Ferrari é “grupo de pessoas assustadas”, diz ex-engenheiro

Para Luca Baldisseri, time italiano não é mais um time devido a medo interno e falta de estrutura

Ferrari é “grupo de pessoas assustadas”, diz ex-engenheiro
Mattia Binotto, Ferrari Chief Technical Officer in the FIA Press Conference
Sebastian Vettel, Ferrari
Kimi Raikkonen, Ferrari SF16-H
Sebastian Vettel, Ferrari on the drivers parade
Sebastian Vettel, Ferrari SF16-H and team mate Kimi Raikkonen, Ferrari SF16-H battle for position
Sebastian Vettel, Ferrari SF16-H
Daniel Ricciardo, Red Bull Racing RB12
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W07 Hybrid

Em uma temporada difícil e podendo terminar o ano sem sequer uma vitória após ter vencido três corridas em 2015, a Ferrari enfrenta um momento dos mais complicados. Atrás de Mercedes e Red Bull entre os construtores, o time viu a saída do diretor-técnico James Allison e atualmente conta com uma reformulação em seu time técnico.

Ex-engenheiro e estrategista da Ferrari, Luca Baldisseri, diz que as pessoas que trabalham no time estão sob constante medo.

"Infelizmente nem (o presidente Sergio) Marchionne nem o chefe da equipe (Maurizio) Arrivabene têm experiência em corridas. É uma cultura que a Scuderia de hoje perdeu", disse Baldisserri ao Corriere dello Sport.

"Eles não são mais um time, são um grupo de pessoas assustadas. Há um clima de medo. O pessoal não corre riscos por medo de ser demitido", acrescentou o italiano, que liderou a academia de jovens pilotos da Ferrari antes de sua saída.

A remodelação técnica tem visto a Ferrari em direção a uma estrutura mais horizontal com menos chefes, uma decisão que Baldisserri não apoiou.

"Isso não significa nada", disse ele sobre a estrutura horizontal.

"A cadeia de comando na Fórmula 1 tem que ser mais que vertical: tem que ser militar.”

"Os números estão aí para mostrar o caminho, para motivar as pessoas, para decidir, e se você comete um erro, você não tem que ser demitido. Isso aconteceu com Allison – uma grande perda."

Allison, que deixou a Ferrari em julho, foi substituído por Mattia Binotto como diretor-técnico, mas Baldisserri reconhece que o italiano não é a pessoa ideal para liderar a equipe técnica.

"Matt sabe como motivar as pessoas, ele tem uma grande experiência, mas ele não é um diretor-técnico", acrescentou.

"Ele sabe que não pode projetar um carro e não tem conhecimento profundo do chassi, aerodinâmica ou do lado mecânico. Ele seria um bom chefe de equipe."

Baldisserri também reconhece que a Ferrari precisa de "recuperar" Sebastian Vettel após o alemão estar sofrendo um ano difícil.

"Raikkonen está indo melhor do que em 2015, Vettel muito pior", disse Baldisserri. "É importante para a Ferrari para recuperá-lo e segurá-lo, pelo menos no curto prazo."

compartilhar
comentários
Hamilton toma lavada de Rosberg em comparação de 2016; veja
Artigo anterior

Hamilton toma lavada de Rosberg em comparação de 2016; veja

Próximo artigo

Sainz vê Sauber “dois passos atrás” em 2017 com motor antigo

Sainz vê Sauber “dois passos atrás” em 2017 com motor antigo
Carregar comentários