Fórmula 1
R
GP de Eifel
09 out
Próximo evento em
19 dias
R
GP de Portugal
23 out
Próximo evento em
33 dias
04 dez
Próximo evento em
75 dias
R
GP de Abu Dhabi
11 dez
Próximo evento em
82 dias

F1: Hamilton projeta briga com Verstappen e fala de pressão para bater Bottas

compartilhar
comentários
F1: Hamilton projeta briga com Verstappen e fala de pressão para bater Bottas
Por:

Piloto inglês superou Valtteri Bottas por 0s059 no Q3 após o finlandês liderar todos os treinos livres do final de semana e holandês ficar à frente em duas sessões

O pole position do GP da Toscana, Lewis Hamilton, disse que sentiu que "a pressão era maior do que nunca" para encontrar tempo em Mugello depois que Valtteri Bottas liderou todas as sessões de treinos da Fórmula 1 neste final de semana e Max Verstappen ficou à frente no primeiro e no terceiro treinos livres.

A F1 está visitando a pista da Toscana para um fim de semana de corrida pela primeira vez, depois que o traçado foi adicionado ao calendário de 2020 como resultado da interrupção do coronavírus nos eventos planejados.

Leia também:

Isso significa que muitos pilotos - incluindo Hamilton - estão correndo pela primeira vez no circuito, onde Bottas liderou as três sessões de treinos do final de semana e o Q1.

Porém, Hamilton avançou com o tempo mais rápido no Q2 e, em seguida, venceu Bottas para conquistar a pole com direito a recorde no Q3 - onde o finlandês foi prejudicado pelas bandeiras amarelas causadas por uma rodada de Esteban Ocon. Já Verstappen ficou a três décimos da primeira posição.

"No passado, sempre senti que o meu forte era aprender um circuito rapidamente", disse Hamilton quando questionado sobre seu trabalho para marcar voltas após os treinos de sexta-feira, onde terminou o primeiro dia de ação em pista com o segundo melhor tempo.

“Para este, nós fomos para o simulador, o que eu nunca faço, e não sinto que me beneficiei.”

"Mas para chegar aqui deu muito trabalho, a pressão é incrivelmente alta.”

“Porque estou lutando para encontrar o limite em certos setores e Valtteri estava realmente à frente em alguns.”

"Então a pressão era maior do que nunca, porque se eu não tivesse feito o trabalho não teria obtido o resultado que obtivemos no final."

Hamilton continuou explicando a "incrível quantidade de detalhes necessários" com os engenheiros para que os pilotos marquem bons tempos durante o fim de semana.

“Passamos a noite passada dissecando cada detalhe basicamente, cada setor - tentando realmente fazer o melhor ajuste desta configuração,” continuou.

“Como piloto de corrida, há uma linha muito tênue entre saber se [algo está] saindo de dianteira ou traseira - e se você está no limite ou não em certos lugares”.

"Porque você pode estar no limite em uma curva, mas não nas demais.”

"Por exemplo, pode estar no limite na primeira ou fora na segunda e então na terceira… trata-se de entender se você tem o equilíbrio certo e o que precisa fazer.”

"Para saber o que precisa quando você pilota no limite e se antecipar ao comportamento do carro.”

"Há uma verdadeira ciência e é por isso que tenho tanto respeito por esses pilotos - porque não é apenas a capacidade de pilotar, mas de entender essas coisas e também sermos engenheiros no final.”

"Você tem que trabalhar com esses gênios que conseguem equilibrar os números como ninguém - mas precisamos ser capazes de fazer isso na pista."

Q4: F1 2020: Hamilton desbanca Bottas, Leclerc 'brilha' em quinto e Vettel fica atrás de Kimi em Mugello

PODCAST: Vitória de Gasly prova que F1 é ambiente 'onde os fracos não têm vez'?

 

.

Novas equipes terão que pagar mais de R$1 bi a atuais times para entrar na F1

Artigo anterior

Novas equipes terão que pagar mais de R$1 bi a atuais times para entrar na F1

Próximo artigo

F1: Sainz não repete bom desempenho de Monza e diz que a classificação foi uma 'surpresa desagradável'

F1: Sainz não repete bom desempenho de Monza e diz que a classificação foi uma 'surpresa desagradável'
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Alex Kalinauckas