Lorenzo: Agressividade de Márquez comprometeu corrida

Espanhol comemora resultado da Ducati e diz que está se adequando à moto cada vez mais

Lorenzo: Agressividade de Márquez comprometeu corrida
Jorge Lorenzo, Ducati Team
Jorge Lorenzo, Ducati Team
Marc Marquez, Repsol Honda Team
Marc Marquez, Repsol Honda Team, Braking
Jorge Lorenzo, Ducati Team
Jorge Lorenzo, Ducati Team
Marc Marquez, Repsol Honda Team
Carregar reprodutor de áudio

Enquanto Andrea Dovizioso deu à Ducati suas primeiras vitórias consecutivas desde 2010 em Barcelona, Jorge ​​Lorenzo terminou em quarto lugar atrás das duas Repsol Hondas e a 9s6 de seu companheiro de equipe.

Depois de liderar pela primeira vez para a Ducati em Mugello, Lorenzo também liderou o início da prova na Espanha no último domingo depois de garantir a primeira fila com o segundo lugar no grid no sábado.

Mas o tricampeão da categoria rainha perdeu a liderança para Márquez na sexta volta na curva 10. Logo em seguida, Dani Pedrosa e Dovizioso passaram.

A partir daí, Lorenzo caiu para oitavo, mas voltou a ter bom ritmo nas últimas voltas, já que administrou melhor sua degradação de pneus e terminou em quarto.

"Eu poderia ficar 0s5 à frente de Márquez com bastante facilidade, mas ele chegou agressivamente na curva 10 e eu tive que levantar a moto", disse Lorenzo. "Se eu não levantasse, nós teríamos caído."

"Eu fui ultrapassado por Pedrosa e outros pilotos. Aí comecei a andar mal, os pneus se desgastaram e eu tive que pensar em não cair.”

"Quando aqueles à minha frente começaram a perder o controle e começaram a diminuir o ritmo, eu me recuperei."

Lorenzo, que correu com os pneus duros na roda dianteira e na traseira, negou que liderar o início da corrida tenha causado problemas depois. Ele destacou o fato de ter tido mais força do que seus rivais no fim.

"Eu não acho que começar forte me penalizou, porque nas voltas finais eu tinha mais aderência do que Johann Zarco, Jonas Folger e Álvaro Bautista", disse o espanhol.

"Eu consegui salvar os pneus e, no início, eu poderia ter rodado 0s3 mais rápido. Nas curvas para a direita eu era muito cuidadoso com o acelerador, assim como os outros."

"Eu ainda não ando como eu gostaria. Estou ficando melhor pouco a pouco, mas não é fácil para mim. Se você não se sentir confiante com a moto, é difícil fazer grandes corridas."

Reportagem adicional por German Garcia Casanova

compartilhar
comentários
Espargaró se diz "p*** da vida" após nova quebra de motor
Artigo anterior

Espargaró se diz "p*** da vida" após nova quebra de motor

Próximo artigo

Crutchlow se aproxima de permanência na LCR

Crutchlow se aproxima de permanência na LCR