Ameaça de coronavírus deve causar adiamento de GP da China de F1

Corrida marcada para 19 de abril deve ter anúncio de adiamento ainda nesta quarta-feira

Ameaça de coronavírus deve causar adiamento de GP da China de F1
Carregar reprodutor de áudio

A F1 deveria realizar o GP da China, valendo pela quarta etapa do campeonato, mas o surto e a disseminação do coronavírus nas últimas semanas fizeram com que vários eventos esportivos na no país fossem cancelados ou adiados.

Sem melhorar a situação na China, fontes dizem que as autoridades locais concordaram que o evento não pode prosseguir como planejado originalmente.

Leia também:

Embora não tenha havido confirmação oficial, espera-se que a mudança para adiar o evento seja anunciada pela FIA e pela FOM iminentemente.

Como revelado recentemente, no entanto, a F1 ainda está tentando encontrar uma maneira de inserir a corrida no calendário no final do ano.

Entende-se que o assunto será discutido em uma reunião de dirigentes esportivos da F1 na quarta-feira, com uma ideia sendo explorada: mudar o GP de Abu Dhabi para dar espaço ao GP da China, em novembro.

Agora, há um intervalo de quatro semanas entre o GP do Vietnã, em 5 de abril, e o GP da Holanda, em 3 de maio.

É a primeira corrida a ser adiada desde o GP do Bahrain em 2011, que foi cancelado devido a distúrbios civis.

O adiamento da F1 segue um movimento semelhante ao da Fórmula E, que deveria visitar Sanya no dia 21 de março.

Mais de 44 mil casos de coronavírus foram confirmados na China, causando mais de 1.100 mortes, de acordo com os últimos dados oficiais.

O Ministério das Relações Exteriores da Inglaterra continua desaconselhando todas as viagens, exceto as essenciais, à China continental, enquanto a British Airways cancelou todos os voos para Pequim e Xangai até 1º de abril.

Relembre as curiosidades do GP da China de F1

2004 - A Pior
2004 - A Pior
1/15
O primeiro GP da China marcou a antítese de uma temporada dominada por Michael Schumacher. O alemão rodou na classificação (na época no formato de volta única) e largou de último. Na corrida, bateu com o austríaco Christian Klien, rodou sozinho e finalizou em uma distante 12ª posição. Para se redimir, ele fez a volta mais rápida da prova na última passagem...

Foto de: Bridgestone Corporation

2005 - A Pior (parte II)
2005 - A Pior (parte II)
2/15
Se o ano anterior tinha sido ruim, 2005 foi pior ainda para Schumi. Indo para o grid, ele bateu com o holandês Christjan Albers da Minardi. O alemão foi obrigado o largar dos boxes com o carro reserva. No meio da corrida, após a entrada do Safety Car, o piloto aquecia seus pneus quando perdeu o controle de seu carro e foi parar na caixa de brita. Game Over.

Foto de: Ferrari Media Center

2006 - Pneus novos x pneus usados
2006 - Pneus novos x pneus usados
3/15
Desta vez a sorte sorriu para Schumacher. Na pista molhada, a Renault resolveu trocar os pneus intermediários de Alonso. A decisão se provou ruim, já que, sem trocar, Schumaher e Fisichella (companheiro de Alonso na Renault) recuperaram uma desvantagem de 20 segundos em menos de dez voltas. Fernando perdeu a corrida para Schumacher, que na ocasião assumiu a liderança do campeonato. Mas foi por pouco tempo.

Foto de: Sutton Motorsport Images

2007 - Era só não errar...
2007 - Era só não errar...
4/15
O roteiro parecia pronto: saindo da pole, Hamilton estava predestinado a ganhar o título em seu primeiro ano na F1. Mas, por uma decisão ruim na gestão dos pneus intermediários, Lewis foi deixado sob ataque de Raikkonen. O finlandês passou e Hamilton tentou ir aos pits... mas ficou atolado na caixa de brita da entrada dos boxes. Ali o britânico começava a perder o título daquele ano.

Foto de: Sutton Motorsport Images

2008 - Pneus trocados
2008 - Pneus trocados
5/15
Se com Hamilton a McLaren teve uma de suas melhores corridas naquele ano, com o outro carro tudo deu errado. E isso por um erro primário da equipe: colocaram para Heikki Kovalainen os pneus dianteiros trocados – esquerdo no lugar do direito e vice-versa. O piloto reclamou muito do carro e acabou furando um dos pneus dianteiros antes de ter de abandonar.

Foto de: Sutton Motorsport Images

2009 - Faltou um pedaço do troféu?
2009 - Faltou um pedaço do troféu?
6/15
Era um dia perfeito para a Red Bull. A primeira vitória da equipe com dobradinha em uma chuvosa Xangai. Mas o troféu de construtores veio diferente dos outros entregues naquele dia. Faltou a argola do lado direito. Será que quebrou?

