ANÁLISE: Qual equipe da Fórmula 1 mais evoluiu de 2020 para 2021 em números?

Motorsport.com compara pontuação das escuderias em relação ao ano passado no mesmo período da temporada

ANÁLISE: Qual equipe da Fórmula 1 mais evoluiu de 2020 para 2021 em números?

As férias de verão oferecem uma oportunidade útil para fazer um balanço e uma comparação de como as coisas estão após 11 corridas da Fórmula 1 em 2021 em comparação a 2020. Isso significa olhar para a classificação após o GP de Eifel do ano passado, realizado em outubro durante o que foi um calendário muito diferente do atual.

Claro, a tabela do campeonato é apenas um momento instantâneo no tempo, que surge imediatamente após dois péssimos finais de semana para a Red Bull que distorceram o quadro geral e com um grande impulso à Alpine, que venceu o GP da Hungria.

Leia também:

No entanto, conforme avançamos para o que deveria ser a segunda metade da temporada - em face das incertezas do cronograma que significam que não sabemos quantas corridas realmente acontecerão - a classificação atual nos dá uma boa ideia de quem ganhou e quem perdeu.

Mercedes

2020: 1º, 391 pontos - 9 vitórias

2021: 1º, 303 pontos (-88) - 4 vitórias

Depois de 11 corridas, a Mercedes lidera os dois mundiais, assim como em 2020 - mas o quadro detalhado é muito diferente. A equipe venceu apenas quatro corridas, contra nove no ano passado, marcou 88 pontos a menos, uma queda de 22,5%, e sua vantagem atual sobre a Red Bull é de apenas 12, em vez da enorme diferença de 180 pontos em 2020.

E isso depois que Lewis Hamilton e escuderia se beneficiaram de duas corridas terríveis da Red Bull na Grã-Bretanha e Hungria, que viu a equipe de Milton Keynes acumular apenas cinco pontos, três deles provenientes da vitória de Max Verstappen na corrida sprint em Silverstone.

No ano passado, o heptacampeão tinha 230 pontos após 11 provas e o holandês era o terceiro com 147 - desta vez, a vantagem é de apenas 195 contra 187, com tudo em jogo. Valtteri Bottas, por sua vez, anotou apenas 108 tentos em comparação com 161 em 2020, uma queda de 53. Como time, a pontuação média por evento caiu de 33,7 em todo o ano passado para 27,5 em 2021.

Sergio Perez, Red Bull Racing RB16B, takes his grid position for the start

Sergio Perez, Red Bull Racing RB16B, takes his grid position for the start

Photo by: Andy Hone / Motorsport Images

Red Bull

2020: 2º, 211 pontos - 1 vitória

2021: 2º, 291 pontos (+80) - 6 vitórias

A Red Bull marcou 80 pontos a mais do que no mesmo período em 2020, apesar dos pesadelos que a viram anotar apenas cinco nos finais de semana em Silverstone e Budapeste. De fato, nas nove corridas anteriores, suas pontuações mais baixas com os dois carros foram os 25 obtidos em Ímola e Baku, e após a nona rodada na Áustria, estavam à frente da Mercedes por 286 pontos, contra 242, o que é um reflexo mais verdadeiro do desempenho real do que a situação atual.

Apesar das falhas recentes, a média por corrida aumentou de 18,7 para 26,4 neste ano. O verdadeiro sinal de progresso é que a Red Bull venceu apenas uma das 11 primeiras provas do ano passado, em comparação com seis em 2021. Apesar de algum azar, Sergio Pérez tem maior pontuação do que Alexander Albon como segundo piloto, somando 104, 40 a mais do que o tailandês havia alcançado no mesmo período em 2020.

Ferrari

2020: 6º, 80 pontos - melhor resultado: 2º

2021: 3º, 163 pontos (+83) - melhor resultado: 2º

A Ferrari claramente deu grandes passos na temporada, passando do sexto lugar em 2020 para o terceiro neste ano. Ao fazer isso, a equipe mais que dobrou seu total de pontos: de 80 para 163 - o aumento de 83 é o maior alcançado por qualquer equipe, incluindo a Red Bull.

A escuderia de Maranello tem uma média de 14,8 por corrida, em comparação com os 7,7 ao longo de todo o ano passado. Um fator-chave é que ambos os pilotos têm marcado bem, com Carlos Sainz registrando 83 e Charles Leclerc - que foi mais rápido, mas teve menos sorte - 80. Nesta fase, no ano passado, o monegasco tinha marcado um respeitável 63, mas seu então companheiro de equipe Sebastian Vettel tinha conseguido apenas 17.

No entanto, não se trata apenas de uma pontuação consistente. O ritmo melhorou muito, como evidenciado pelas pole positions de Leclerc em Mônaco e Baku e o fato de que ele manteve a liderança em Silverstone por tanto tempo.

McLaren

2020: 4º, 116 pontos - melhor resultado: 2º

2021: 4º, 163 pontos (+47) - melhor resultado: 3º

A McLaren teve um ganho de 47 pontos, mais de 40% em relação a esta época do ano passado e atualmente está em igualdade em pontos com a Ferrari. Porém, a equipe de Woking perde o desempate dos segundos lugares, ocupando o quarto lugar na classificação.

