Últimas notícias
Stock Car Velopark 2

"Bebê chorão" e "perigo" para a Stock Car: Átila Abreu e Felipe Lapenna se detonam após 'treta' na classificação

Pilotos trocaram críticas contundentes após toque no treino classificatório para a rodada dupla do Velopark

Largada da corrida 1 da etapa de Santa Cruz do Sul da Stock Car

Depois da polêmica desclassificação de Lucas di Grassi da Corrida do Milhão, a Stock Car teve mais um episódio controverso neste fim de semana, no treino classificatório para a rodada dupla do Velopark, em Nova Santa Rita (RS).

Um toque entre Felipe Lapenna e Átila Abreu no final da primeira parte da sessão qualificatória deu o que falar, tanto na TV quanto nas redes sociais. Após o fim do Q1, Átila estava em ritmo lento e foi atingido lateralmente por Lapenna, que não recebeu a sinalização da bandeira quadriculada.

 

Marido da apresentadora Renata Fan, Átila seguiu na classificação, mas não pôde ir para a disputa da pole position, no Q3. Segundo o competidor da Shell V-Power, um dos motivos foi a avaria causada pelo toque do concorrente. Após sua eliminação, o sorocabano disse à SporTV que Lapenna era "um perigo" para a categoria.

O piloto da Cavaleiro Sports usou sua conta no Instagram para responder, alegando que o toque não foi proposital e chamando o rival de "bebê chorão". Ao Motorsport.com, os dois explicaram seus pontos de vista e reiteraram as manifestações feitas nas redes sociais e na televisão.

Leia também:

Confrontado pela versão de Lapenna, Átila ratificou que considera a batida proposital: "Eu corro há mais de 20 anos e sei quando é deliberado e quando não é. Ele pode falar o que quiser. Sei que ele deu de propósito. No meu ponto de vista, um piloto profissional não pode ter uma atitude desta".

Lapenna reiterou que não quis bater no colega: "Eu estava em volta rápida e ele lento. Tentei fazer tomada pra entrar na curva, só isso. E outra coisa, tenho certeza que o carro dele não entortou, é desculpa dele. O toque foi minimo".

A versão de Átila, porém, é outra: "Ele veio e deu na minha roda, tanto que desalinha meu carro e acaba me prejudicando no Q2. A troco de nada. Bater deliberadamente na lateral do adversário é inadmissível para quem se diz profissional. Por isso eu fui reclamar na TV".

Réplica de Lapenna: "Minha versão é exatamente o que esta ali na minha publicação. Foi uma coisa simples, tentei falar com ele numa boa depois e ele continuou sendo estúpido. Só que ele não precisa me arrebentar na TV ao vivo. Aí resolvi colocar nas redes sociais".

Questionado sobre a conversa com o colega, Átila disse: "Se eu publicar a mensagem que ele me mandou, você vai ver o tipo de piloto que ele é e o nível de jargão que ele usa, então vai dar para saber quem está certo e quem está errado".

Lapenna tem visão diferente: "Fui falar numa boa, mas vi que ele continuou achando que eu estava errado mesmo sem ter deixado eu explicar a minha versão, porque o erro não foi meu e nem dele. Ele nem deixou eu explicar, falou que acabei com o treino dele".

Quanto ao eventual erro na sinalização do fim do Q1, Átila respondeu: "Vamos supor que eu o atrapalhei: o correto seria ele fazer uma reclamação para os comissários. Mas dar na lateral de um concorrente porque achou que foi atrapalhado não é coisa de piloto".

Segundo Lapenna, houve uma reclamação: "Eu fui dizer que ele me atrapalhou, mas como tinha terminado o Q1, o Átila não podia ser punido e nem eu, porque não recebi a bandeirada. No final ninguém foi punido".

Confira todos os carros dos campeões da Stock Car em seus 40 anos de história

1979 - Paulo Gomes - Chevrolet Opala
1980 - Ingo Hoffmann - Chevrolet Opala
1981 - Afonso Giaffone Jr. - Chevrolet Opala
1982 - Alencar Jr. - Chevrolet Opala
1983 - Paulo Gomes (2) - Chevrolet Opala
1984 - Paulo Gomes (3) - Chevrolet Opala
1985 - Ingo Hoffmann (2) - Chevrolet Opala
1986 - Marcos Gracia - Chevrolet Opala
1987 - Zeca Giaffone - Chevrolet Opala
1988 - Fábio Sotto Mayor - Chevrolet Opala
1989 - Ingo Hoffmann (3) - Chevrolet Opala
1990 - Ingo Hoffmann (4) - Chevrolet Opala
1991 - Ingo Hoffmann (5) e Ângelo Giombelli - Chevrolet Opala
1992 - Ingo Hoffmann (6) e Ângelo Giombelli (2) - Chevrolet Opala
1993 - Ingo Hoffmann (7) e Ângelo Giombelli (3) - Chevrolet Opala
1994 - Ingo Hoffmann (8) - Chevrolet Omega
1995 - Paulo Gomes (4) - Chevrolet Omega
1996 - Ingo Hoffmann (9)  - Chevrolet Omega
1997 - Ingo Hoffmann (10) - Chevrolet Omega
1998 - Ingo Hoffmann (11) - Chevrolet Omega
1999 - Chico Serra - Chevrolet Omega
2000 - Chico Serra (2) - Chevrolet Vectra
2001 - Chico Serra (3) - Chevrolet Vectra
2002 - Ingo Hoffmann (12)  - Chevrolet Vectra
2003 - David Muffato - Chevrolet Vectra
2004 - Giuliano Losacco - Chevrolet Astra
2005 - Giuliano Losacco (2) - Chevrolet Astra
2006 - Cacá Bueno - Mitsubishi Lancer
2007 - Cacá Bueno (2) - Mitsubishi Lancer
2008 - Ricardo Maurício - Peugeot 307
2009 - Cacá Bueno (3) - Peugeot 307
2010 - Max Wilson - Chevrolet Vectra
2011 - Cacá Bueno (4) - Peugeot 408
2012 - Cacá Bueno (5) - Chevrolet Sonic
2013 - Ricardo Mauricio (2) - Chevrolet Sonic
2014 - Rubens Barrichello - Chevrolet Sonic
2015 - Marcos Gomes - Peugeot 408
2016 - Felipe Fraga - Peugeot 408
2017 - Daniel Serra - Chevrolet Cruze
2018 - Daniel Serra (2) - Chevrolet Cruze
40

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Fraga comemora 2º lugar no grid do Velopark e quer 1ª vitória no ano
Próximo artigo Stock: chefes de Eurofarma e Ipiranga disputam hegemonia no Velopark

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil