Marko detona protesto "repugnante" da Mercedes e ameaça com saída da Red Bull da F1 se regras não mudarem

Consultor da Red Bull pediu ainda mudanças na direção de prova após polêmicas na temporada 2021

Marko detona protesto "repugnante" da Mercedes e ameaça com saída da Red Bull da F1 se regras não mudarem
Carregar reprodutor de áudio

Helmut Marko não poupou críticas à Mercedes, à qual considerou um "perdedor indigno" após os protestos protocolados contra a Red Bull no GP de Abu Dhabi. Mas o consultor da equipe austríaca ainda não parou aí, com uma ameaça: se algumas coisas não mudarem na Fórmula 1, a Red Bull sairá do esporte.

O GP de Abu Dhabi foi marcado por polêmicas, especialmente na disputa que coroou Max Verstappen como campeão de 2021 em cima de Lewis Hamilton. Com a Mercedes irritada com os procedimentos de relargada na volta final, protocolou dois protestos junto aos comissários, sendo que ambos foram negados.

Leia também:

Mas a novela não acabou aí, com a equipe alemã protocolando ainda a intenção de entrar com um recurso contra a decisão dos comissários. Agora, ela tem 96 horas para confirmar e caso isso vá adiante, isso vai parar no Tribunal Internacional de Recursos da FIA, em Paris.

Mas após a FIA confirmar que havia rejeitado ambos os protestos da Mercedes, Marko tratou de disparar durante contra a rival.

"É indigno de uma final de um campeonato mundial que a decisão seja atrasada assim. Mas isso mostra a mentalidade de, eu diria, um perdedor indigno, quando fazem tais petições e protestos".

Para ele, a decisão de protestar o que aconteceu na prova foi apenas uma reação da Mercedes ao ver seu domínio na era híbrida ser quebrado: "Rompemos com esse domínio de sete anos com um piloto jovem e uma equipe jovem e motivado. É repugnante o que fizeram após a prova, apresentando um protesto quando estava claro que não funcionaria. Para mim, isso é coisa de um mau perdedor".

Para Marko, a intenção de recurso da Mercedes não muda nada: "Não nos importa. Somos os vencedores morais, independente do que venha de um lado ou de outro". Mas, ao mesmo tempo, o austríaco ameaçou abertamente tirar a Red Bull da F1 se alguns aspectos, como a aplicação do regulamento, não forem modificados.

"Reconsideraremos nossa participação na Fórmula 1 se isso não tiver as consequências correspondentes para os futuros campeonatos".

Marko pede concretamente uma revisão das normas e do processo de tomada de decisões, atacando, indiretamente, o diretor de prova Michael Masi.

"É preciso repensar todo o sistema. É preciso ter coerência, as decisões não podem ser interpretadas de uma maneira ou outra. É preciso simplificar o regulamento. A premissa tem que ser: corram!".

Ele assinala ainda que as normas "tem que ser de tal maneira que seja possível uma decisão rápida, encerrando um caso em questão de segundos, e essas decisões não podem variar tanto".

E apesar de serem beneficiados da decisão de Masi com a relargada, Marko também acredita que as consequências pessoais são inevitáveis após um polêmico 2021.

"Depois de tantos erros e decisões questionáveis, não há dúvidas de que seja necessário agir. Agora teremos um novo presidente, assim acredito que ele deveria começar por aqui", finalizou Marko, em referência à troca de gestão da FIA. A eleição para o sucessor de Jean Todt acontece nesta sexta, dia 17.

F1 AO VIVO: VERSTAPPEN PASSA HAMILTON NO FIM E É CAMPEÃO EM ABU DHABI; MERCEDES PROTESTA CONTRA MAX

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #151: Hamilton x Verstappen é a maior decisão da história da F1?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1 - Latifi: "Nunca foi minha intenção" influenciar a luta pelo título
Artigo anterior

F1 - Latifi: "Nunca foi minha intenção" influenciar a luta pelo título

Próximo artigo

"Máxima loucura", "Supermax", "Hamilton roubado"; imprensa internacional repercute final da F1

"Máxima loucura", "Supermax", "Hamilton roubado"; imprensa internacional repercute final da F1
Carregar comentários