Nesta fase, em 2020, a escuderia estava na mesma posição, quatro pontos atrás da Racing Point, mas ao longo da temporada conseguiu o terceiro posto. Curiosamente, o ganho de 2021 deve-se inteiramente a Lando Norris, que conquistou três pódios e aumentou seu total de pontos de 65 para 113. Seu companheiro de equipe Daniel Ricciardo contribuiu com 50, apenas um a menos do que Sainz conseguiu após 11 corridas no ano passado.

O ritmo do carro foi demonstrado pelo britânico ser frequentemente o piloto fora de Mercedes/Red Bull mais rápido e, ocasionalmente, disputar com as duas protagonistas. A Hungria foi a primeira que a equipe saiu zerada em 2021. Sua média de pontos por corrida é 14,8, um aumento em relação aos 11,8 obtidos na temporada passada.

Alpine

2020: 5º, 114 pontos - melhor resultado: 3º

2021: 5º, 77 pontos (-37) - melhor resultado: 1º

Você pode se surpreender com a queda da antiga equipe Renault em relação ao ano passado. Apesar do GP da Hungria ter somado 37 pontos ao total, a Alpine está, por coincidência, 37 atrás do mesmo período em 2020, porque não vem registrando resultados nos 10 primeiros tão consistentemente como no ano passado.

Na verdade, Ricciardo marcou, sozinho, 78 pontos ao fim da primeira metade do ano passado, mais do que Fernando Alonso e Esteban Ocon contribuíram entre eles em 2021. A equipe ainda está em quinto lugar, mas atualmente a nove pontos à frente da AlphaTauri, enquanto no ano passado tinha uma vantagem de 34 sobre a Ferrari. A pontuação média geral da Alpine por corrida caiu de 10,6 em 2020 para 7,0 neste ano.

Fernando Alonso, Alpine A521, George Russell, Williams FW43B

Fernando Alonso, Alpine A521, George Russell, Williams FW43B

Photo by: Charles Coates / Motorsport Images

AlphaTauri

2020: 7º, 67 pontos - melhor resultado: 1º

2021: 6º, 68 pontos (+1) - melhor resultado: 3º

Em termos de pontuação geral, a AlphaTauri tem sido notavelmente consistente, registrando 67 nesta fase no ano passado e 68 em 2021. Enquanto isso, a pontuação média por corrida é de 6,1 em comparação com 6,2 em toda a temporada de 2020. No entanto, a equipe subiu uma posição, de sétimo para sexto, e atualmente está bem à frente da Aston Martin, por 20 pontos.

No ano passado, a escuderia havia acabado de receber um impulso de 25 tentos com a vitória de Pierre Gasly em Monza. O total atual reflete uma pontuação muito mais regular ao longo da temporada, com o francês regularmente entre os seis primeiros e mostrando o melhor ritmo do carro em uma volta. Graças a esse placar da Itália, sua contribuição pessoal tem sido praticamente a mesma, com 50 pontos contra 53 no ano passado - e você pode se surpreender ao saber que seu companheiro de equipe Yuki Tsunoda superou Daniil Kvyat, o homem que ele substituiu, por 18 a 14.

Esteban Ocon, Alpine A521, Sebastian Vettel, Aston Martin AMR21, as they put a lap on Antonio Giovinazzi, Alfa Romeo Racing C41

Esteban Ocon, Alpine A521, Sebastian Vettel, Aston Martin AMR21, as they put a lap on Antonio Giovinazzi, Alfa Romeo Racing C41

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

Aston Martin

2020: 3º, 120 pontos - melhor resultado: 3º

2021: 7º, 48 pontos (-72) - melhor resultado: 2º

A antiga formação da Racing Point deu o maior passo para trás de qualquer equipe em 2021, vendo seu total de pontos cair em 60%: de 120 para 48, enquanto escorregava do terceiro para o sétimo lugar.

Claro, os 18 perdidos com a desqualificação de Vettel na Hungria teriam feito uma grande diferença e colocado a equipe em sexto, à frente da AlphaTauri. No entanto, não se esqueça de que 15 pontos também foram perdidos com a penalidade de "cópia" imposta no ano passado, então o total real foi de 135 e, portanto, a queda geral no desempenho é indiscutivelmente ainda mais dramática.

Pérez pontuou com consistência no ano passado, registrando 68 nesta fase, e Lance Stroll o apoiou bem, com 57. Este ano, Vettel somou 30 pontos e o canadense apenas 18, e a taxa de pontuação geral da escuderia por corrida caiu de 11,8 para 4,3.

Williams

2020: 10º, 0 pontos - melhor resultado: 11º

2021: 8º, 10 pontos (+10) - melhor resultado: 7º

Zero a dez pontos representa um grande ganho para a Williams em relação ao ano passado, e o salto de duas posições do 10º para o oitavo reflete a forma cada vez melhor da equipe de Grove.

George Russell tem sido a estrela qualificando-se regularmente entre os dez primeiros e demonstrando o ritmo do carro em uma volta - embora o britânico seja o primeiro a admitir que é muito mais difícil manter essa forma aos domingos.

