MotoGP
23 ago
-
25 ago
Evento encerrado
13 set
-
15 set
Evento encerrado
20 set
-
22 set
Evento encerrado
04 out
-
06 out
Evento encerrado
18 out
-
20 out
Evento em andamento . . .
25 out
-
27 out
Próximo evento em
6 dias
R
GP da Malásia
01 nov
-
03 nov
Próximo evento em
13 dias
R
GP de Valência
15 nov
-
17 nov
Próximo evento em
27 dias

ESPECIAL: O 'outro' império de Valentino Rossi

compartilhar
comentários
ESPECIAL: O 'outro' império de Valentino Rossi
Por:
22 de dez de 2018 15:30

Em apenas seis anos, a divisão de marketing da VR46 cresceu exponencialmente. Atualmente emprega cerca de 40 pessoas e fatura 20 milhões de euros, cerca de R$ 89 milhões

Uma pessoa que chega à Tavullia, sabe que está na cidade, porque uma bandeira amarela com o número 46 está pendurada em todos os postes da cidade.

Nos arredores desta famosa cidade fica o centro das atividades empresariais da VR46, a companhia que gerencia a comercialização de Valentino Rossi, muitos outros membros do grid (tanto o MotoGP como as categorias mais baixas), e que por sua vez também abriga a maior parte do material da Riders Academy e da equipa VR46 Sky.

O local é inconfundível: amarelo, preto e branco dominam a cena e abraçam um grande sinal que deixa claro que se está prestes a mergulhar no universo do “Il Dottore”.

As instalações, mais uma vez, são uma extensão daquela estética singular do #46, e nelas se está constantemente tropeçando em todos os elementos icônicos que acompanharam Rossi ao longo de sua carreira: em seu escritório, o maior deles, a Yamaha M1 com a qual ele venceu o título de 2009.

O andar superior é dividido em salas e escritórios de vidro (além da administração, TI e cozinha), enquanto as redes sociais e design estão localizadas no piso inferior, além de um depósito onde estão armazenadas todas as motos de treinamento da Riders Academy, e uma oficina para prepará-los.

"Nós nos mudamos para cá em 2012, quando iniciamos o negócio de marketing de Valentino. Então estendemos o horizonte um pouco, e agora nos encarregamos de produzir o de outros pilotos e equipamentos, como por exemplo a Yamaha e a KTM ", explica o diretor, Albi Tebaldi.

O volume de negócios correspondentes ao marketing é gigantesco. Embora a VR46 também esteja encarregada de projetar, encomendar a fabricação e distribuição de todos os acessórios de outros membros da rede, como Maverick Viñales ou Cal Crutchlow, a maior parte do negócio é fornecida por todos os itens relacionados à Rossi.

 "Valentino concentra 80% do volume de negócios, que no ano passado foi de 20 milhões de euros. Segundo estimativas, em 2018 também estaremos em torno desse número", acrescenta Gianluca Falcioni, chefe de design da VR46.

"No passado, trabalhamos com a Juventus por dois anos e agora fazemos isso com a Lamborghini. Nós cuidamos de todo o processo e estamos presentes em cerca de 50 países", disse Falcioni.

"Temos pontos de venda em todos os GPs da Europa, e nos de fora, nos apoiamos em nossos distribuidores. Além disso, também temos nossa própria loja em Tóquio, Kyoto e Taiwan ", diz o designer, uma das principais peças de toda a estrutura.

"Das 80 pessoas que mais ou menos compõem a VR46, metade delas, cerca de 40, fazem parte do lado do marketing", destaca Tebaldi, que acima de tudo destaca a atmosfera na empresa.

"Todos aqui estão felizes, nos divertimos e vivemos assim, todos nos preocupamos e tentamos deixar o dia o mais agradável possível, dos executivos aos chefs, é assim que a Vale sempre viveu".

Em um dado momento, aparece Uccio Salucci, braço direito de Rossi e que, juntamente com Albi e Carlo Casabianca, está no comando da direção esportiva.

"Nossa gestão de pilotos é de 360°. Lidamos com os contratos dos pilotos, mas também com toda a preparação em todos os níveis. E é por isso que recebemos uma porcentagem. Desta forma, os meninos podem se dedicar exclusivamente à corrida e ao treinamento, que é o que eles têm que fazer", explica Salucci.

"Nós os monitoramos permanentemente, tanto do ponto de vista nutricional, quanto em treinamento. Sempre preparar atividades nas motos, sejam elas quais forem, é tudo com os mecânicos da equipe Sky à sua disposição."

"Queremos dar um campeão mundial de MotoGP. Não esperávamos que o sucesso viesse tão rapidamente. Não pensamos que (Francesco) Bagnaia cresceria tanto, ou que outros como (Marco) Bezzechi ou (Luca) Marini estariam a este nível. De qualquer forma, primeiro queremos ganhar com Valentino e depois vamos ver", conclui Salucci.

Próximo artigo
Rossi: "Com Yamaha, Morbidelli será uma dor de cabeça"

Artigo anterior

Rossi: "Com Yamaha, Morbidelli será uma dor de cabeça"

Próximo artigo

Zarco se diz encorajado pelo exemplo de transição de Lorenzo na Ducati

Zarco se diz encorajado pelo exemplo de transição de Lorenzo na Ducati
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria MotoGP
Autor Oriol Puigdemont