Fórmula 1
02 jul
-
05 jul
Evento encerrado
09 jul
-
12 jul
Próximo evento em
01 Horas
:
27 Minutos
:
01 Segundos
16 jul
-
19 jul
Próximo evento em
7 dias
R
GP de 70º aniversário
06 ago
-
09 ago
Próximo evento em
28 dias
27 ago
-
30 ago
Próximo evento em
49 dias
03 set
-
06 set
Próximo evento em
56 dias
R
GP de Singapura
17 set
-
20 set
Canceled
24 set
-
27 set
Próximo evento em
77 dias
08 out
-
11 out
Canceled
R
GP dos Estados Unidos
22 out
-
25 out
Próximo evento em
105 dias
29 out
-
01 nov
Próximo evento em
112 dias
12 nov
-
15 nov
Próximo evento em
126 dias
R
GP de Abu Dhabi
26 nov
-
29 nov
Próximo evento em
140 dias

Domínio da Alfa Romeo, animais na pista e Moss barrado: veja sete curiosidades do primeiro GP da F1, que completa 70 anos

compartilhar
comentários
Domínio da Alfa Romeo, animais na pista e Moss barrado: veja sete curiosidades do primeiro GP da F1, que completa 70 anos
Por:
Co-autor: Guilherme Longo, Repórter
13 de mai de 2020 13:36

O GP da Grã-Bretanha de 1950 marcou o início da história da F1; confira curiosidades da prova

Neste 13 de maio, a Fórmula 1, principal campeonato de automobilismo do mundo, está completando 70 anos. Neste dia, em 1950, a categoria realizou sua primeira prova, o GP da Grã-Bretanha, no clássico circuito de Silverstone e o público viu uma 'limpa' de Giuseppe Farina, que fez pole, volta mais rápida e vitória.

Era o início de uma temporada que ficou marcada por uma grande batalha entre Farina e Juan Manuel Fangio, com cada piloto vencendo três provas e o italiano levando a melhor no final das contas, com 30 pontos contra 27 na classificação final.

Leia também:

Após o fim da Segunda Guerra Mundial, as corridas de automóveis retornaram ao cotidiano do continente europeu, com a Inglaterra voltando a organizar o GP da Grã-Bretanha, que não acontecia desde 1927. A prova acabou acontecendo em Silverstone em 1948, já que pistas como Brooklands e Donington Park não estavam em condições, por terem sido usadas durante o combate.

Com o sucesso do GP da Grã-Bretanha e de outros eventos pela Europa, a Comissão Esportiva da FIA anunciou a criação do Campeonato Mundial de 1950, com Silverstone recebendo a distinção de sediar a primeira etapa.

A primeira temporada consistiu de seis GPs europeus tradicionais, Grã-Bretanha, Mônaco, Suíça, Bélgica, França e Itália, com as 500 Milhas de Indianápolis completando o calendário. Outros países pleitearam uma prova, como Argentina, Holanda e Espanha, mas a FIA considerou sete um número suficiente de etapas.

Pela ocasião dos 70 anos do GP da Grã-Bretanha de 1950, que marca também os 70 anos da Fórmula 1, separamos sete curiosidades sobre a prova.

British Grand Prix atmosphere

British Grand Prix atmosphere

Photo by: Motorsport Images

1. Silverstone "arcaico" e a presença real no GP

Ao saber que receberiam a primeira prova do mundial, a organização do GP, que envolvia o exército britânico, percebeu que era necessário intensificar o trabalho para garantir que tudo daria certo, ainda mais quando descobriram que o Rei George VI e a Rainha Elizabeth haviam aceitado o convite para participar do evento.

A guerra havia acabado há cinco anos, mas o antigo aeródromo ainda estava um pouco incompleto.

"Era um pouco arcaico naquele momento", afirmou Murray Walker, um dos maiores comentaristas de F1 da história. "Havia arame farpado e concreto por todo lugar e prédios desativados. Acho que o exército estava buscando circuitos e acabou aceitando Silverstone como estava. Mas eles não viam o lugar como algo permanente".

O exército destinou 22 mil libras para melhorias no local e para o evento - a receita da venda de ingressos da prova de 1949 totalizou 17,7 mil libras, então parecia ser um orçamento realista, e a ideia era conseguir um lucro modesto.

2. Dois nomes diferentes

Por ter recebido a distinção de sediar a primeira prova da história do mundial de F1, a FIA nomeou a corrida como o GP da Europa. Era a primeira vez na história que esse título havia sido repassado para uma prova realizada fora da Itália ou da França.

Mesmo com esse nome, a prova é conhecida até hoje como o GP da Grã-Bretanha, já que a organização do evento incorporou o nome original do evento, usando no material de divulgação distribuído junto com o GP da Europa.

