Dakar: Hinkelmann e Bianchini ficam em 16º entre os Challenger na nona etapa

Conjunto do UTV T3 Max (FIA) Taurus #343 mantém o ritmo e o foco, completando a especial de 417 km do dia em 5h57m36s

Gunter Hinkelmann e Fabrício Bianchini

Gunter Hinkelmann e Fabrício Bianchini

Magnus Torquato

Gunter Hinkelmann e Fabrício Bianchini finalizaram a 9ª etapa do 46º Dakar, nesta terça-feira (16) com mais um resultado consistente. A dupla da MSL Rally manteve o desempenho e cruzaram a chegada da especial do dia com o 16º melhor tempo entre os carros da Challenger (UTVs T3), correndo os 417 quilômetros entre Hal’il e Al’Ula em 5h57m36s.

O bom resultado manteve o conjunto do UTV T3 Max (FIA) Taurus #343 no 25º lugar da tabela classificatória acumulada da divisão, somando 85h04m05s.

Leia também:

A 9ª etapa entregou vistas magníficas ao longo do percurso por um lado, e pegadinhas de navegação por outro. O primeiro quarto de prova foi de dunas e areões, que deu lugar a pistas um pouco mais firmes com pedregulhos, já nos planaltos rochosos.

No fim, um mar de fesh-feshes (areia fina) dominou o percurso. A falta de referências visíveis poderia complicar a corrida, e por isso  confiança entre a dupla será tão importante quanto a habilidade de cada um para encontrar o ritmo certo.

“Dakar é isso. Uma pedreira diferente a cada dia. Não existe corrida fácil. Mas a gente tenta equilibrar o foco e o prazer de competir. Hoje o carro não falhou, mas tivemos alguns erros que provocou penalidades. Mas seguimos firmes. É a nossa primeira participação e, se desconsiderar os penais, conseguimos performar muito perto dos experientes. E isso me deixa satisfeito. Falta pouco para o fim e nosso objetivo é terminar todas as especiais”, aponta piloto Gunter Hinkelmann.

A 10ª especial do 46º Dakar será em torno das rochas monumentais da região de Al’Ula. A prova em forma de laço, com 371 km de trecho cronometrado, promete obstáculos que colocará a prova a perícia de seus competidores. Será um labirinto com muitas mudanças de direção, poucas retas, e com menos dunas do que nas etapas anteriores. Qualquer erro pode ser fatal. Um trajeto que exigirá muita estratégia e foco. E, apesar das paisagens, estará muito longe de um passeio de lazer. 

O Dakar é o maior rali off-road do mundo e acontece sob regulamento do W2RC, o Mundial organizado pela FIA que conta com cinco etapas. A distância total percorrida pelos competidores da edição 2024 é de 7.891 km, nos quais 4.727 km são de especiais cronometradas. Este ano, o percurso do Dakar terá até 60% de trechos inéditos e em quase todas as etapas passam por dunas.

DRUGOVICH e BORTOLETO na mesma equipe de F1? Brasileiros falam sobre 2024 e ALÉM na ASTON e McLAREN

Norris na RBR? Sainz? Albon e franceses no centro dos rumores da F1

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Be part of Motorsport community

Join the conversation
Artigo anterior Brasil no Dakar: acidentes atrapalham representantes nacionais
Próximo artigo Dakar: Faltando três dias, Moraes vai segurando posição de pódio

Top Comments

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Sign up for free

  • Get quick access to your favorite articles

  • Manage alerts on breaking news and favorite drivers

  • Make your voice heard with article commenting.

Motorsport prime

Discover premium content
Assinar

Edição

Brasil