Fórmula 1
19 set
-
22 set
Evento encerrado
26 set
-
29 set
Evento encerrado
10 out
-
13 out
Evento encerrado
24 out
-
27 out
Evento encerrado
01 nov
-
03 nov
Evento encerrado
14 nov
-
17 nov
Treino Livre 1 em
04 Horas
:
06 Minutos
:
51 Segundos
R
GP de Abu Dhabi
28 nov
-
01 dez
Próximo evento em
12 dias

Russell: Entendo por que os juniores da Red Bull pilotam a "120%"

compartilhar
comentários
Russell: Entendo por que os juniores da Red Bull pilotam a "120%"
Por:
20 de abr de 2019 14:24

Piloto da Mercedes atualmente na Williams, britânico diz que talentos do grupo austríaco sofrem pressão "mais agressiva do que o normal"

Novato na Fórmula 1 em 2019 e companheiro de Robert Kubica na Williams, George Russell disse que é compreensível que os talentos da Red Bull subam à F1 a "120 por cento", considerando o histórico de Helmut Marko de "cortar a garganta" daqueles que não rendem. O campeão da Fórmula 2, porém, acredita que Alex Albon, da Toro Rosso, pode prosperar neste ano.

A Red Bull liberou Albon de seu programa em 2012, mas conseguiu extrair o anglo-tailandês de um contrato com a Nissan na Fórmula E no fim do ano passado para poder colocá-lo na Toro Rosso em 2019. O novato marcou seus primeiros pontos no Bahrein, mas sofreu uma grande batida em treino na China, o que o obrigou a perder a classificação.

Leia também:


Piloto do programa da Mercedes, Russell disse: “Alex está fazendo um ótimo trabalho no momento. Todo mundo está ciente da pressão sobre os juniores da Red Bull, então você entende por que eles correm a 120 por cento cada vez que colocam os pés no carro. Tenho certeza que ele vai se recuperar. É um ótimo piloto e provou isso nas duas primeiras corridas”.

Albon garantiu estar acostumado com a pressão: "Eu já estive em uma equipe júnior antes, e mesmo no ano passado eu estava com meu lugar em risco em todos os fins de semana. Estou meio acostumado, e ainda me sinto bastante confortável comigo mesmo, além de confiante. Não estou preocupado”.

Russell venceu os títulos de GP3 e Fórmula 2 consecutivos com o apoio da Mercedes e competiu com Albon em 2018 na principal categoria de acesso à F1. Por conta dos sucessos recentes, Russell tem recebido crédito da Mercedes, apesar do péssimo começo de temporada da Williams.

Segundo o britânico, a pressão histórica do programa júnior da Red Bull, que tem uma reputação de eliminar os pilotos, é "mais agressiva do que o normal". Ele fez uma comparação com a sua realidade: "Não é que eu não me sinta pressionado. Se eu não estiver me apresentando bem, a Mercedes também não me manterá lá”.

“Mas no começo das últimas duas temporadas, tive fins de semana ruins e Toto Wolff me disse: 'Não se preocupe, é a primeira corrida, é uma longa temporada, certifique-se de fazer melhor da próxima vez '. Não posso falar por eles [Red Bull], mas a impressão é de que obviamente eles fazem as coisas de maneira diferente".

George Russell, ART Grand Prix and Alexander Albon, DAMS

George Russell, ART Grand Prix and Alexander Albon, DAMS

Photo by: FIA Formula 2

Próximo artigo
Berger: Ferrari está arriscando sobrecarregar seu chefe de equipe

Artigo anterior

Berger: Ferrari está arriscando sobrecarregar seu chefe de equipe

Próximo artigo

GALERIA: Os países que mais vezes conquistaram títulos da F1

GALERIA: Os países que mais vezes conquistaram títulos da F1
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos George Russell , Alexander Albon
Autor Scott Mitchell