Hamilton espera que briga por título não seja na estratégia

Lewis Hamilton espera que batalha pelo título da temporada 2017 da Fórmula 1 tenha disputas dentro da pista e não seja dominada pelas estratégias de corrida

Hamilton espera que briga por título não seja na estratégia
(Esquerda para direita): Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W05, e seu companheiro, Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 W05, duelando por posição
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W05, e companheiro de equipe Nico Rosberg, da Mercedes AMG F1 W05, em batalha por posição
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W08, makes a pit stop
Lewis Hamilton, Mercedes AMG, 2nd Position, celebrates in Parc Ferme
Lewis Hamilton, Mercedes AMG, 2nd Position, with his trophy
Sebastian Vettel, Ferrari SF70H, leads Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W08
Podium: winner Sebastian Vettel, Ferrari, second place Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W08, leads Sebastian Vettel, Ferrari SF70H, Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W08, and the rest of the field
Sebastian Vettel, Ferrari SF70H, leads Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W08, and Kimi Raikkonen, Ferrari SF70H
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W08, leads Sebastian Vettel, Ferrari SF70H
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W08, leads Sebastian Vettel, Ferrari SF70H

No pouco movimentado GP da Austrália, prova de abertura da temporada 2017 da Fórmula 1, Sebastian Vettel bateu Lewis Hamilton na estratégia, superando o britânico após as paradas para troca de pneus.

Embora tenha dito que se divertiu na batalha em Melbourne, o piloto da Mercedes reconheceu que prefere participar mais de brigas dentro da pista. "Quando saí dos boxes, foi emocionante", relembrou. "Eu estava preso atrás de outro carro, mas foi legal ver que a corrida estava acirrada."

"Esperava que a briga fosse na pista, mas nem sempre é assim. Espero que em algumas corridas deste ano a disputa seja na pista", disse.

Hamilton destacou o gosto por batalhas como a que ele teve contra Nico Rosberg no GP do Bahrein de 2014, quando a dupla protagonizou uma luta direta pela vitória em Sakhir, com o britânico levando a melhor.

"Minha forma favorita de corrida segue sendo o kart, pois as disputas são roda a roda, do início ao fim. Eu cresci nisso, gosto demais desse tipo de batalha. Tive uma fantástica contra Nico, no Bahrein, em 2014. Faço qualquer coisa para viver algo do tipo novamente, espero que tenha isso com Sebastian."

"Ele é um tetracampeão, um dos melhores da nossa geração. Creio que os fãs esperam por isso. Espero que não seja uma disputa de estratégia o ano todo, quero batalhas na pista. É por isso que vivo, é o que me guia", afirmou.

Disputa "variável" pelo título

Embora considere cedo demais para prever como será a briga pelo título, as evidências de Melbourne deixaram Hamilton otimista quanto a uma batalha acirrada pela taça em 2017.

"Parece-me uma batalha acirrada, o ritmo de classificação é bem próximo", disse Hamilton. "Na corrida, Vettel foi capaz de me superar. Teremos corridas variáveis, com eles à nossa frente em algumas e nós os superando em outras."

"O bom é que estamos próximos e parece que seguiremos assim, o que torna as corridas emocionantes", ponderou.

Questionado se ele sentia que o resultado em Melbourne refletia mais as dificuldades da Mercedes do que o desempenho da Ferrari, Hamilton respondeu: "A Ferrari venceu, fez um trabalho melhor do que o nosso."

"Não fomos nós que perdemos, ambos queríamos vencer e, no fim, eles foram melhores. Claro que, ao olhar para trás, você pensa que poderia ter feito algo diferente e teria vencido, mas isso é só uma perspectiva. Acho que a vitória deles foi justa e merecida, o que torna tudo mais empolgante."

"O carro deles é forte em algumas áreas, o nosso em outras. Creio que isso é o que vai tornar esta temporada emocionante", completou.

Reportagem adicional por Ben Anderson

compartilhar
comentários
Sauber rejeita teorias conspiratórias sobre Wehrlein
Artigo anterior

Sauber rejeita teorias conspiratórias sobre Wehrlein

Próximo artigo

Ex-dirigentes da Manor lamentam “chance perdida” em 2017

Ex-dirigentes da Manor lamentam “chance perdida” em 2017
Carregar comentários