"Não temos tanta pressão para começar 2014 bem", diz Di Resta

Mesmo reconhecendo que é difícil decidir quando focar só no ano que vem, escocês espera desenvolvimento até julho

"Não temos tanta pressão para começar 2014 bem", diz Di Resta

Ao mesmo tempo em que é fato que uma equipe com menos recursos tem mais dificuldades em se equilibrar em situações como a vivida nesta temporada da Fórmula 1, com a expectativa para uma grande mudança no regulamento a partir do ano que vem, ter menos responsabilidade de começar 2014 na frente pode ser positivo. É o que acredita Paul di Resta, da Force India.

“Quando você tem menos recursos, fica mais comprometido. Mas não sei se será esse o carro deste ano. A questão é se uma equipe como a nossa pode continuar trabalhando neste carro, pois não temos tanta pressão como Ferrari e McLaren para começar na frente ano que vem.”

O escocês acredita que as equipes vão continuar desenvolvendo o carro deste ano até o fim da primeira metade do campeonato. “O mais importante é ter um bom nível de desenvolvimento até junho ou julho. Depois vão parar. O quanto você vai forçar em um carro que ficará obsoleto no meio de novembro? Será interessante ver onde cada um vai estabilizar [o desenvolvimento].”

Falando sobre esta temporada, Di Resta vê a Force India com o quinto melhor carro, atrás de Red Bull, Lotus, Mercedes e Ferrari, e lutando diretamente com McLaren e Sauber. “O carro precisa ficar onde está ou melhorar porque os outros reagem muito rapidamente. Não acho que dá para subestimar ninguém quando estamos disputando com McLaren e Sauber. Há equipes com muito poder que estão atrás de nós, e isso coloca muita pressão em nós.”

compartilhar
comentários
Segundo Boullier, ritmo da Lotus na Malásia não é preocupante
Artigo anterior

Segundo Boullier, ritmo da Lotus na Malásia não é preocupante

Próximo artigo

Equipes da F-1 devem aumentar número de testes para 2014

Equipes da F-1 devem aumentar número de testes para 2014
Carregar comentários