Circuito de Barcelona renova com F1 e MotoGP até 2026 e anuncia projeto de renovação

Mas acordo com MotoGP deve fazer parte do novo plano de revezar provas na Espanha e em Portugal, reduzindo a presença desses países no calendário

Circuito de Barcelona renova com F1 e MotoGP até 2026 e anuncia projeto de renovação

O Circuito de Barcelona seguirá recebendo os GPs da Espanha de Fórmula 1 e da Catalunha de MotoGP até 2026 após chegar a um novo acordo com a organização dos eventos e as autoridades locais.

A pista espanhola tem uma das maiores sequências de GPs realizados do calendário atual da F1, fazendo parte da temporada desde 1991 sem interrupções. Mas o futuro a longo prazo da corrida era incerto nos últimos anos, devido a um envolvimento próximo das autoridades locais, e a necessidade de tornar o evento em algo que fizesse sentido em termos financeiros.

Leia também:

A F1 reforçou que o local, construído na onda da preparação para os Jogos Olímpicos de 1992, em Barcelona, será atualizado, para que ele fique no mesmo patamar de outros circuitos modernos do calendário.

"Queremos agradecer o promotor e as autoridades pelo engajamento e apoio, e mal podemos esperar para continuarmos construindo esse relacionamento nos próximos anos. Como parte do novo acordo, melhoras na pista e instalações serão feitas antes da prova de 2022, incluindo atualizações nos ambiciosos planos de sustentabilidade do circuito".

"Estamos felizes por anunciar esse acordo com o Circuito de Barcelona", disse Stefano Domenicali, CEO da F1. "Quero agradecer o promotor e as autoridades pelo entusiasmo e comprometimento de manter a Fórmula 1 em Barcelona, com as melhoras que serão feitas à pista e suas instalações, e pela chance de continuarmos nossa longa história juntos".

"As equipes e pilotos adoram correr no circuito e visitar Barcelona, e os fãs espanhóis seguirão vendo de perto seus ídolos Fernando Alonso e Carlos Sainz".

Roger Torrent, ministro catalão de negócios e trabalho e presidente do circuito, deixou claro que o aspecto de sustentabilidade foi chave para atingir o acordo.

"Celebramos a renovação desse contrato, que inclui uma cláusula de comprometimento mútuo, nos ajudando a tornar o Circuito de Barcelona em um modelo mundial de sustentabilidade neste tipo de instalação", disse.

"Queremos que o circuito seja um expoente da transformação 'verde' e a adaptação das infraestruturas às demandas da emergência climática".

Novo acordo com a MotoGP

Franco Morbidelli, Petronas Yamaha SRT race start

Franco Morbidelli, Petronas Yamaha SRT race start

Photo by: Gold and Goose / Motorsport Images

O circuito espanhol também confirmou um novo contrato para receber a MotoGP, mas em alternância com outros circuitos da Península Ibérica. O acordo vai até 2026, com Barcelona recebendo pelo menos mais duas edições do GP da Catalunha a partir de 2023.

"Essa renovação de contrato com o Circuito de Barcelona por mais cinco temporadas é, sem dúvidas, uma notícia fantástica para a MotoGP", disse Carmelo Ezpeleta, CEO da Dorna Sports. "Essa fantástica pista catalã está ligada à MotoGP desde o início da Dorna, e tem sido uma peça-chave do calendário ano após ano".

"Esse acordo importante que estende a colaboração até 2026 demonstra, mais uma vez, o comprometimento exibido pelo promotor com o nosso campeonato".

ALONSO na RED BULL? Veja 'FLERTES' do piloto com equipes da F1 e saiba como ele quase parou na BRAWN

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #148: O jogo virou a favor da Mercedes? Quem é o favorito ao título?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Red Bull diz que Mercedes não desfruta mais de vantagem "anormal" nas retas
Artigo anterior

F1: Red Bull diz que Mercedes não desfruta mais de vantagem "anormal" nas retas

Próximo artigo

F1 - Verstappen: "É mais barato pilotar sem cinto de segurança do que tocar em asa traseira"

F1 - Verstappen: "É mais barato pilotar sem cinto de segurança do que tocar em asa traseira"
Carregar comentários