F1: Stewart diz que Hamilton não está no mesmo nível de nomes do passado como Fangio e Clark

compartilhar
comentários
F1: Stewart diz que Hamilton não está no mesmo nível de nomes do passado como Fangio e Clark
Por:

Tricampeão mundial comparou o período atual da F1 com o seu para falar porque o piloto da Mercedes não está no mesmo nível de grandes do passado

Lewis Hamilton está próximo de igualar e superar dois dos principais recordes de Michael Schumacher na temporada 2020 da Fórmula 1: os sete títulos e as 91 vitórias. Com isso, muitos colocam o hexacampeão como um dos, se não o maior piloto da história do Mundial. Mas para o tricampeão Jackie Stewart, o britânico não pode ser colocado no mesmo nível de outras lendas como Juan Manuel Fangio e Jim Clark apenas pelos números.

No momento, Hamilton está a uma vitória de empatar com Schumacher, podendo igualar a marca neste fim de semana, no GP de Eifel em Nurburgring, enquanto o sétimo título já é visto como do britânico, sendo apenas questão de tempo para oficializá-lo. Com sete etapas para o fim do ano, ele tem 44 pontos de vantagem sobre Valtteri Bottas, pouco menos de duas corridas.

Leia também:

Mas apesar dessas vitórias e títulos, resultado de um grande domínio na era turbo híbrida, o tricampeão Jackie Stewart não está pronto para colocá-lo entre os melhores.

O escocês acredita que o pentacampeão Juan Manuel Fangio e o bicampeão Jim Clark ainda são os melhores pilotos que a F1 já viu, enquanto os números de Hamilton são auxiliados pelas temporadas mais longas e a dedicação moderna de competir em apenas uma categoria.

"Não acho que você pode contabilizar esse tipo de sucesso, porque hoje temos 20, 22 corridas", disse Stewart ao podcast In the Fast Lane. "Para mim, Fangio é o maior piloto que já existiu com Clark em segundo, a frente mesmo de Senna. Mas esses corriam apenas seis, oito vezes por ano na F1. Eles corriam também com carros esportivos, de GT e mais".

"Mas com o mundial agora, Hamilton ou qualquer outro competidor, estão fazendo 22 provas por ano e apenas na F1. Não estão correndo com carros de turismo, GT, Indy... A pressão é muito menor. Claro, eles vão para a fábrica e trabalham no simulador, mas não é o mesmo. É um mundo diferente".

Stewart acrescentou que a vantagem "quase injusta" que a Mercedes tem nos últimos anos também depõe contra Hamilton na lista dos melhores.

"Lewis é um ótimo piloto, não estou dizendo o contrário, nem diminuindo suas habilidades. Mas não é o mesmo. Fangio tinha um jeito extraordinário de pilotar, ele escolhia a Ferrari e depois trocava para a Maserati no ano seguinte. Ele nunca teve contratos de mais de um ano".

"E ele andou com a Mercedes e venceu dois campeonatos com eles, porque eram os melhores do mundo naquele momento".

"Lewis fez uma ótima decisão de trocar a McLaren pela Mercedes. Tiro meu chapéu para ele por isso. Mas, francamente, o carro e o motor são tão superiores que é quase injusto com o resto do grid".

"Temos que dar os créditos a Mercedes, Toto Wolff e Niki Lauda por fazer uma equipe extraordinária, escolhendo os melhores engenheiros, tirar o máximo do dinheiro, algo que outras equipes não conseguem fazer, além da Red Bull".

"Por isso não é o mesmo respeito. E são nesses pontos onde mora a diferença entre os melhores pilotos e os que foram bem sucedidos".

"É difícil dizer isso sobre Lewis, não ser tão bom quanto Fangio, mas essa é a minha visão. E muitos vão me criticar por isso. Mas eu acompanho o esporte desde que era criança. Meu irmão era piloto, eu ia com ele ver corridas e via Ascari, Nuvolari, Caracciola, e pessoas desse nível. Alguns dos melhores que vi no mundo".

"Dizer que Lewis é o melhor de todos os tempos, seria algo difícil para mim justificar, simplesmente pelo que vi os demais fazendo".

De acordo com Stewart, a natureza da F1 moderna, particularmente com relação ao motor, torna difícil identificar os pilotos realmente bons.

"Acho que tive sorte de correr quando corri. Tínhamos Jim Clark, Graham Hill, Jochen Rindt, François Cevert e outros que estavam no top. Chris Amon, Jack Brabham. Esses eram pilotos de ponta".

"Não temos isso hoje, algo que te ajudasse a identificar essas pessoas que estão no topo do esporte".

"A grande da minha era na pista era a Ford Cosworth. Todo mundo tinha um Ford exceto a Ferrari. Havia uma igualdade na competição que simplesmente não existe hoje".

Mercedes W11 (Temporada 2020)
Mercedes F1 W11 EQ Power+
Motor: Mercedes
Combustível: Petronas
Pneus: Pirelli

Pilotos:

44 - Lewis Hamilton

77 - Valtteri Bottas

Alonso é TAXATIVO sobre seus rivais Hamilson e Schumacher e "se compara" a algoz Vettel; veja

PODCAST: Kimi Raikkonen, 'apenas' um grande personagem ou um verdadeiro campeão?

 

EXCLUSIVO: Veja carta do CEO da F1 que confirma negociação fechada para ter GP do Brasil no RJ

Artigo anterior

EXCLUSIVO: Veja carta do CEO da F1 que confirma negociação fechada para ter GP do Brasil no RJ

Próximo artigo

Ricciardo: F1 pode ter "corrida doida" em Nurburgring

Ricciardo: F1 pode ter "corrida doida" em Nurburgring
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Andrew van Leeuwen