F1: Com seis pilotos confirmados, 2023 pode trazer grandes mudanças no grid; entenda situação do mercado

Das dez equipes, a Mercedes é a única que, em teoria, não terá que se preocupar com o mercado, mas precisa manter um plano B na manga caso necessário

F1: Com seis pilotos confirmados, 2023 pode trazer grandes mudanças no grid; entenda situação do mercado
Carregar reprodutor de áudio

A entrada em 2022 traz junto de si o que acabam sendo basicamente duas competições distintas para mais da metade dos pilotos da Fórmula 1: de um lado, faltam pouco mais de três meses para o início do campeonato no Bahrein; de outro, a necessidade de já iniciar a busca de uma vaga para 2023.

Apenas seis dos 20 pilotos já conhecem seu futuro para o próximo ano, enquanto o resto do grupo terá que almejar a confirmação ou em alguns casos, algo mais ao nível de seu potencial técnico, além de ter que disputar essas vagas com jovens talentos que buscam chegar à principal categoria do automobilismo mundial.

Leia também:

Falar sobre o mercado no começo de janeiro pode parecer muito prematuro, mas não é. Em alguns casos, as primeiras conversas já podem estar em andamento, com Mattia Binotto deixando claro que sua prioridade seria garantir a renovação do espanhol para além de 2022 nos primeiros meses do ano.

Devemos ter um mercado intenso, aquele que a F1 enfrentará em 2022, da qual apenas a Mercedes deve ficar isenta, mas apenas na aparência. Toto Wolff também deve ter um plano B na manga caso Lewis Hamilton decida se afastar no fim do ano.

Max Verstappen, Red Bull Racing

Max Verstappen, Red Bull Racing

Photo by: Getty Images / Red Bull Content Pool

O panorama das renovações

As situações dos pilotos em busca de confirmações obviamente não são iguais. Em alguns casos, as renovações são mais do que esperadas, enquanto outros criam pontos de interrogação que vão desde a renovação até mesmo a aposentadoria.

Entre os que vão passar por uma negociação que visa uma continuação estão Max Verstappen e Carlos Sainz, após ótimos 2021. Mas vale lembrar que, apesar da Red Bull já estar negociando o novo contrato do atual campeão da F1, seu acordo atual vale até o fim de 2023.

Quem tem uma posição menos óbvia é Sergio Pérez, que pode se confirmar como um bom escudeiro para Verstappen, mesmo sem ter ajudado a Red Bull a conquistar o título de Construtores.

Helmut Marko terá uma ideia da situação ao longo da temporada e, como de costume, sem pressa. As alternativas representadas por Pierre Gasly e Alexander Albon (dependendo da Williams) são as mais óbvias, mas nunca foram completamente convincentes aos olhos do austríaco. Ainda na área da Red Bull, há também Yuki Tsunoda, mas o japonês terá que melhorar seu jogo para se defender do assalto dos pilotos que estão nas categorias de acesso.

Veja a situação contratual de cada piloto:

Equipe

Piloto

Fim do Contrato

Mercedes

Lewis Hamilton

2023

Mercedes

George Russell

2023

Red Bull

Max Verstappen

2023

Red Bull

Sergio Perez

2022

Ferrari

Charles Leclerc

2024

Ferrari

Carlos Sainz

2022

McLaren

Daniel Ricciardo

2022

McLaren

Lando Norris

2024

Alpine

Esteban Ocon

2024

Alpine

Fernando Alonso

2022

Alpha Tauri

Pierre Gasly

2022

Alpha Tauri

Yuki Tsunoda

2022

Aston Martin

Sebastian Vettel

2022

Aston Martin

Lance Stroll

-

Williams

Nicholas Latifi

2022

Williams

Alexander Albon

-

Haas

Mick Schumacher

-

Haas

Nikita Mazepin

-

Sebastian Vettel, Aston Martin

Sebastian Vettel, Aston Martin

Photo by: Jerry Andre / Motorsport Images

Uma "última dança" ou renovação?

Entre aqueles que ainda não conhecem seu futuro a longo prazo estão dois campeões mundiais. Fernando Alonso e Sebastian Vettel parecem partilhar uma situação muito semelhante, com um cenário que não exclui a possibilidade de uma "última dança" em 2022, fazendo seus anos de despedida.

O futuro dos dois campeões vai depender muito do que fizerem ao longo do ano. Tanto Fernando quanto Seb afirmam ter gana de seguir na categoria, mas a confirmação do potencial de suas respectivas equipes também será necessária para manter a chama viva.

Para pilotos deste calibre, mais uma temporada com os pódios à distância pode ser um motivo para a despedida, caso contrário, a renovação pode vir.

Mas, no caso de Alonso, ainda há a ameaça concreta de Oscar Piastri, atual campeão da F2, que foi colocado no banco por um ano, mas com o objetivo de estar no grid em 2023. O australiano terá algumas chances de estar ao volante da Alpine e Esteban Ocon é um dos três pilotos, ao lado de Lando Norris e Charles Leclerc, com a vaga garantida até o final de 2024.

Patricio O'Ward, McLaren

Patricio O'Ward, McLaren

Photo by: Zak Mauger / Motorsport Images

Prontos para entrarem no 'circo'

Piastri não é o único que aguarda a liberação de uma vaga para estrear no Mundial. Vários jovens talentos estão prontos para a oportunidade e, em alguns casos, com esperanças concretas. Na McLaren, Daniel Ricciardo sabe que terá que se aproximar do desempenho de Norris para não dar ideias a Zak Brown, que pode se ver tentado a trazer Pato O'Ward para o carro.

Ricciardo tem um salário altíssimo, que não condiz com a situação financeira atual da equipe e, já ao longo de 2021, houve momentos em que sua vaga esteve sob risco. A vitória em Monza foi um respiro para o australiano, mas agora esse bônus acabou e ele sabe que precisará dar o seu melhor em 2022.

A Alfa Romeo vive uma situação semelhante, com o pupilo Théo Pourchaire. O francês teve um ano de protagonismo na F2 e só não subiu porque o chefe da equipe, Frédéric Vasseur, achou que era cedo demais para promovê-lo à F1.

Caso Pourchaire siga se destacando na F1, o estreante Guanyu Zhou pode estremecer. Mas, neste caso, não é apenas a pista que pode influenciar, já que o chinês vem com um bom aporte financeiro, que pode deixar Pourchaire por um ano no banco.

Antonio Giovinazzi também está na janela. Binotto afirmou que a Ferrari vai monitorar o mercado em busca de uma oportunidade de trazer seu atual piloto reserva de volta ao grid e, obviamente, as duas equipes que podem se interessar são as duas clientes, Haas e a própria Alfa Romeo.

Théo Pourchaire, Alfa Romeo

Théo Pourchaire, Alfa Romeo

Photo by: Alfa Romeo

MARI BECKER analisa EVOLUÇÃO de VERSTAPPEN e PRESSÃO em HAMILTON, e fala de como ambos saem maiores

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #156 – Mariana Becker traz bastidores de Verstappen x Hamilton na F1 2021

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Casa de apostas irlandesa considera Hamilton campeão em Abu Dhabi
Artigo anterior

F1: Casa de apostas irlandesa considera Hamilton campeão em Abu Dhabi

Próximo artigo

F1: Bottas diz que "foi díficil" aceitar ser escudeiro de Hamilton e revela quando Mercedes definia posições

F1: Bottas diz que "foi díficil" aceitar ser escudeiro de Hamilton e revela quando Mercedes definia posições
Carregar comentários