Raikkonen é o novo chefe da equipe Kawasaki no MXGP

Ex-piloto da Fórmula 1 assume protagonismo em time oficial de marca japonesa no Mundial de motocross

Raikkonen é o novo chefe da equipe Kawasaki no MXGP
Carregar reprodutor de áudio

Kimi Raikkonen atua no mundo do motocross há anos. No entanto, para 2022 ele decidiu terminar seu relacionamento com a Husqvarna e iniciar uma nova aventura na Kawasaki. Desta forma, Raikkonen se torna o novo chefe da equipe de fábrica no MXGP.

Os pilotos Romain Febvre e Ben Watson vão representar a equipe de Raikkonen no campeonato mundial, que abrirá suas portas em fevereiro em Matterley Basin, a primeira rodada do campeonato e a estreia de Kimi como chefe de equipe.

Leia também:

"Não é nenhum segredo que o motocross tem sido minha paixão por muitos anos", disse Raikkonen. "Agora não é mais um hobby, isso é muito sério. Estamos muito focados e fazemos de tudo para ter um bom desempenho. Agora que não estou mais correndo, posso dedicar mais tempo a este projeto."

A direção da equipe está novamente nas mãos de Antti Pyrhönen, ex-piloto de motocross e amigo de Raikkonen. Ambos os talentos se unirão para alcançar um sonho: o título do MXGP. No entanto, essa também será a tarefa de Romain Febvre e Ben Watson, os protagonistas que representarão a equipe enquanto lutam nas rotinas do campeonato mundial.

"Estou muito orgulhoso que a Kawasaki nos escolheu para a equipe de fábrica. Eu sei que temos uma chance de sucesso com o apoio direto da fábrica. Vamos trabalhar para o nosso objetivo a partir de agora que é criar um Campeão Mundial do MXGP.”

Se há alguém que já esteve perto do título, foi Romain Febvre. O piloto francês conquistou o melhor resultado da Kawasaki depois de lutar incansavelmente contra o atual campeão Jeffrey Herlings.

No entanto, Febvre sofreu um infeliz acidente ao disputar o Supercross de Paris, forçando o piloto francês a desacelerar significativamente e questionar sua presença durante a primeira corrida da temporada.

"Não foi meu melhor inverno", disse Febvre. "É frustrante ter que me recuperar de uma lesão quando volto a correr, mas isso faz parte do esporte. Minha reabilitação está indo bem e mal posso esperar para voltar à Kawasaki."

“O campeonato ainda é muito longo e estou fazendo de tudo para voltar à pista o mais rápido possível. Me senti muito confortável em 2021 e competi pelo título até o final”, lembrou Romain.

O MISTÉRIO de HAMILTON: até que ponto SILÊNCIO de piloto é válido?

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #159 – O que esperar da temporada 2022 da F1?

 
 

 

compartilhar
comentários
Carregar comentários