Brasileiro Gugelmin é campeão do Dakar 2022 nos UTVs; Al-Attiyah leva título dos carros e Sunderland das motos

Piloto catarinense e sua dupla, o americano Austin Jones, fecharam última etapa no terceiro lugar, à frente de rivais pelo campeonato

Brasileiro Gugelmin é campeão do Dakar 2022 nos UTVs; Al-Attiyah leva título dos carros e Sunderland das motos
Carregar reprodutor de áudio

Após o 'susto' na etapa anterior, onde perderam a liderança, Austin Jones (EUA) e seu navegador, o brasileiro Gustavo Gugelmin, levaram o título do Dakar 2022 nos UTVs. A dupla terminou a 12ª e última fase do rali, disputada nesta sexta-feira (14), na terceira posição e tomaram a ponta de Gerard Farres Guell e Diego Ortega Gil, que haviam os ultrapassado no último dia.

Leia também:

Rokas Baciuska e Oriol Mena ganharam a especial, que ainda contou com Rodrigo Luppi e Maykel Justo, os outros dois representantes do país, na vice-liderança. É a segunda vez que Gugelmin vence o Dakar, com a primeira sendo em 2018 ao lado de Reinaldo Varela, e o terceiro ano que o Brasil fatura o campeonato na divisão - o primeiro foi em 2017, com Leandro Torres e Lourival Roldan.

Top 5 final do Dakar 2022 após a 12ª etapa - UTVs

Pos. Piloto/Navegador Equipe Tempo Diferença Penalidade
1 401
(USA) AUSTIN JONES/(BRA) GUSTAVO GUGELMIN
CAN-AM FACTORY SOUTH RACING 47:22;50'   00:06:00
2 416
(ESP) GERARD FARRES GUELL/(ESP) DIEGO ORTEGA GIL
CAN-AM FACTORY SOUTH RACING 47:25:27 00:02:37  
3 414
(LTU) ROKAS BACIUSKA/(ESP) ORIOL MENA
SOUTH RACING CAN-AM 47:38:08 00:15:18 00:15:00
4 410
(POL) MAREK GOCZAL/(POL) LUKASZ LASKAWIEC
COBANT-ENERGYLANDIA RALLY TEAM 47:39:11 00:16:21  
5 403
(POL) MICHAL GOCZAL/(POL) SZYMON GOSPODARCZYK
COBANT-ENERGYLANDIA RALLY TEAM 47:51:18 00:28:28 00:32:00

Al-Attiyah confirma tetracampeonato com mais de 20 minutos de vantagem sobre Loeb

#201 Toyota Gazoo Racing Toyota: Nasser Al-Attiyah, Matthieu Baumel

#201 Toyota Gazoo Racing Toyota: Nasser Al-Attiyah, Matthieu Baumel

Photo by: Red Bull Content Pool

Nasser Al-Attiyah, da Toyota, conquistou seu quarto título após uma corrida dominante nos carros. Após bater na trave nos dois anos anteriores, o piloto do Catar liderou a 44ª edição do Dakar do início ao fim com a nova Hilux T1+, terminando em primeiro na classificação a 27m46s do vice-campeão, Sébastien Loeb.

Ele venceu apenas duas das 12 etapas, ambas na primeira semana, mas mostrou uma consistência notável ao longo do evento, enquanto seus rivais tiveram erros de navegação ou problemas mecânicos.

O resultado faz de Al-Attiyah o segundo piloto de maior sucesso na história da categoria de carros do Dakar, empatado com o finlandês Ari Vatanen e atrás apenas da contagem de oito vitórias de Stephane Peterhansel.

A chave para o triunfo do catariano foi a etapa de abertura perto de Ha'il, onde ele e o co-piloto Matthieu Baumel encontraram corretamente um waypoint complicado que complicou a maior parte do pelotão, incluindo Carlos Sainz, da Audi.

Isso deixou Loeb como o único rival sério de Al-Attiyah, mas o francês também foi forçado a recuperar o atraso quando um eixo de hélice em seu BRX Hunter preparado pela Prodrive quebrou no estágio 3, custando-lhe meia hora.

