F1 confirma cancelamento do GP do Japão por alta de casos de Covid

Categoria máxima deve ter novas mudanças de calendário após 'saída' de Suzuka; entenda

F1 confirma cancelamento do GP do Japão por alta de casos de Covid

A Fórmula 1 confirmou que o GP do Japão foi cancelado a pedido do governo, devido a problemas contínuos da Covid-19. A corrida estava marcada para 10 de outubro, como a terceira etapa de uma rodada tripla depois da Rússia e da Turquia.

A decisão sobre a realização ou não da corrida era esperada mesmo para o mês de agosto, depois que todas as partes pudessem revisar como os Jogos Olímpicos aconteceram em Tóquio. Nenhuma atualização adicional foi fornecida sobre possíveis mudanças no calendário de 2021, que é considerado muito flexível nesta fase, com várias permutações em consideração.

O editor recomenda:

Um comunicado da F1 disse: “Após discussões em andamento com o promotor e as autoridades no Japão, o governo japonês decidiu cancelar a corrida nesta temporada devido às complexidades em curso da pandemia no país."

“A F1 agora está trabalhando nos detalhes do calendário revisado e anunciará os detalhes finais nas próximas semanas. A F1 provou este ano, e em 2020, que podemos nos adaptar e encontrar soluções para as incertezas em curso. A categoria está entusiasmada com o nível de interesse dos locais para sediar os eventos da F1 neste ano e depois", informou a elite do esporte a motor mundial.

O Catar é um dos novos eventos em espera, enquanto uma segunda corrida no Bahrein também é uma possibilidade. Se eles 'se juntarem' a Arábia Saudita e Abu Dhabi, isso significaria quatro eventos sendo disputados no Oriente Médio na última parte da temporada.

Um dos grandes problemas é que a Turquia, o México e o Brasil estão atualmente na lista vermelha do Reino Unido, e qualquer pessoa que retorne de um desses países enfrenta uma quarentena de 10 dias em um hotel aprovado pelo governo.

No momento, a F1 não tem isenção do governo britânico e, portanto, muitos membros de equipes sediadas no Reino Unido, além de staff de F1, FIA, Pirelli e Honda, bem com integrantes da mídia, seriam afetados pela regra.

O plano era que a viagem ao Japão ocupasse uma semana da janela de 10 dias após a Turquia e que o pessoal permanecesse lá por mais alguns dias antes de retornar ao Reino Unido. Portanto, entende-se que não se deve presumir que a Turquia está agora em apuros sem o GP do Japão. Então, presumivelmente, esforços estão em andamento para refazer o calendário para que outra corrida venha depois da Turquia.

A F1 quer realizar duas corridas em Austin, sendo a segunda com o nome de GP do Texas. Embora os EUA não sejam uma zona vermelha para o Reino Unido, a cidade tem tido alta nos casos de Covid, com hospitais lotados.

O cancelamento da etapa de Suzuka ocorre apesar da promessa de a F1 de impor condições especiais a todo o pessoal que viaja para o Japão, incluindo o uso obrigatório de voos de Istambul com teste de Covid na chegada, além de traslados apenas entre hotéis e circuitos, sem ida a restaurantes ou lojas, bem como segurança em cada hotel para garantir que as pessoas não pudessem sair, comendo apenas no circuito à noite.

F1: BURTI revela início DIFÍCIL com GALVÃO e traz história INCRÍVEL de como conseguiu vaga na GLOBO

PODCAST: Luciano Burti abre o jogo sobre F1, Globo e ausência na Band

 

.

compartilhar
comentários
F1: Norris diz que comandantes da McLaren são importantes em seu desenvolvimento
Artigo anterior

F1: Norris diz que comandantes da McLaren são importantes em seu desenvolvimento

Próximo artigo

F1: “Alonso ainda guarda rancor de Hamilton", analisa especialista

F1: “Alonso ainda guarda rancor de Hamilton", analisa especialista
Carregar comentários