Acertando nos pneus, Crutchlow vence primeira; Rossi é 2º

Cal Crutchlow escolheu os pneus mais adequados ao asfalto molhado em Brno e conquistou primeira vitória da carreira;

Acertando nos pneus, Crutchlow vence primeira; Rossi é 2º

Com uma escolha precisa em meio às incertezas do piso molhado, Cal Crutchlow venceu o GP da República Tcheca, realizado neste domingo (21), conquistando o primeiro triunfo da carreira na MotoGP.

Em uma corrida de muitas variáveis, o britânico veio de trás com pneus duros na frente e na traseira – escolha que se mostrou acertada conforme a pista ia secando – e escalou o pelotão para dar ao Reino Unido a primeira vitória em 35 anos – desde Barry Sheene, em 1981, não se via a bandeira britânica no topo do pódio.

Quem também se recuperou de um início ruim foi Valentino Rossi, que terminou em segundo. Marc Márquez se manteve entre os primeiros a corrida toda e conseguiu cruzar a linha de chegada em terceiro, completando o pódio. Jorge Lorenzo sofreu com o piso molhado e não foi além do 17º lugar.

A corrida

Márquez partiu mal, mas se recuperou na primeira curva e reassumiu a liderança. Lorenzo, como de costume, largou bem, porém começou a perder posições já na primeira volta. Rossi também não teve um início positivo e despencou para a 11ª posição.

No fim da primeira volta, Márquez era o líder, com Dovizioso em segundo e Iannone em terceiro. Aleix Espargaró seguia na quarta posição, com Scott Redding em quinto e Maverick Viñales em sexto. Lorenzo era o 11º e Rossi o 12º - as Yamahas sofriam para ter aderência na dianteira.

Ao final da terceira volta, Dovizioso colocou por dentro na curva 13 e superou Márquez, assumindo a liderança da volta. O líder do campeonato ainda perdeu posição para Iannone e Redding na quarta volta, caindo para quarto. Lá atrás, Rossi era o 12º e Lorenzo caía para 13º.

Mesmo com a Ducati de 2015, Redding acompanhava o ritmo de Dovizioso e de Iannone. A 19 giros do fim, Iannone superou Dovizioso na entrada da 11 e assumiu a liderança. Na volta seguinte, Redding também superou o italiano e pulou para segundo.

Enquanto isso, Iannone apertava o ritmo e tentava se distanciar de Redding e Dovizioso, com Márquez fazendo de tudo para acompanhar a velocidade das motos italianas. Rossi seguia em 12º e Lorenzo despencava para a 16ª posição, sem condições de imprimir um ritmo mais forte.

Hector Barbera, por sua vez, fazia uma prova surpreendente e ocupava a quarta posição, pressionando Márquez na briga pelo quarto lugar e superando o líder do campeonato. Outro que vinha se destacando na prova era Cal Crutchlow, andando mais rápido do que os líderes da prova e ganhando posições.

A 13 voltas do final, Dovizoso enfrentou problemas mecânicos na Ducati e começou a se arrastar pela pista, caindo para último. Com isso, Barbera assumiu a terceira posição. Enquanto isso, Crutchlow seguia escalando o pelotão e já se aproximava de Márquez para brigar pela quinta posição.

Rossi e Lorenzo também começavam a se recuperar na prova. O italiano vinha em oitavo, enquanto o espanhol ocupava o 12º lugar a 11 voltas do fim, quando Crutchlow superou Márquez para subir para quarto.

Faltando dez voltas para o fim, Iannone seguia em primeiro, com Redding em segundo e Barbera em terceiro e já sofrendo pressão de Crutchlow, que entrou definitivamente na briga pela vitória. No giro seguinte, uma batalha tríplice pela segunda posição culminou em Crutchlow assumindo a segunda posição.

