Fórmula 1
26 set
-
29 set
Evento encerrado
10 out
-
13 out
Evento encerrado
24 out
-
27 out
Evento encerrado
01 nov
-
03 nov
Evento encerrado
14 nov
-
17 nov
Evento encerrado
R
GP de Abu Dhabi
28 nov
-
01 dez
Próximo evento em
5 dias

Canadá poderá dar respostas-chave sobre pneus "confusos" da F1

compartilhar
comentários
Canadá poderá dar respostas-chave sobre pneus "confusos" da F1
Por:
5 de jun de 2019 19:36

Para engenheiro-chefe da Williams, prova em Montreal pode lançar algumas indicações sobre papel que o downforce está desempenhando nos pneus atuais da categoria

Com algumas equipes da F1, incluindo Ferrari e Haas, tendo dificuldades em colocar os pneus de 2019 da Pirelli na janela de temperatura correta, há uma crença no paddock de que níveis mais altos de downforce são necessários para ajudar a colocar mais potência por meio dos pneus.

Essa é uma das vias que a Ferrari, em particular, está analisando, com a suspeita de que seu carro eficiente em termos aerodinâmicos, não está trabalhando com seus pneus tanto quanto precisa.

Leia também:

O GP do Canadá deste fim de semana deve esclarecer melhor a situação para todas as equipes, avalia Dave Robson, engenheiro-chefe da Williams, porque tradicionalmente os times foram forçados a reduzir os níveis de downforce para minimizar o arrasto nas longas retas do Circuito Gilles Villeneuve.

Se isso causar problemas com pneus, porque eles não estão sendo trabalhados o suficiente, então isso poderia fornecer uma resposta clara sobre qual é a melhor rota para 2019.

"Acho que há o caso de que downforce e arrasto não fazem o que downforce e o arrasto devem fazer em termos simples, por causa da interação com os pneus", disse Robson.

"As pessoas normalmente pensariam em tirar o downforce no Canadá. Mas se você não conseguir fazer com que os pneus funcionem, talvez eles não funcionem tanto quanto o normal, então esse será um conjunto de dados interessante."

A Pirelli reduziu a espessura de seus pneus em 0.4 mm este ano para erradicar o superaquecimento e as bolhas que as equipes e pilotos não gostaram na temporada passada.

Mas uma das consequências dessa mudança é que ela mudou a janela de operação dos pneus para uma faixa de temperatura mais alta, o que mudou a abordagem que as equipes precisam.

Daniel Ricciardo, da Renault, disse: "Não era assim tão simples. Acho que até mesmo a maioria dos treinos de classificação deste ano, não quero dizer que não estamos confiantes, mas não acho que estamos realmente 100% certos sobre o que precisamos para fazer na volta de aquecimento.”

"Não tem havido realmente uma tendência até agora de realmente ser 100% certa. Ainda há um pouco para aprender com certeza, e de uma maneira que é legal porque há lugares que você pode melhorar nessa área."

Robson concordou que as equipes tiveram que reaprender muito sobre os pneus neste ano, porque eles se comportam de maneira muito diferentes pistas e superfícies.”

"Eu acho que foi interessante ouvir [em Mônaco] todos os outros rádios das equipes, porque mesmo na segunda volta no Q3, muitos pilotos ainda não sabiam o que fazer. É confuso, desafiador, mas tudo faz parte do esporte.”

"Esquentar os pneus dianteiros, esse é o problema principal, é muito difícil. Então você tem esse problema de querer uma coisa no sábado para aquela volta e domingo você quer algo diferente, e você não pode mudar nada.”

"É frustrante. Mas é o mesmo para todos, então é o caso de tirar o máximo proveito disso."

Próximo artigo
GALERIA: Relembre os últimos 10 vencedores do GP do Canadá de F1

Artigo anterior

GALERIA: Relembre os últimos 10 vencedores do GP do Canadá de F1

Próximo artigo

Ferrari vs Red Bull, Hamilton vs Bottas: o que está em jogo no GP do Canadá de F1?

Ferrari vs Red Bull, Hamilton vs Bottas: o que está em jogo no GP do Canadá de F1?
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP do Canadá
Autor Jonathan Noble