Giuseppe Farina, Alfa Romeo 158

Giuseppe Farina, Alfa Romeo 158

Photo by: Motorsport Images

3. Sem Ferrari, domínio absoluto da Alfa Romeo

O trabalho feito não foi suficiente para atrair a atenção da Ferrari, e a equipe de Maranello começou sua campanha apenas na segunda corrida, em Mônaco, realizada apenas uma semana depois. Essa decisão praticamente garantiu que a Alfa Romeo teria facilidade para vencer.

Após um ano fora das competições, a montadora de Milão estava de volta com tudo, e havia conquistado Juan Manuel Fangio, que estava se consolidando no mundo dos GPs. Porém, nem todos estavam felizes com sua chegada.

"O fato de eu ter sido contratado pela Alfa Romeo iniciou uma polêmica na imprensa italiana", relembrou Fangio em sua biografia. "Alguns defendiam uma equipe 100% italiana. Eles não gostavam da ideia de ter o principal carro italiano pilotado por um argentino".

Em seu retorno às pistas, a Alfa participou do GP de San Remo com apenas um carro, para Fangio, porque o segundo piloto contratado, Giuseppe Farina, estava se recuperando de um acidente sofrido na França. Isso levou a uma controvérsia, por não ter nenhum italiano correndo pela equipe.

Temendo um golpe negativo em sua imagem, a Alfa chegou a considerar não participar do evento. Mas Fangio, que ainda era relativamente desconhecido, convenceu a equipe a continuar. Ele venceu a prova, marcada pela chuva forte, e ganhou um contrato válido pelo resto do ano, incluindo as seis etapas europeias do novo mundial.

A Alfa foi com tudo para o GP em Silverstone, alinhando quatro de seus famosos modelos 158. Farina e Fangio tinham a companhia do veterano Luigi Fagioli e do convidado Reg Parnell, que substituiu Consalvo Sanesi, após acidente na Mille Miglia.

A Alfa não havia corrido nas edições anteriores da prova em Silverstone, então tinha que recuperar o tempo perdido. Dos três pilotos titulares, apenas Farina conhecia a pista, tendo corrido no local com a Maserati em uma prova realizada no ano anterior.

Porém, não houve surpresas quando a Alfa garantiu os quatro primeiros lugares no grid, com Farina na pole, seguido de Fagioli, Fangio e Parnell. O tailandês 'Príncipe Bira' foi o desafiante mais próximo, colocando sua Maserati em quinto.

Giuseppe Farina, Alfa Romeo 158, Luigi Fagioli, Alfa Romeo 158

Giuseppe Farina, Alfa Romeo 158, Luigi Fagioli, Alfa Romeo 158

Photo by: Motorsport Images

4. Stirling Moss barrado no GP

Stirling Moss tinha esperança de participar do evento principal, mas seu carro HWM com especificações de F2 acabou sendo rejeitado para correr no GP, para a frustração de seu chefe John Heath. Para o piloto, acabou restando a opção de correr nas provas de suporte.

A programação do dia começou com corridas de carros de menor potência, e nada mais apropriado que uma das vitórias acabasse ficando com um membro do exército, tão envolvido com a organização do local e do evento.

O comandante Frank Aikens pode não ser muito conhecido pelo mundo do esporte a motor, mas, na corrida, ele venceu grandes nomes, incluindo futuros vencedores do GP da Grã-Bretanha como Moss e Peter Collins.

Reg Parnell, Alfa Romeo 158

Reg Parnell, Alfa Romeo 158

Photo by: Motorsport Images

5. Um grid "velho" em comparação com os dias atuais

A média de idade dos pilotos que correram naquele GP em Silverstone em 1950 era de 39 anos, relativamente alta em comparação com o grid de 2019, que teve a média mais baixa da história da F1: 26 anos e três meses.

Três dos 21 pilotos alinhados no grid tinham 50 anos ou mais (Luigi Fagioli, 51, Louis Chiron, 50 e Philippe Etancelin, 53), enquanto outros cinco já estavam na casa dos 40, incluindo o vencedor Giuseppe Farina (43). O piloto mais jovem do grid era o britânico Geoffrey Crossley, que tinha 29 anos. Em comparação, Max Verstappen tinha 12 anos a menos que Crossley em sua estreia na F1.

6. Perigo: animal na pista

As Alfas tinham uma clara vantagem em termos de velocidade. No final, três dos quatro carros da montadora viram a bandeira quadriculada. Farina foi o primeiro, Fagioli o segundo e Parnell o terceiro.

A vitória de Farina foi relativamente confortável, tendo liderado 63 das 70 voltas da prova, cruzando a linha de chegada com 2s6 de vantagem para Fagioli, além de conquistr o ponto extra pela volta mais rápida.

Mas enquanto Farina teve um relativo conforto na corrida, Parnell sofreu com um grande susto no meio da corrida, após um encontro inesperado com uma lebre, animal comum da região. Segundo relatos da época, o choque com o animal causou danos significativos no capô do carro do piloto britânico. Com isso, o britânico terminou a mais de 50s de distância de Farina.

