Depois de ser o primeiro a concluir Sertões sozinho, Youssef Haddad busca Tríplice Coroa inédita

Tricampeão geral do Sertões como navegador e bicampeão por equipe, objetivo é vencer agora também como piloto em sua 18ª participação no Sertões

Youssef Haddad

Depois de se tornar o primeiro competidor a completar o Sertões sozinho na categoria carros, acumulando as funções de piloto e navegador na disputa do ano passado, Youssef Haddad vai encarar mais um desafio inédito na 31ª edição do maior rali das Américas, que será realizada de 11 a 19 de agosto.

Leia também:

Tricampeão geral do Sertões como navegador nos carros (2010, 2011 e 2014) e por equipe (nos anos de 2003 e 2004, quando era o engenheiro responsável pela equipe de Guiga Spinelli/Marcelo Vivolo), Youssef disputará a competição pela segunda vez como piloto e busca agora a Tríplice Coroa: ser campeão como navegador, equipe e piloto. E a conquista viria numa data muito especial, já que este ano ele chega a sua “maioridade” no rali, participando de seu 18º Sertões.

E as novidades não param por aí. Também será a primeira vez que Youssef terá um navegador ao seu lado no Sertões. O piloto – que também é engenheiro mecânico e participa intensamente do desenvolvimento de carros de rali - estará na categoria T2 Production, a bordo de uma de suas “criações”, a Triton Sport R, e terá Igor Quirrenbach como navegador na equipe Mitsubishi - SFICHIPS Racing.

“Minha estreia como piloto no Sertões no ano passado foi meio maluca, pilotando sozinho. Mas 2022 era um ano muito especial do Sertões e eu não poderia perder a oportunidade de encarar esse desafio e ser o primeiro competidor a concluir a prova navegando e pilotando”, comentou Youssef, lembrando que a edição de número 30 foi a mais longa da história do Sertões (7.216 km, dos quais 4.811 km de especiais).

“Agora é um ano diferente, quase que uma nova estreia. Nunca tive um navegador ao meu lado em provas. Já fiz testes, treinos, mas correr mesmo será a primeira vez. Vai ser um desafio, aprender a ouvir o navegador, tentar não ser crítico pela minha experiência como navegador e ser o mais competitivo possível”, afirmou o piloto de 43 anos.

“Pensei muito na continuidade do projeto solo, mas para mim já não fazia mais sentido. Não teria um diferencial, no caso do Sertões. Mas, a médio e longo prazo, meu objetivo é seguir o projeto solo nos maiores ralis do mundo”, explicou.

“No entanto, chegou a hora de me testar como piloto mesmo. No ano passado, foi difícil saber o quanto minha pilotagem foi comprometida, pelo fato de estar navegando junto”, lembrou Youssef, que mesmo com todas as dificuldades conquistou um excelente resultado, sendo o segundo na T2 Production e 10º no geral entre os carros em 2022.

“Minha expectativa para este ano é a melhor possível e estou realmente muito animado. Buscar algo inédito, que é a Tríplice Coroa, me deixa ainda mais motivado. Hoje, me vejo numa fase, como competidor de rali, muito mais de buscar realizações no sentido de coisas inéditas, de me desafiar mesmo e provar que é possível”, ressaltou o piloto que vai correr com a equipe R Mattheis, uma das mais importantes do rali nacional, comandada por Rodolpho Mattheis.

Youssef também elogiou a parceria com Quirrenbach, com quem já fez alguns testes durante especiais da Mitsubishi Cup, onde trabalham juntos desde o ano passado. “O Igor correu os dois últimos anos no Sertões, com um carro idêntico ao que vamos usar este ano, então, ele já tem uma experiência com o carro, com o ritmo do carro. É um navegador superpremiado no regularidade e o histórico dos navegadores do regularidade mostra que eles se tornam bons também no cross-country”, destacou.