Todos os 10 pontos foram marcados na Hungria, onde Nicholas Latifi e o companheiro de escuderia aproveitaram ao máximo a oportunidade oferecida pela alta taxa de abandonos.

Alfa Romeo

2020: 8º lugar, 5 pontos - melhor resultado: 9º

2021: 9º lugar, 3 pontos (-2) - melhor resultado: 10º

A Alfa Romeo marcou menos pontos e perdeu uma posição para a Williams em comparação a 2020, mas no geral tem potencial para estar à frente - o que a equipe não fez foi aproveitar ao máximo as oportunidades disponíveis nas caóticas corridas de Baku e Hungria, com apenas um 10º lugar em cada uma.

Quatro provas em 11º indicam que o total poderia facilmente ter parecido mais respeitável, especialmente porque o carro frequentemente mostrou velocidade melhorada em relação ao ano passado.

Haas

2020: 9º lugar, 3 pontos - melhor resultado: 9º

2021: 10º lugar, 0 pontos - melhor resultado: 12º

A Haas sabia que estava, na verdade, jogando fora a temporada de 2021 ao contratar dois estreantes e concentrando recursos no carro do próximo ano, e isso se refletiu no desempenho na pista, com Mick Schumacher e Nikita Mazepin regularmente qualificando e correndo na retaguarda.

No entanto, é fácil esquecer que os veteranos Romain Grosjean e Kevin Magnussen conseguiram apenas três pontos entre eles no ano passado.

Conclusão

Então, qual time melhorou mais em 2021? Claramente, a Red Bull deu um passo: de perseguir a Mercedes para normalmente estar à frente, pelo menos com um carro, e seis vitórias representam um resultado excelente, apesar das recentes frustrações na Grã-Bretanha e Hungria.

No entanto, nosso voto tem que ir para a Ferrari. A equipe obteve o maior ganho geral de pontos, mais do que dobrando sua pontuação, e subiu três posições na tabela - grande avanço para qualquer escuderia um ano. O time de Maranello também registrou duas poles, enquanto em 2020 ficou de fora de muitos Q3.

É uma conclusão que o chefe Mattia Binotto também chegou, como apontou na Hungria: "É mais do que o dobro para o mesmo número de provas. Se olharmos para todo o grid, somos os que mais ganharam."

"Analisando o tempo de volta e ritmo puro do carro, pegando a qualificação como exemplo porque é onde estamos todos com o desempenho máximo, se pegarmos a média de toda a temporada, [em 2020] estávamos 1s4 segundos longe da pole. Hoje a distância é 0s7. Não é desprezível, estamos cientes disso, mas ainda acho que reduzirmos a diferença pela metade é encorajador, porque mostra que a direção é a certa."

Lewis Hamilton, Mercedes W12, battles with Carlos Sainz Jr., Ferrari SF21

Lewis Hamilton, Mercedes W12, battles with Carlos Sainz Jr., Ferrari SF21

Photo by: Charles Coates / Motorsport Images

Diferença de pontos após 11 corridas de 2020 a 2021

1. Ferrari: +83

2. Red Bull Racing: +80

3. McLaren: +47

4. Williams: +10

5. AlphaTauri: +1

6. Alfa Romeo: -2

7. Haas: -3

8. Renault/Alpine: -37

9. Racing Point/Aston Martin: -72

10. Mercedes: -88

Diferença de pontos após 11 corridas de 2020 a 2021 por porcentagem

1. Ferrari: +103,75%

2. McLaren: +40,51%

3. Red Bull: +37,91%

4. AlphaTauri: +1,49%

5. Mercedes: -22,5%

6. Renault/Alpine: -32,4%

7. Alfa Romeo: -40,00%

8. Racing Point/Aston Martin: -60,00%

- Williams

- Haas

Diferença de posição no campeonato após 11 corridas de 2020 a 2021

Ferrari: (6º a 3º) +3

Williams: (10º a 8º) +2

AlphaTauri: (7º a 6º) +1

Mercedes: (1º a 1º) 0

Red Bull: (2º a 2º) 0

McLaren: (4º a 4º) 0

Renault/Alpine: (5º a 5º) 0

Alfa Romeo: (8º a 9º) -1

Haas: (9º a 10º) -1

Racing Point/Aston Martin: (3º a 7º) -4

Charles Leclerc, Ferrari SF21

Charles Leclerc, Ferrari SF21

Photo by: Zak Mauger / Motorsport Images

F1: Conheça a INCRÍVEL história da PRISÃO de MIKA HAKKINEN horas antes do GP da Grã-Bretanha

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Luciano Burti abre o jogo sobre F1, Globo e ausência na Band

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
Zhou vê duas opções para estrear na F1 em 2022: Williams e Alfa Romeo
Artigo anterior

Zhou vê duas opções para estrear na F1 em 2022: Williams e Alfa Romeo

Próximo artigo

F1: Entenda o que é permitido e proibido nas férias da categoria

F1: Entenda o que é permitido e proibido nas férias da categoria
Carregar comentários