O melhor colocado além das Alfas foi o francês Yves Giraud-Cabantous, a bordo de uma Talbot Lago, em quarto lugar. Mas a diferença foi expressiva, com o piloto terminando duas voltas atrás de Farina.

Já Fangio não chegou a completar a prova. O argentino abandonou a corrida a oito voltas do final, com problemas em seu tubo de óleo.

O resultado em Silverstone deu o tom para o resto da temporada: os carros da Alfa de Farina e Fangio dominaram a temporada, vencendo as seis provas europeias. A montadora italiana só não venceu as 500 Milhas de Indianápolis, por não terem participado.

7. Na Inglaterra, uma saída à francesa da família real

Infelizmente, o Rei George VI não estava presente na hora da premiação para entregar os troféus. E isso foi frustrante para o rei, que foi instruído a sair antes da bandeira quadriculada.

Os chefes de polícia de Buckinghamshire e Northamptonshire insistiram nisso, afirmando que não poderiam garantir a segurança na rota de saída da família real se eles deixassem para sair tarde demais.

Mesmo há 70 anos, vencer o tráfego de Silverstone já era uma prioridade...

Giuseppe Farina is congratulated

Giuseppe Farina is congratulated

Photo by: Motorsport Images

GALERIA: Veja imagens do GP da Grã-Bretanha de 1950, primeira prova da F1

Galeria
Lista

Juan Manuel Fangio, Alfa Romeo

Juan Manuel Fangio, Alfa Romeo
1/22

Foto de: LAT Images

Juan Manuel Fangio, Alfa Romeo

Juan Manuel Fangio, Alfa Romeo
2/22

Foto de: LAT Images

Juan Manuel Fangio, Alfa Romeo

Juan Manuel Fangio, Alfa Romeo
3/22

Foto de: LAT Images

Juan Manuel Fangio, Alfa Romeo

Juan Manuel Fangio, Alfa Romeo
4/22

Foto de: LAT Images

Juan Manuel Fangio, Alfa Romeo

Juan Manuel Fangio, Alfa Romeo
5/22

Foto de: LAT Images

Juan Manuel Fangio, Alfa Romeo and Luigi Fagioli lead

Juan Manuel Fangio, Alfa Romeo and Luigi Fagioli lead
6/22

Foto de: LAT Images

Johnny Claes, Talbot Lago

Johnny Claes, Talbot Lago
7/22

Foto de: LAT Images

British Grand Prix atmosphere

British Grand Prix atmosphere
8/22

Foto de: LAT Images

British Grand Prix atmosphere

British Grand Prix atmosphere
9/22

Foto de: LAT Images

British Grand Prix atmosphere

British Grand Prix atmosphere
10/22

Foto de: LAT Images

British Grand Prix atmosphere

British Grand Prix atmosphere
11/22

Foto de: LAT Images

Cuth Harrison, ERA

Cuth Harrison, ERA
12/22

Foto de: LAT Images

David Murray, Maserati

David Murray, Maserati
13/22

Foto de: LAT Images

Louis Rosier, Talbot Lago

Louis Rosier, Talbot Lago
14/22

Foto de: LAT Images

Giuseppe Farina, Alfa Romeo 158, Luigi Fagioli, Alfa Romeo 158

Giuseppe Farina, Alfa Romeo 158, Luigi Fagioli, Alfa Romeo 158
15/22

Foto de: LAT Images

Reg Parnell, Alfa Romeo 158

Reg Parnell, Alfa Romeo 158
16/22

Foto de: LAT Images

Yves Giraud-Cabantous, Lago-Talbot T26C-DA

Yves Giraud-Cabantous, Lago-Talbot T26C-DA
17/22

Foto de: LAT Images

Louis Chiron, Maserati

Louis Chiron, Maserati
18/22

Foto de: LAT Images

King George VI meets the drivers, including a young Stirling Moss

King George VI meets the drivers, including a young Stirling Moss
19/22

Foto de: LAT Images

Giuseppe Farina with his winner's garland around his neck

Giuseppe Farina with his winner's garland around his neck
20/22

Foto de: LAT Images

Giuseppe Farina with his winner's garland around his neck

Giuseppe Farina with his winner's garland around his neck
21/22

Foto de: LAT Images

Eugene Martin, Lago-Talbot TT26C-DA

Eugene Martin, Lago-Talbot TT26C-DA
22/22

Foto de: LAT Images

VÍDEO: As cinco melhores corridas de F1 em Interlagos, que completa 80 anos

PODCAST - Interlagos 80 anos: templo do automobilismo ou apenas mais um circuito?

 

.

Próximo artigo
Nos 70 anos da F1, relembre todos os circuitos da história da categoria

Artigo anterior

Nos 70 anos da F1, relembre todos os circuitos da história da categoria

Próximo artigo

Pérez: "Vejo Vettel mais próximo da aposentadoria do que indo para outra equipe"

Pérez: "Vejo Vettel mais próximo da aposentadoria do que indo para outra equipe"
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Adam Cooper