Últimas notícias

Carey: Gesto da Ferrari não ocorreria com antigo dono da F1

Novo CEO da Fórmula 1, Chase Carey acredita que atitude da Ferrari indique que esporte está passando por mudanças

Kimi Raikkonen, Ferrari with Thomas, a young fan

Kimi Raikkonen, Ferrari with Thomas, a young fan

Ferrari

Depois do abandono de Kimi Raikkonen na largada do GP da Espanha de Fórmula 1, o pequeno Thomas Danel de cinco anos foi mostrado pela TV chorando a ausência do ídolo na corrida. Sensibilizada, a Ferrari levou o menino ao paddock para conhecer Kimi.

A ação, mostrada pela TV durante a corrida, recebeu elogios e é algo que o representante da nova dona da F1 (Liberty Media), Chase Carey, descreveu como um "momento especial" que não teria acontecido sob a direção de Bernie Ecclestone e do grupo CVC.

"Tivemos toda essa imprensa em cima do garotinho que foi aos boxes, e eles (Ferrari) fizeram isso por conta própria, tendo uma sensação de liberdade que eles não teriam tido um ano atrás", disse ele.

"Eu não disse a eles para irem achar o menino. As pessoas que fizeram isso foram por conta própria. Pensei que seria um momento especial, e foi."

 

O fim de semana do GP da Espanha foi utilizado pela Liberty como oportunidade de realçar a experiência dos fãs na F1. Como resultado, a chamada Fan Zone apresentou uma tirolesa, desafios de pit stops e a chance de ganhar um passeio em um carro de dois lugares da Minardi.

Isso, combinado com a batalha roda a roda entre Lewis Hamilton e Sebastian Vettel pela vitória, deixou Carey extremamente satisfeito.

"Em Barcelona, não lançamos eventos de transformação, mas várias coisas que quase todo mundo diz que criariam um novo senso de energia e emoção", disse Carey.

"Como estamos conectando as várias partes, estamos encontrando um tremendo nível de entusiasmo que não existia, e até certo ponto você pode dizer que havia quase uma frustração para as pessoas que sentiram que não havia com o que se envolver.”

"Não há dúvida de que algumas coisas se moverão mais rápido do que outras.”

"Tivemos mais eventos, alguns grandes momentos como Vettel e Hamilton batendo roda. Isso foi bom."

Carey admitiu que a atenção com os fãs da F1 não estava devidamente atualizada. As áreas de produtos pareciam "um carnaval de 20 anos atrás", porque tinham apenas camisas das equipes. Ele diz que se concentrará em monetizar isso.

"Nós provavelmente poderíamos vender um patrocínio para a linha de tirolesa e ter lucro", disse ele.

"Nós não, mas eu posso imaginar um patrocinador certo querendo identidade com isso.”

"Com isso corretamente executado, devemos ganhar dinheiro e não gastar dinheiro, criando uma plataforma com mais de 100 mil pessoas e televisão.”

"Há uma pilha de pessoas que querem tirar proveito disso, e isso nos dá uma oportunidade de ganhar dinheiro."

Be part of Motorsport community

Join the conversation
Artigo anterior Apesar de ano sabático, Button não descarta retorno à F1
Próximo artigo Coluna do Massa: Toque com Alonso custou o 4º lugar

Top Comments

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Sign up for free

  • Get quick access to your favorite articles

  • Manage alerts on breaking news and favorite drivers

  • Make your voice heard with article commenting.

Motorsport prime

Discover premium content
Assinar

Edição

Brasil