A intensidade da briga era tanta que Márquez se juntou aos quatro primeiros e Rossi também se aproximava, criando um clima de indefinição nas voltas finais em Brno. O líder do campeonato superou Redding a sete voltas do fim e assumiu a quarta posição, com Rossi também superando o britânico. Lá na frente, Crutchlow superou Iannone para assumir a liderança.

Rossi superou Márquez e partiu para cima de Barbera, enquanto Crutchlow abria vantagem sobre Iannone. Uma volta depois, Rossi passou Barbera e foi imediatamente para o ataque sobre o piloto da Ducati, assumindo instantes depois o segundo lugar.

Iannone, sofrendo com o desgaste dos pneus de pista molhada macios em uma pista que secava, perdeu posições e despencou até o oitavo lugar. Lá na frente, Crutchlow seguiu seguro para a primeira vitória da carreira na MotoGP, quebrando um jejum de 35 anos sem vitórias do Reino Unido - a última havia sido de Barry Sheene, no GP da Suécia de 1981.

Rossi consolidou a recuperação na prova com o segundo lugar, enquanto Márquez levou a melhor sobre Barberá para completar o pódio. O espanhol da Avintia ainda perdeu a batalha contra o companheiro de equipe, Loris Baz, outro que fez uma corrida de recuperação impressionante para terminar em quarto – melhor resultado do francês na MotoGP.

Eugene Laverty foi o sexto, com Danilo Petrucci, Iannone, Viñales e Tito Rabat completando o grupo dos dez primeiros em Brno. Lorenzo, que fez duas passagens pelo box, terminou em 17º, a uma volta do vencedor – foi a primeira vez que o atual campeão finalizou uma corrida com uma volta de desvantagem.

Confira o resultado final:

Pos. Pontos Num. Piloto Equipe Moto Tempo/Dif.
1 25 35 Cal CRUTCHLOW LCR Honda Honda 47'44.290
2 20 46 Valentino ROSSI Movistar Yamaha MotoGP Yamaha 7.298
3 16 93 Marc MARQUEZ Repsol Honda Team Honda 9.587
4 13 76 Loris BAZ Avintia Racing Ducati 12.558
5 11 8 Hector BARBERA Avintia Racing Ducati 13.093
6 10 50 Eugene LAVERTY Pull & Bear Aspar Team Ducati 13.812
7 9 9 Danilo PETRUCCI OCTO Pramac Yakhnich Ducati 23.414
8 8 29 Andrea IANNONE Ducati Team Ducati 24.562
9 7 25 Maverick VIÑALES Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 24.581
10 6 53 Tito RABAT Estrella Galicia 0,0 Marc VDS Honda 37.131
11 5 68 Yonny HERNANDEZ Pull & Bear Aspar Team Ducati 39.911
12 4 26 Dani PEDROSA Repsol Honda Team Honda 41.097
13 3 44 Pol ESPARGARO Monster Yamaha Tech 3 Yamaha 43.202
14 2 6 Stefan BRADL Aprilia Racing Team Gresini Aprilia 45.687
15 1 45 Scott REDDING OCTO Pramac Yakhnich Ducati +1'02.201
16   19 Alvaro BAUTISTA Aprilia Racing Team Gresini Aprilia +1'18.841
17   99 Jorge LORENZO Movistar Yamaha MotoGP Yamaha 1 volta
Não completaram
    4 Andrea DOVIZIOSO Ducati Team Ducati 7 voltas
    38 Bradley SMITH Monster Yamaha Tech 3 Yamaha 8 voltas
    41 Aleix ESPARGARO Team SUZUKI ECSTAR Suzuki 9 voltas
compartilhar
comentários
Pedrosa: “dou meu melhor com o que tenho"
Artigo anterior

Pedrosa: “dou meu melhor com o que tenho"

Próximo artigo

Márquez aumenta folga, Rossi sobe para segundo; veja tabela

Márquez aumenta folga, Rossi sobe para segundo; veja tabela
Carregar comentários