Fórmula 1
25 mar
Próximo evento em
61 dias
06 mai
Próximo evento em
103 dias
20 mai
Próximo evento em
117 dias
R
GP do Azerbaijão
03 jun
Próximo evento em
131 dias
10 jun
Próximo evento em
138 dias
24 jun
Próximo evento em
152 dias
R
GP da Áustria
01 jul
Próximo evento em
159 dias
R
GP da Grã-Bretanha
15 jul
Próximo evento em
173 dias
29 jul
Próximo evento em
187 dias
R
GP da Bélgica
26 ago
Próximo evento em
215 dias
02 set
Próximo evento em
222 dias
09 set
Próximo evento em
229 dias
23 set
Próximo evento em
243 dias
R
GP de Singapura
30 set
Próximo evento em
250 dias
07 out
Próximo evento em
257 dias
21 out
Próximo evento em
271 dias
28 out
Próximo evento em
278 dias
05 nov
Próximo evento em
286 dias
R
GP da Austrália
18 nov
Próximo evento em
299 dias
R
GP da Arábia Saudita
03 dez
Próximo evento em
314 dias
R
GP de Abu Dhabi
12 dez
Próximo evento em
323 dias

A Mercedes sabia que o calor era sua grande fraqueza na Fórmula 1

compartilhar
comentários
A Mercedes sabia que o calor era sua grande fraqueza na Fórmula 1
Por:

"Sabíamos que era o nosso calcanhar de Aquiles e estamos lidando com o problema desde o início da temporada", disse Toto Wolff

Chefe da equipe Mercedes na Fórmula 1, Toto Wolff disse que foi "doloroso" ver os carros de Valtteri Bottas e Lewis Hamilton prejudicados por problemas de resfriamento no GP da Áustria, no último fim de semana.

"Sabíamos que era o nosso calcanhar de Aquiles e estamos lidando com o problema desde o início da temporada", disse Wolff. "Tentamos trabalhar na mitigação da perda de desempenho, mas foi realmente doloroso não ser capaz de defender ou atacar”.

Leia também:

As duas ‘Flechas de Prata’ estavam executando a configuração máxima de resfriamento disponível em Spielberg, comprometendo o rendimento dos dois pilotos na etapa do Red Bull Ring.

Bottas terminou em terceiro e Hamilton foi quinto. O britânico ainda foi mais comprometido por danos na asa dianteira, que resultaram em um pit stop estendido para o pentacampeão mundial.

Wolff disse que o ambiente excepcionalmente quente, combinado com a altitude de 660m do Red Bull Ring, colocou a unidade de potência germânica além do seu limite. Ele reconheceu que controlar as temperaturas tem sido um problema durante todo o ano.

"Estávamos no limite, não podíamos fazer mais nada. Já era muito prejudicial para o desempenho. Não havia mais o que fazer. O próximo passo teria sido remover toda a carroçaria. Então essa não era realmente uma opção, porque os patrocinadores não teriam gostado!”, comentou o austríaco ao Motorsport.com.

"E nossos pilotos ainda conseguiram fazer alguns tempos de volta decentes. Acho que teríamos uma chance de lutar pela vitória, mas estávamos limitados pelos problemas de resfriamento".

"Eu teria esperado por um resultado um pouco melhor. Quando estávamos correndo em segundo e terceiro depois do erro de Max na largada, era o melhor cenário possível. Então chegar em terceiro e quinto é um pouco pior".

Wolff admitiu que, com a atual onda de calor na Europa, a equipe precisa resolver os problemas de resfriamento nas próximas semanas. "Antes de tudo, estou realmente esperando pelo clima inglês típico em Silverstone, para que possamos ganhar um pouco de tempo para resolver nossos problemas”, comentou o bem-humorado dirigente.

"Mas não há dúvida, não temos alternativa senão consertar nossos problemas para as próximas corridas de Hockenheim e Budapeste. Não há outra opção".

F1: Red Bull não entende como Verstappen foi tão rápido na Áustria

Artigo anterior

F1: Red Bull não entende como Verstappen foi tão rápido na Áustria

Próximo artigo

Chefe da Ferrari critica decisão de não voltar aos pneus de 2018

Chefe da Ferrari critica decisão de não voltar aos pneus de 2018
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Mercedes
Autor Adam Cooper