#211 Bahrain Raid Xtreme Prodrive: Sebastien Loeb, Fabian Lurquin

#211 Bahrain Raid Xtreme Prodrive: Sebastien Loeb, Fabian Lurquin

Photo by: Red Bull Content Pool

Na metade do rali, Al-Attiyah estava 50 minutos à frente do resto do pelotão graças a uma segunda vitória na quarta etapa, com dramas de navegação para Loeb dando mais um golpe em suas esperanças de uma vitória inédita no Dakar.

O francês ainda conseguiu reduzir a diferença para menos de 30 minutos no final da penúltima fase - antes de uma penalidade por excesso de velocidade desfazer parte de seu bom trabalho -, mas Al-Attiyah nunca esteve sob ameaça de perder a liderança, pois controlou seu ritmo com uma estratégia sem risco.

Terminando em 19º lugar no curto trecho final de 164 km entre Bisha e Jeddah, o piloto de 51 anos levou o título do rali pela primeira vez desde que o evento se mudou para a Arábia Saudita - suas três conquistas anteriores, em 2011 (Volkswagen), 2015 (X-raid Mini) e 2019 (Toyota) foram na era da América do Sul.

O segundo lugar marcou o melhor resultado conjunto de Loeb no Dakar, mas uma vitória geral continua a ser tabu para o nove vezes campeão do Mundial de Rali (WRC) em seis participações nos últimos sete anos.

O francês lutou regularmente à frente com o revisado BRX Hunter, vencendo o mesmo número de etapas que Al-Attiyah, mas nunca conseguiu se recuperar do que David Richards, da Prodrive, descreveu como um "erro de montagem" na terceira etapa.

Yazeed Al Rajhi foi o melhor dos independentes no Overdrive Toyota, terminando atrás de Loeb no pódio geral em terceiro.

#200 Team Audi Sport Audi: Stéphane Peterhansel, Edouard Boulanger

#200 Team Audi Sport Audi: Stéphane Peterhansel, Edouard Boulanger

Photo by: Red Bull Content Pool

A Audi mostrou a que veio com seu novo híbrido RS Q e-tron, vencendo quatro etapas em comparação com cinco para a Toyota e três para a Prodrive.

A fabricante alemã poderia muito bem estar na luta pela vitória geral em sua estreia no Dakar se não fosse por uma desastrosa etapa de abertura, onde todos os seus três pilotos tropeçaram.

Carlos Sainz perdeu mais de duas horas tentando encontrar a rota correta e o bicampeão do DTM Mattias Ekstrom também perdeu tempo em sua primeira participação na categoria. Stéphane Peterhansel sofreu o pior destino dos três, quebrando o eixo traseiro de seu carro e se retirando do palco.

No entanto, todos os três pilotos mostraram um ótimo ritmo depois disso e dominaram o rali após o dia de descanso, vencendo metade das etapas na segunda semana.

Ekstrom foi o mais bem colocado da Audi na classificação geral, em nono, enquanto o tricampeão do Dakar, Sainz, perdeu uma vaga no top 10.

Classificação final do Dakar 2022 após a 12ª etapa - Carros

Pos. Driver  Car  Time 
Nasser Al-Attiyah Toyota 38:33'03.
Sebastien Loeb Prodrive 39:00'49.
Yazeed Al-Rajhi Toyota 39:34'16.
Orlando Terranova Prodrive 40:00'26.
Giniel de Villiers Toyota 40:14'51.
Jakub Przygonski Mini/BMW 40:26'09.
M.Serradori Century 41:05'08.
S.Halpern Mini/BMW 41:11'29.
Mattias Ekström Audi 41:15'14.
10  Vaidotas Zala Mini/BMW 42:04'58.
11  Carlos Sainz Audi 42:12'24.
12  Michael Pisano Optimus 42:14'03.
13  B.Baragwanath Century 42:24'29.
14  Shameer Variawa Toyota 42:28'36.
15  C.Lavieille Optimus 42:35'45.
16  B.Ten Brinke Toyota 43:18'43.
17  L.E.Alvarez Toyota 43:29'39.
18  Cyril Despres Peugeot 43:31'25.
19  Ronan Chabot Toyota 44:21'49.
20  Martin Prokop Ford 45:17'12.

