Fórmula 1
R
GP da Austrália
12 mar
-
15 mar
Próximo evento em
50 dias
19 mar
-
22 mar
Próximo evento em
57 dias
02 abr
-
05 abr
Próximo evento em
71 dias
16 abr
-
19 abr
Próximo evento em
85 dias
30 abr
-
03 mai
Próximo evento em
99 dias
07 mai
-
10 mai
Próximo evento em
106 dias
21 mai
-
24 mai
Próximo evento em
120 dias
R
GP do Azerbaijão
04 jun
-
07 jun
Próximo evento em
134 dias
11 jun
-
14 jun
Próximo evento em
141 dias
25 jun
-
28 jun
Próximo evento em
155 dias
R
GP da Áustria
02 jul
-
05 jul
Próximo evento em
162 dias
R
GP da Grã-Bretanha
16 jul
-
19 jul
Próximo evento em
176 dias
30 jul
-
02 ago
Próximo evento em
190 dias
R
GP da Bélgica
27 ago
-
30 ago
Próximo evento em
218 dias
03 set
-
06 set
Próximo evento em
225 dias
R
GP de Singapura
17 set
-
20 set
Próximo evento em
239 dias
24 set
-
27 set
Próximo evento em
246 dias
08 out
-
11 out
Próximo evento em
260 dias
R
GP dos Estados Unidos
22 out
-
25 out
Próximo evento em
274 dias
29 out
-
01 nov
Próximo evento em
281 dias
12 nov
-
15 nov
Próximo evento em
295 dias
R
GP de Abu Dhabi
26 nov
-
29 nov
Próximo evento em
309 dias

Controversa zona de DRS é excluída do circuito de Silverstone

compartilhar
comentários
Controversa zona de DRS é excluída do circuito de Silverstone
Por:
9 de jul de 2019 20:46

A terceira área de abertura de asas utilizada no ano passado foi criticada por não ser considerada inútil e perigosa

O circuito de Silverstone voltará a ter apenas duas áreas de abertura de asa, após experimentarem uma zona adicional no ano passado que ia do final da última curva até a entrada da curva 3. Isso era parte do esforço para usar mais zonas de DRS e aumentar as ultrapassagens em diversas pistas do calendário.

Leia também:

No entanto, muitos carros não tinham pressão aerodinâmica suficiente para aproveitar a abertura de asa no trecho e completar as ultrapassagens. Romain Grosjean e Marcus Ericsson colidiram na curva após falharem em desabilitar a asa móvel em tempo, enquanto Lewis Hamilton descreveu a nova área como “uma espécie de exercício sem propósito e meio perigoso”.

Esta foi a primeira vez que este tipo de opção esteve disponível desde a introdução do DRS no começo de 2011. Neste ano, os pilotos voltarão a poder abrir a asa móvel e reduzir o arrasto apenas nas retas Wellington e Hangar. Agora sabe-se que os acidentes do ano passado tiveram peso na decisão de cortar a terceira zona, mas um fator importante mais importante foi que ela fazia pouca diferença para os pilotos.

Após a corrida de 2018, o então diretor de corridas da FIA Charlie Whiting defendeu o aspecto de segurança de permitir aos pilotos usarem o DRS nas duas primeiras curvas, dizendo que as colisões foram consequências das "escolhas dos pilotos”.

Ele também admitiu que a nova zona de DRS ajudou muito pouco nas ultrapassagens e que não foi tão efetiva quanto esperado em permitir aos pilotos perseguirem os oponentes ao longo da primeira sequência de curvas, o que supostamente lhes daria uma vantagem na segunda zona de abertura de asas.

Marcus Ericsson, Sauber C37, leads Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-18

Marcus Ericsson, Sauber C37, leads Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-18

Photo by: Andrew Hone / LAT Images

Próximo artigo
Conselheiro da Red Bull: "Estamos tentando fazer Gasly acelerar'"

Artigo anterior

Conselheiro da Red Bull: "Estamos tentando fazer Gasly acelerar'"

Próximo artigo

Novo chefe da McLaren pressiona equipe por um novo túnel de vento

Novo chefe da McLaren pressiona equipe por um novo túnel de vento
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da Grã-Bretanha
Autor Scott Mitchell