3º, Gomes lamenta calor e diz que poderia brigar pela pole

Vice-líder do campeonato destacou que aumento de temperatura influenciou em rendimento do carro e disse que corrida será em "mentalidade de ataque"

3º, Gomes lamenta calor e diz que poderia brigar pela pole
Marcos Gomes
Coletiva: Cacá, Marcos Gomes e William Lube
Marcos Gomes - Velopark - Treino classificatório
Marcos Gomes
Marcos Gomes
Carregar reprodutor de áudio

Marcos Gomes, atual campeão da Stock Car e vice-líder da temporada 2016, conquistou o terceiro lugar no treino de classificação para a ‘Corrida do Milhão’, realizado neste sábado (10).

Entrando na pista no último grupo da sessão, Gomes teve de lidar com uma pista mais quente e não conseguiu bater a marca de Rubens Barrichello, que larga na frente em Interlagos.

Dono da pole position na edição 2015 da prova, Gomes contou ao Motorsport.com Brasil que a mentalidade para a corrida deste ano será outra, levando-se em consideração também que o ‘push’ para a corrida é de 45 segundos, uma novidade para todos no grid.

“Um pouco diferente, a mentalidade é de ataque agora, largando na segunda fila. A corrida será uma novidade para todos, com o ‘push’ de 45 segundos. Acredito que todos passarão a tarde pensando nas variáveis para a prova e a gente vai fazer o nosso trabalho, tentando entender como será a estratégia dos nossos adversários e teremos alguém monitorando o uso do ‘push’ dos rivais”, disse.

Em seguida, o piloto da Cimed ressaltou que o aumento da temperatura foi o ‘vilão’ da vez, já que com o aumento da temperatura não foi possível superar o tempo de Barrichello, registrado em um asfalto menos quente.

“A pista veio piorando, esquentando demais. Cada grau que aumentava, a pista ficava pior. Por termos entrado no último grupo, tivemos prejuízo – não dá para dizer o quanto, mas tivemos. Do grupo do Rubinho para o nosso, a temperatura subiu quatro graus. Se estivéssemos nas mesmas condições, creio que teríamos brigado pela pole”, afirmou.

Por fim, Gomes destacou que o clima pode influenciar no gerenciamento dos carros durante a prova e é motivo de preocupação. “Preocupa, pois com o novo ‘push’ o desgaste dos pneus será maior. Se estiver calor como hoje, talvez tenhamos que poupar equipamento no início da prova”, completou.

Entrevista por Gabriel Lima

compartilhar
comentários
Após pole, Barrichello comemora 2º troféu Ayrton Senna
Artigo anterior

Após pole, Barrichello comemora 2º troféu Ayrton Senna

Próximo artigo

Em 2º, Ricardinho crê que tática de pushes será decisiva

Em 2º, Ricardinho crê que tática de pushes será decisiva
Carregar comentários