Sunderland termina atrás de Quintanilla na última etapa, mas garante título das motos por 3m27s

#3 Gasgas Factory Racing: Sam Sunderland

#3 Gasgas Factory Racing: Sam Sunderland

Photo by: Red Bull Content Pool

O piloto da GasGas, Sam Sunderland, garantiu a sua segunda coroa nas motos Dakar, mantendo a sua pequena vantagem na etapa final até Jeddah. O britânico foi para a corrida relativamente curta partindo de Bisha com quase sete minutos de vantagem sobre seu rival mais próximo, Pablo Quintanilla, da Honda.

Apesar de ter ficado em segundo na etapa, ele fez o suficiente para se manter à frente na classificação até o final, perdendo apenas 3m25s para o chileno, vencedor do estágio, e o superando por 3m27s na tabela.

É o segundo triunfo de Sunderland no Dakar - primeiro foi 2017, e um inédito para a KTM na era do rali na Arábia Saudita, o que encerrou uma série de duas vitórias da Honda.

Matthias Walkner completou o pódio geral para a KTM atrás de Quintanilla e 7m43s abaixo de Sunderland.

Sunderland controlou a edição de 2022 na maior parte do caminho, aproveitando a vantagem na segunda etapa e mantendo uma pequena lacuna sobre o grupo de perseguição no dia de descanso. Uma difícil sétima fase o derrubou na ordem, mas ele logo lutou para vencer a oitava e recuperar o primeiro lugar.

O britânico ainda chegou a perder a ponta para Adrien van Beveren após o décimo dia, mas um segundo lugar próximo do líder na penúltima etapa provou ser o golpe decisivo na luta pelo título.

Top 10 final do Dakar 2022 após a 12ª etapa - Motos

Pos. Piloto Equipe Tempo Diferença Penalidade
1 3
(GBR) SAM SUNDERLAND
GASGAS FACTORY RACING 38H 47' 30''    
2 7
(CHI) PABLO QUINTANILLA
MONSTER ENERGY HONDA 38H 50' 57'' 00:03:27 00:01:00
3 52
(AUT) MATTHIAS WALKNER
RED BULL KTM FACTORY RACING 38H 54' 17'' 00:06:47  
4 42
(FRA) ADRIEN VAN BEVEREN
MONSTER ENERGY YAMAHA RALLY TEAM 39H 06' 11'' 00:18:41  
5 88
(ESP) JOAN BARREDA BORT
MONSTER ENERGY HONDA 39H 13' 12'' 00:25:42 00:03:00
6 11
(CHI) JOSE IGNACIO CORNEJO FLORIMO
MONSTER ENERGY HONDA 39H 25' 36'' 00:38:06  
7 2
(EUA) RICKY BRABEC
MONSTER ENERGY HONDA 39H 33' 34'' 00:46:04 00:14:00
8 29
(EUA) ANDREW SHORT
MONSTER ENERGY YAMAHA RALLY TEAM 39H 33' 38'' 00:46:08  
9 43
(EUA) MASON KLEIN
BAS WORLD KTM RACING 39H 36' 37'' 00:49:07  
10 18
(AUS) TOBY PRICE
RED BULL KTM FACTORY RACING 39H 36' 50'' 00:49:20 00:06:00

TELEMETRIA DE FÉRIAS: RICO PENTEADO fala tudo sobre NOVO CARRO DA F1 que estreia em 2022

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #157 - Sucesso da F1 na Band e destaques de 2021: entrevista com editor Fred Sabino

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
Dakar: Marcelo Medeiros chega à frente na penúltima etapa nos quadriciclos
Artigo anterior

Dakar: Marcelo Medeiros chega à frente na penúltima etapa nos quadriciclos

Próximo artigo

Luto no Dakar: Mecânico da PH Sport morre em acidente na última etapa de 2022

Luto no Dakar: Mecânico da PH Sport morre em acidente na última etapa de 2022