Fórmula 1
06 mai
Próximo evento em
59 dias
20 mai
Próximo evento em
73 dias
R
GP do Azerbaijão
03 jun
Próximo evento em
87 dias
10 jun
Próximo evento em
94 dias
24 jun
Próximo evento em
108 dias
R
GP da Áustria
01 jul
Próximo evento em
115 dias
R
GP da Grã-Bretanha
15 jul
Próximo evento em
129 dias
29 jul
Próximo evento em
143 dias
R
GP da Bélgica
26 ago
Próximo evento em
171 dias
02 set
Próximo evento em
178 dias
09 set
Próximo evento em
185 dias
23 set
Próximo evento em
199 dias
R
GP de Singapura
30 set
Próximo evento em
206 dias
07 out
Próximo evento em
213 dias
21 out
Próximo evento em
227 dias
28 out
Próximo evento em
234 dias
R
GP da Arábia Saudita
03 dez
Próximo evento em
270 dias
R
GP de Abu Dhabi
12 dez
Próximo evento em
279 dias

“Se Massa deixasse, Bottas poderia abrir de nós”, diz chefe da Mercedes

Toto Wolff defende posição da Williams e lembra que esteve em situações parecidas durante ano de 2013.

compartilhar
comentários
“Se Massa deixasse, Bottas poderia abrir de nós”, diz chefe da Mercedes
Felipe Massa, Williams FW37 à frente do companheiro de equipe Valtteri Bottas, Williams FW37
Felipe Massa, Williams FW37 à frente do companheiro de equipe Valtteri Bottas, Williams FW37
Felipe Massa, Williams FW37 à frente do companheiro de equipe Valtteri Bottas, Williams FW37 e Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W06
Valtteri Bottas, Williams FW37
Felipe Massa, Williams FW37

Após terminar fora do pódio, a Williams teve que defender sua decisão de deixar Felipe Massa e Valtteri Bottas lutarem pela liderança em Silverstone. Os pilotos que iniciaram o GP ponteando terminaram a prova em quarto e quinto lugares.

LEIA MAIS

Hamilton pode igualar vitórias de Senna com mesmo número de provas

Massa rebate críticas: “deixar Bottas passar não era o certo”

Williams se defende de erro na chuva: “Vettel teve 15 segundos a mais”

Para muitos, uma opção para defender a liderança seria que a Williams deixasse um de seus pilotos abrir vantagem na frente, enquanto o outro tentasse retardar as Mercedes, que ocupavam terceira e quarta colocações.

Memórias de 2013

Diretor da Mercedes, Toto Wolff disse que o cenário encontrado pela Williams o lembrou alguns episódios de 2013 - quando as Mercedes lideravam as provas no início e o time não sabia exatamente o que fazer.

"Tive um deja-vu. Em 2013, quando nos encontrávamos em primeiro e segundo, estávamos surpresos", explicou Wolff. "Você não quer arriscar o resultado, por isso é muito difícil bolar estratégias ousadas.”

"Valtteri poderia ter construído uma boa vantagem se Massa o deixasse passar, isso é um fato. Quando a chuva começou, nós dividimos as estratégias de Lewis [Hamilton], que entrou, e de Nico [Rosberg], que ficou na pista.

"Mas é fácil falar de fora e dizer o que cada um deveria ter feito. Não estou lá, mas eles provavelmente foram pegos de surpresa."

O blefe

Wolff também admitiu que Mercedes tentou pressionar a Williams a fazer uma parada antes do previsto, blefando que fariam um pit stop.

"Sabemos que a Williams tem mais dificuldades em fazer os pneus resistirem no final do stint, e sabíamos que uma parada mais cedo, na volta 18, iria fazê-los pensar.

"Fazê-los parar poderia levá-los a um pit stop no final da corrida. Mas não deu certo, e inclusive minha esposa [Susie Wolff, piloto de desenvolvimento da Williams] me mandou um WhatsApp [mensagem] dizendo: 'Vocês acham que podem nos enganar? Ha, ha, ha'."

Devendo a fornecedores, equipe Lotus enfrentará tribunal

Artigo anterior

Devendo a fornecedores, equipe Lotus enfrentará tribunal

Próximo artigo

Para Stevens, erro de estratégia tirou pontos da Manor em Silverstone

Para Stevens, erro de estratégia tirou pontos da Manor em Silverstone
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da Grã-Bretanha
Localização Silverstone
Equipes Mercedes , Williams
Autor Jonathan Noble