Foto de: Sutton Motorsport Images

2010 - Rodas ejetáveis
2010 - Rodas ejetáveis
7/15
A imagem que ficou para a história nesta corrida aconteceu logo no primeiro treino livre. Sebastien Buemi se aproximava do hairpin quando, ao frear, suas duas rodas dianteiras se desprenderam e fizeram o suíço virar passageiro dentro do carro. Segundo o time, peças novas da suspensão dianteira foram as causadoras do acidente no mínimo bizarro.

Foto de: Sutton Motorsport Images

2011 - Box errado
2011 - Box errado
8/15
Alvo da pressão de Vettel durante o primeiro stint da corrida, Button cometeu um grande erro ao entrar nos pits: confundiu a garagem da Red Bull com a da McLaren. O piloto perdeu a posição para o alemão após ter de se dirigir a seu box. Para piorar, o piloto perdeu nas últimas voltas o pódio para o outro piloto da equipe dos energéticos, Mark Webber, enquanto seu companheiro Hamilton vencia a primeira do ano.

Foto de: Sutton Motorsport Images

2012 - Roda solta
2012 - Roda solta
9/15
Fazendo a primeira fila, a Mercedes ganharia sua primeira corrida como equipe desde 1955 naquele dia com Nico Rosberg. Mas poderia ser uma dobradinha se o time não tivesse dado sinal para Michael Schumacher sair dos pits com a roda dianteira direita mal colocada. O heptacampeão foi o único a abandonar aquele GP.

Foto de: Sutton Motorsport Images

2013 - Roda solta (parte II)
2013 - Roda solta (parte II)
10/15
Derrotado por Vettel na Malásia após o alemão desobedecer uma ordem de não atacá-lo no fim da prova, Webber teve o início do azar que culminou em sua aposentadoria da F1. O piloto ficou sem combustível no meio do Q2 e foi obrigado a largar dos boxes. No meio da corrida, ele bateu em Vergne e quebrou sua asa dianteira. Isso lhe acarretaria uma punição para a prova seguinte, mas, antes disso, ele foi aos pits para trocar o bico e os pneus. Mal colocada, a roda traseira direita acabaria saindo na volta à pista.

Foto de: Sutton Motorsport Images

2014 - O GP que durou uma volta a menos
2014 - O GP que durou uma volta a menos
11/15
A corrida vinha se desenrolando de maneira normal até a penúltima volta. Foi quando um fiscal desavisado deu a bandeirada para Lewis Hamilton. O inglês achou estranho e comentou o ocorrido com seu time. Fato é que mais tarde, mesmo com 56 voltas disputadas, foi contado o resultado ao fim da volta 54.

Foto de: Sutton Motorsport Images

2015 - "Não quero te passar"
2015 - "Não quero te passar"
12/15
Já imaginou reclamar porque o piloto da frente está lento demais? Foi o que Nico Rosberg fez com Lewis Hamilton em 2015. Durante os primeiros stints, o inglês andava razoavelmente abaixo de seu ritmo quando se aproximava da parada. Rosberg, com medo de desgastar os pneus demais atrás de Lewis, achou a manobra desleal e reclamou na coletiva de imprensa. Era só ter passado, Nico...

Foto de: Sutton Motorsport Images

2016 - O GP sem abandonos
2016 - O GP sem abandonos
13/15
A prova chinesa de 2016 marcou o quarto GP da história da Fórmula 1 com todos os pilotos vendo a bandeirada. A temporada de 2016 ainda marcou a quinta prova sem abandonos, no GP do Japão.

Foto de: Sutton Motorsport Images

2017 - Emulou Schumacher... do jeito errado
2017 - Emulou Schumacher... do jeito errado
14/15
Provido à Mercedes após a aposentadoria de Nico Rosberg, Valtteri Bottas fazia apenas sua segunda prova pela equipe quando acabou sofrendo um grande revés na China. O finlandês rodou durante um Safety Car após colocar pneus de pista seca, lembrando em Schumacher em 2005. Ele ainda conseguiu voltar e finalizou a prova em sexto.

Foto de: LAT Images

2018 - De quase último a vitorioso em 27 horas
2018 - De quase último a vitorioso em 27 horas
15/15
Daniel Ricciardo viveu emoções bastante distintas no GP da China de 2018. O piloto teve uma falha no turbo no terceiro treino livre e quase não pôde participar da classificação devido a um reparo feito às pressas. Ele saiu no fim do Q1 e no final se classificou em sexto. Na corrida, com uma sorte em um Safety Car, ele trocou de pneus e passou por Verstappen, Hamilton, Vettel, Raikkonen e Bottas para ganhar a prova.

Foto de: Sutton Motorsport Images

compartilhar
comentários
Red Bull exibe nova pintura de carro para temporada 2020 da F1
Artigo anterior

Red Bull exibe nova pintura de carro para temporada 2020 da F1

Próximo artigo

Análise técnica: O que há de novo no carro da Ferrari de 2020

Análise técnica: O que há de novo no carro da Ferrari de 2020
Carregar comentários