Confirmando saída da C2, Campos vê futuro “encaminhado"

Falando dos crescentes rumores no paddock, piloto paranaense pode estar a caminho de novo time com patrocínio da Prati-Donaduzzi

Confirmando saída da C2, Campos vê futuro “encaminhado"
Julio Campos em Cascavel
Julio Campos
Julio Campos
Carro de Julio Campos e Alan Hellmeister
Carregar reprodutor de áudio

O dominó da temporada de boatos no paddock da Stock Car parece estar prestes a começar a cair nos próximos dias. Após a saída da Red Bull da equipe de Andreas Mattheis e a transferência de Cacá Bueno para a Cimed, muitas são as incertezas para o próximo ano.

Uma das grandes questões do momento é o retorno de um velho patrocinador. A Prati-Donaduzzi, que abandonou a categoria no ano passado na equipe Mico’s, poderá retornar ao campeonato no ano que vem com a mesma dupla de pilotos de 2015.

Os comentários são de que Antonio Pizzonia, fora do campeonato neste ano, e Julio Campos estariam no time – que pode ser uma das equipes Mattheis, já que a Shell também deverá abandonar a escuderia de Rodolpho Mattheis.

Questionado pelo Motorsport.com em Londrina, Campos se disse seguro de seu futuro na Stock Car.

“Estamos muito bem encaminhados”, iniciou.

“Eu saio da C2 no ano que vem, mas o destino ainda não está acertado. Mas já está decidido que vou sair deste time.”

Falando sobre o envolvimento com a Prati, ele se mostrou otimista quanto a um retorno. “O que eu sei é que a empresa nunca quis sair do automobilismo nacional.”

“Mesmo quando saiu, tentaram lutar até o fim para continuar. É uma empresa grande que cresce a cada ano, e espero que eles consigam retornar. São apaixonados pelo automobilismo têm tudo a ver com o este esporte e são uma das grande empresas farmacêuticas. Torço para que estejam de volta no grid no ano que vem.”

“(Quanto a mim), vamos esperar as cenas dos próximos capítulos.”

Volta de Londrina

Paranaense, o piloto comemorou também o retorno da Stock Car a Londrina. Não só pela pista, mas também, pela cidade.

“Para nós, que moramos aqui no Paraná, é sempre bom ter este trabalho de reestruturação das pistas”, falou.

“Na verdade, faltou só uma curva para asfaltar direitinho - o fim do curvão da reta oposta. Mas a pista melhorou bastante desde a última vez que nós viemos correr aqui. Eu gosto muito daqui, Londrina é uma cidade muito bacana. É um povo muito hospitaleiro e tem a estrutura para receber a Stock Car. Estou muito feliz de estar de volta aqui.”

compartilhar
comentários
Em 3º, Fraga tem como principal objetivo bater Max Wilson
Artigo anterior

Em 3º, Fraga tem como principal objetivo bater Max Wilson

Próximo artigo

Fraga sobra em Londrina e vence primeira prova

Fraga sobra em Londrina e vence primeira prova