Bingham / Motorsport Images

Cada temporada conta com 10 episódios e cobre diversas equipes, pilotos e batalhas ao longo do grid, mostrando as personalidades das pessoas que são 'a cara' da F1. Drive to Survive teve um sucesso particular nos EUA, tendo um papel importante no aumento de popularidade da categoria no país, que levou às provas de Miami e Las Vegas.

Wolff sente que, enquanto a autenticidade do produto deve ficar no centro de sua popularidade, meios como a Netflix são cruciais para ajudar no ganho geral, trazendo novos fãs.

"Isso criou uma nova dimensão para o esporte, em vez de apenas o resultado, quem está no pódio. Isso deu acesso a um grupo muito maior de indivíduos que estão envolvidos no esporte, para além de apenas dois ou três pilotos".

"Então fico feliz com a renovação. De qualquer jeito, temos que continuar fazendo um bom trabalho na pista, fornecendo um grande espetáculo como no ano passado. Tivemos todos os ingredientes para uma boa narrativa".

"Pelo que sei, liderou ao redor do mundo por algumas semanas, então isso é um testamento ao quão forte o esporte é no momento".

VÍDEO: Red Bull de Verstappen é melhor que a Ferrari de Leclerc?

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast - Verstappen derrota Leclerc em Miami e incendeia campeonato

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Ferrari explica por que "livrou a barra" da Red Bull com safety car em Miami
Artigo anterior

F1: Ferrari explica por que "livrou a barra" da Red Bull com safety car em Miami

Próximo artigo

F1: Leclerc lamenta que desgaste de pneus tenha dificultado GP em Miami

F1: Leclerc lamenta que desgaste de pneus tenha dificultado GP em Miami