Fórmula 1
R
GP da Austrália
12 mar
-
15 mar
Próximo evento em
50 dias
19 mar
-
22 mar
Próximo evento em
57 dias
02 abr
-
05 abr
Próximo evento em
71 dias
16 abr
-
19 abr
Próximo evento em
85 dias
30 abr
-
03 mai
Próximo evento em
99 dias
07 mai
-
10 mai
Próximo evento em
106 dias
21 mai
-
24 mai
Próximo evento em
120 dias
R
GP do Azerbaijão
04 jun
-
07 jun
Próximo evento em
134 dias
11 jun
-
14 jun
Próximo evento em
141 dias
25 jun
-
28 jun
Próximo evento em
155 dias
R
GP da Áustria
02 jul
-
05 jul
Próximo evento em
162 dias
R
GP da Grã-Bretanha
16 jul
-
19 jul
Próximo evento em
176 dias
30 jul
-
02 ago
Próximo evento em
190 dias
R
GP da Bélgica
27 ago
-
30 ago
Próximo evento em
218 dias
03 set
-
06 set
Próximo evento em
225 dias
R
GP de Singapura
17 set
-
20 set
Próximo evento em
239 dias
24 set
-
27 set
Próximo evento em
246 dias
08 out
-
11 out
Próximo evento em
260 dias
R
GP dos Estados Unidos
22 out
-
25 out
Próximo evento em
274 dias
29 out
-
01 nov
Próximo evento em
281 dias
12 nov
-
15 nov
Próximo evento em
295 dias
R
GP de Abu Dhabi
26 nov
-
29 nov
Próximo evento em
309 dias

Coluna do Carrapa: Com Leclerc, não há período de adaptação

compartilhar
comentários
Coluna do Carrapa: Com Leclerc, não há período de adaptação
Por:
, Colunista do Motorsport.com Brasil
6 de abr de 2019 15:50

Em sua coluna para o Motorsport.com, Ruben Carrapatoso, que acompanhou boa parte da carreira de Charles Leclerc no kart e nas categorias menores da Fórmula 1, fala sobre as características do piloto monegasco que surpreende a F1 desde o ano passado

Me lembro bem de Charles Leclerc antes de sua chegada à Fórmula 1. Quando era coaching do piloto Thiago Vivacqua, estivemos juntos na Fórmula Renault em 2014, quando o monegasco era companheiro de equipe do brasileiro. Nós comparávamos os dados, lado a lado, e víamos como ele era rápido. Uma de suas características era desenvolver velocidade logo nas primeiras voltas, ainda com pneus frios.

Vocês podem observar os anos pré-F1, em que ele conseguia títulos logo no primeiro ano. Ganhar campeonato de monoposto no primeiro ano, vindo do kart, é algo extremamente difícil e ele conseguiu essa façanha mais de uma vez, principalmente na GP3 e Fórmula 2.

Se observarem a carreira dos atuais pilotos do grid, fazer o que ele fez nesse período, é quase impossível, exceto por Max Verstappen, que é outro E.T.

Particularmente, sou fã do Charles Leclerc. Junto com Max Verstappen, eles são os melhores pilotos da atualidade. São caras com talento raiz, com automobilismo acima de tudo. Ignorar a recomendação de rádio, como foi feito no Bahrein, é ser raiz, diferente de outros perfis. É o mesmo perfil do Verstappen.

Mesmo sendo jovem, é o cara que quer estar em primeiro lugar acima de qualquer coisa. É claro que não se compara com o perfil de pilotos como Nelson Piquet ou até mesmo Ayrton Senna.

Tanto ele, como Verstappen, se adaptam a qualquer coisa. Se você der uma lambreta para o Charles e para o Max, eles já na primeira volta vão tirar o máximo possível. É essa qualidade deles que acho que é fora do comum. Se você tirá-lo da Ferrari e coloca-lo na Williams, ele vai tirar 100% do carro, não importa se é a primeira experiência. Outros pilotos precisam daquela fase de adaptação. Essa é a grande diferença.

Com ele não existe fase de adaptação, ele já chega dando 110%. Quando confirmaram o Leclerc na Ferrari eu disse: ‘aposentaram o Vettel’. Até porque o Vettel já tem o repertório de correr quando a coisa aperta, como na Red Bull. O Daniel Ricciardo estava cravando ele e o que foi que ele fez? Foi para a Ferrari.

Ele estava tranquilo na Ferrari com o Kimi Raikkonen e com certeza quando confirmaram o Charles o coração dele acelerou. Piloto conhece piloto. A gente sabe quando vem um companheiro de equipe que você para e pensa: ‘com esse cara eu vou precisar ralar’. Pilotos sabem muito bem onde estão pisando. Nós nunca vamos falar abertamente, mas, com certeza, Vettel vai trabalhar para evitar isso. Certamente ele vai dobrar o volume de trabalho que estava fazendo até o fim do ano passado.

 

Ruben Carrapatoso é um dos maiores nomes do kartismo brasileiro. Após inúmeros títulos nacionais e internacionais, em 1998 ele conquistou o título de Campeão Mundial de Kart, superando nomes como o do bicampeão da Fórmula 1, Fernando Alonso. Disputou a Fórmula Ford Inglesa, Fórmula Renault Italiana e Inglesa, A1GP, Super Turismo V8 Argentina e Stock Car Brasileira. Ele atua também como coaching de jovens pilotos e é engenheiro de dados da equipe C2 na Stock e no Brasileiro de Turismo. O piloto sempre viu no automobilismo a possibilidade de novas oportunidades de negócio fora da pista, onde criou a fábrica de carburadores RC-14, a ART Grand Prix fabricante de kart, o SKB – Super Kart Brasil, além do Pilo-X, a primeira plataforma de Experiencias voltadas exclusivamente ao MotorSport.

Próximo artigo
Hamilton supera Schumacher e é piloto mais bem pago da história da F1

Artigo anterior

Hamilton supera Schumacher e é piloto mais bem pago da história da F1

Próximo artigo

Senna teve encontro secreto com a Ferrari 4 dias antes de morrer: 'Quero aposentar aqui'

Senna teve encontro secreto com a Ferrari 4 dias antes de morrer: 'Quero aposentar aqui'
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Ruben Carrapatoso