Bicampeão do Sertões como navegador nas categorias Regularidade Master (2020) e T2 Produciton (2021), o paranaense Quirrenbach, de 43 anos, parte para a sua sexta participação na prova e também está muito motivado com a parceria ao lado de uma das maiores referências da sua posição no rali.

“Recebi outros convites, mas dei preferência para andar com o Youssef, que é um dos navegadores mais experientes do Brasil. Sei que apenas em um Sertões não será possível aprender tudo o que ele sabe, mas quero tentar absorver uma boa parte deste conhecimento e adquirir uma bagagem bem grande para os próximos anos”, observou o navegador.

Um Sertões na Essência

Com o mote: ‘Nosso palco é o Brasil’, a 31ª edição do Sertões será uma volta às origens. A disputa contará com formato mais compacto, em laços e com deslocamentos mais curtos. No entanto, o percurso é considerado um dos mais exigentes e desafiadores.

A edição estará concentrada em cinco cidades: Petrolina/PE, Xique-Xique/BA, Crato/CE, Sobral/CE e Cruz/CE. Serão 3.800 km no total, 2.080 km cronometrados.

A largada e o prólogo acontecem em Petrolina, de onde os competidores também largarão para a etapa Maratona, rumo a Xique-Xique. Serão oito etapas no total.

“Vai ser um Sertões na essência, um rali muito duro, principalmente, a parte das areias de Xique-Xique, que é uma especial que eu já fiz umas duas ou três vezes e é muito desafiadora. Mas o rali todo tende a ser muito duro, pela geografia da região, com desafios tanto no piso, quanto na navegação e transposição de obstáculos”, analisou Youssef.

Quirrenbach também destacou a preocupação com a possibilidade de correrem ao anoitecer. “Como a T2 é a última a largar no Sertões, vamos largar tarde e chegar tarde todos os dias. Uma preocupação nossa é ‘anoitecer’ na trilha, como já aconteceu no ano passado. E isso é um desafio muito grande, porque a poeira de dia já é difícil e no escuro fica mais complicado ainda para ver os obstáculos e acelerar nessas condições. Então, temos de fazer o máximo possível para acelerar durante o dia”, completou o navegador.

O piloto Youssef Haddad e o navegador Igor Quirrenbach disputam o Sertões 2023 com o patrocínio da Mitsubishi Motors, SFI Chips e Hipper Freios e apoio da Sparco e Spinelli Racing.

Principais Conquistas:

Youssef Haddad – Piloto

- Tricampeão do Sertões (geral)

- Bicampeão Brasileiro de Rally Cross Country

- Terceiro Lugar no Rally Dakar 2011

- Campeão Troféu Rookie Rally Dakar 2009

- Campeão do Desafio Inca em 2013

- Terceiro Lugar no Rally do Marrocos 2012

- Vice-campeão do Baja Portalegre 2017 – Etapa do Mundial

Igor Quirrenbach – Navegador

- Bicampeão do Sertões em 2020 no Regularidade (Navegador Master-Geral) e em 2021 no Cross Country (Navegador Production-T2)

- Campeão do Sertões Series em 2021 (Navegador Production-T2)

- Campeão Brasileiro em 2021 (Navegador Production-T2)

- Campeão do Transcatarina em 2018 (Navegador Graduados)

- Campeão da Copa Troller em 2018 (Navegador Graduados)

- Campeão do Mitsubishi Motorsports em 2017 (Piloto Turismo)

- Bicampeão do Transparaná em 2015 (Piloto Turismo) e em 2018 (Navegador Graduados)

 

Ricciardo de volta à F1 e de Vries demitido! Red Bull injusta? O que será de Pérez?

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast Motorsport.com debate impacto do 'ressurgimento' da McLaren na F1 2023

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Mundial de Rally: Moraes conquista novo apoiador e anuncia disputa internacional
Próximo artigo ”Super treino”: Moraes e Bentivoglio disputam Mundial na Espanha

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil