Últimas notícias

Categoria elétrica de rali, Extreme E terá corrida na Amazônia de Santarém

Com o objetivo de promover a preservação dos ecossistemas e a conscientização ambiental, novo campeonato virá ao Brasil

Extreme E prototype

Nova categoria de rali para carros elétricos, o Extreme E (XE) passará pela Amazônia em sua temporada inaugural, em 2021. Uma parte danificada da floresta no estado do Pará, na região de Santarém, foi confirmada como o segundo local que o campeonato visitará.

Uma região da Groenlândia foi a primeira rodada a ser confirmada no cronograma inaugural do XE. Agora, foi a vez da floresta amazônica. "Estou muito satisfeito por estarmos indo para a Amazônia na primeira temporada", disse o CEO do XE, Alejandro Agag, que também chefia a Fórmula E.

Leia também:

Com o objetivo de conscientizar o público da necessidade de reduzir as emissões de CO2, o XE foi lançado no início deste ano e deve ter corridas no Ártico e no Himalaia, além de provas em áreas desérticas e costeiras que foram danificadas pelas mudanças climáticas.

Para dar visibilidade à causa, a categoria já tem conversas adiantadas com nomes famosos para seu grid inaugural. Entre eles, dois brasileiros: Lucas di Grassi, campeão da Fórmula E; e Bruno Senna, sobrinho de Ayrton Senna e campeão de endurance. Ambos passaram pela Fórmula 1.

O CEO do XE falou mais sobre os princípios ambientais da categoria: “O Extreme E tem como objetivo ser uma ferramenta para destacar os problemas que o planeta enfrenta e seus ecossistemas únicos - e há poucos locais mais relevantes nesse sentido do que a Amazônia".

Quer assistir F2, F3 e Indy de graça? Se inscreva no DAZN e tenha acesso grátis por 30 dias a Fórmula 2, Fórmula 3, Indy e uma série de eventos esportivos. Cadastre-se agora clicando aqui.

“Várias questões afetam a saúde da floresta, com o desmatamento e os incêndios entre os tópicos neste momento. Onde víamos florestas intocadas há um mês, agora foi tudo dizimado pelo fogo", alertou Agag, mencionando as recentes queimadas na Amazônia. 

O assunto foi muito discutido em todas as esferas da sociedade. No automobilismo, não foi diferente. Entre os principais nomes que se manifestaram sobre a questão, está o britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, pentacampeão mundial da Fórmula 1.

 

É devastador ver nosso mundo sofrer. A floresta amazônica está queimando a uma taxa recorde e houve 80% mais incêndios este ano em comparação com o ano passado. Os cientistas se referem à Amazônia como os pulmões da Terra, pois produz 20% do oxigênio que respiramos. Mais do que um campo de futebol está sendo destruído a cada minuto todos os dias, o mundo precisa se unir e ajudar. Se você ainda não o fez, poste sobre isso, é vital que continuemos a desencadear uma ação. Nações Unidas, se houver algo que eu possa fazer, estou pronto para ajudar da maneira que puder. #cureomundo #brasil #ore

Nesse sentido, o CEO da XE destaca que a etapa brasileira será realizada em um local sensível: "Nossa corrida será realizada na região de Santarém, no estado do Pará, que já foi desmatada e severamente impactada por danos causados ​​por incêndios".

Agag afirmou que o XE apoiará bombeiros voluntários que trabalham no Pará para "garantir o treinamento e o equipamento necessários para continuar com segurança e efetivamente realizar o incrível trabalho que eles já estão fazendo".

O CEO explicou: "Nosso objetivo é fornecer apoio, não apenas aos bombeiros profissionais dedicados, mas também aos moradores locais, que não possuem veículos, equipamentos e treinamento especializados".

Legado para a proteção ambiental

"Vamos aumentar a conscientização e deixar um legado positivo para a proteção ambiental da região. Na Amazônia, esses esforços envolverão plantar e proteger uma área do mesmo tamanho que o local da corrida, todos os anos do campeonato".

O XE também anunciou que dois técnicos brasileiros ajudarão a categoria na implantação das provas. “Com o apoio de especialistas independentes que conhecem a região e suas pressões de dentro para fora, levaremos um esporte com propósito para a Amazônia", disse Agag.

A organização do campeonato ainda continua a explorar locais para os eventos no Himalaia, no deserto e nas ilhas costeiras. Na galeria abaixo, você vê o conceito dos carros do recém-criado Extreme E:

Veloce Racing
Odyssey 21
Extreme E
Extreme E
Extreme E
Extreme E
Extreme E
Extreme E
Extreme E
Extreme E
10

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Verstappen relembra 'abandono' do pai e cobranças: "Ninguém foi mais duro que ele"
Próximo artigo Wolff acusa Ferrari de 'estar no limite do regulamento', Binotto retruca

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil