Fórmula 1
24 out
-
27 out
Evento encerrado
01 nov
-
03 nov
Evento encerrado
14 nov
-
17 nov
Evento encerrado
28 nov
-
01 dez
Evento encerrado

F1 'de Natal': relembre vezes em que a categoria 'invadiu' dezembro

compartilhar
comentários
F1 'de Natal': relembre vezes em que a categoria 'invadiu' dezembro
Por:
27 de nov de 2019 11:35

F1 não costuma ter corridas na época das festas. Quando isso aconteceu, títulos e vitórias importantes foram conquistadas

Com 21 corridas em 2019, a Fórmula 1 precisou espremer seu calendário para acomodar todas as etapas dentro de intervalos que não prejudicassem a logística das equipes e o condicionamento dos pilotos. Por isso, pela primeira vez em 56 anos, a categoria terá algo que acontece muito raramente: uma corrida no mês de dezembro.

Leia também:

Antes da prova deste domingo, que acontece em Abu Dhabi, a F1 só havia chegado ao mês das festas em outras três ocasiões, todas em corridas fora da Europa e sempre encerrando o campeonato. Curiosamente, o Brasil, que teve poucos pilotos antes de 1970, contou com um representante em uma dessas raríssimas provas.

Sebring, 1959: uma corridas de primeiras vezes

A primeira vez não se esquece, e, neste caso, há muitos motivos para se lembrar da prova. Naquele ano, mais precisamente em 12 de dezembro, a F1 desembarcava nos Estados Unidos pela primeira vez. Apesar de as 500 Milhas de Indianápolis contarem pontos para o campeonato, nenhuma equipe viajava para a corrida. Com isso, a corrida em Sebring marcou o primeiro encontro de fato entre a categoria e os norte-americanos. Veja fatos sobre a corrida:

Galeria
Lista

O brasileiro Fritz d'Orey, na Tec-Mec Maserati

O brasileiro Fritz d'Orey, na Tec-Mec Maserati
1/8

Foto de: LAT Images

O brasileiro Frederico (Fritz) José Carlos Themudo de Orey era o único representante naquela temporada, sua primeira e última na F1. Na verdade, o ele foi o único do país a correr na categoria entre 1956 e 1970. Ele, que havia participado de 5 fins de semana de GP com a Maserati, disputou em Sebring, a primeira e única corrida da história da equipe Tec Mec. Infelizmente, um vazamento de óleo encerrou a passagem do time e do piloto pela F1.

O primeiro 3º de Stirling Moss, da Cooper T51 Climax

O primeiro 3º de Stirling Moss, da Cooper T51 Climax
2/8

Foto de: LAT Images

O maior vice-campeão da história da F1 (4x) chegava novamente à prova final do campeonato com chances de título. Apesar de largar na pole, o piloto britânico abandonou a prova com problemas no câmbio e, pela primeira vez na carreira, encerrou o ano em 3º na classificação.

Rodger Ward, Kurtis Kraft Offenhauser

Rodger Ward, Kurtis Kraft Offenhauser
3/8

Foto de: LAT Images

A prova também representou a primeira vez que um vencedor das 500 milhas de Indianapolis competia em uma corrida de F1. Ward foi acompanhado de outros quatro compatriotas, que também estreavam na categoria: Boris (Bob) Said, Phil Cade, George Constantine e Harry Blanchard, o único a completar a prova, na sétima posição.

Cooper, fazia primeira corrida como campeã de construtores

Cooper, fazia primeira corrida como campeã de construtores
4/8

Foto de: LAT Images

O mundial de construtores só passou a existir em 1959, ano em que a Cooper não deu chances aos rivais e levou o primeiro caneco da história. A conquista aconteceu no GP da Itália, portanto, nos EUA, a equipe britânica foi a primeira a desfilar como campeã.

Bruce McLaren, Cooper Climax

Bruce McLaren, Cooper Climax
5/8

Foto de: LAT Images

Se havia quem estivesse disputando uma corrida de F1 pela primeira vez, a prova também um piloto vencendo a primeira na carreira. McLaren, que anos depois criaria a equipe que leva seu sobrenome, partiu da décima posição para cruzar a bandeirada, em primeiro.

Jack Brabham, Cooper T51 Climax

Jack Brabham, Cooper T51 Climax
6/8

Foto de: LAT Images

Brabham não venceu a corrida, mas após contar com o abandono de Stirling Moss e com os pontos do quarto lugar na prova, o piloto da Cooper alcançou seu primeiro título mundial, primeiro também de um australiano na F1.

Maurice Trintignant, Cooper T51 Climax

Maurice Trintignant, Cooper T51 Climax
7/8

Foto de: LAT Images

Se o tema é primeiras vezes, o francês da Cooper também alcançou sua primeira e única volta mais rápida da carreira.

Tony Brooks, Ferrari 246

Tony Brooks, Ferrari 246
8/8

Foto de: LAT Images

E para fechar a lista, Brooks conquistou seu primeiro e único vice-campeonato ao terminar a prova na segunda posição.

África do Sul, 1962: duelo de gigantes

Se a corrida em Sebring foi repleta de 'primeiras vezes', a corrida na África do Sul não deixou a desejar. Mas as curiosidades sobre a corrida não giram apenas em torno das estreias, já que foi a primeira vez que a F1 chegou ao país. Outro fator notável é a data de realização da prova: 29 de dezembro. Isso mesmo, entre Natal e o Ano Novo. Confira outros pontos marcantes da etapa de East London:

Galeria
Lista

Disputa do título entre: Graham Hill (BRM P57) e Jim Clark (Lotus 25 Climax)

Disputa do título entre: Graham Hill (BRM P57) e Jim Clark (Lotus 25 Climax)
1/3

Foto de: LAT Images

Hill e Clark disputavam a honra para saber qual dos dois seria campeão mundial primeiro. Clark fez a pole e liderou até a volta 62, sempre seguido de perto por Hill. Um vazamento de óleo acabou com a corrida do piloto da Lotus, e assim Hill venceu a prova e levou o caneco para casa.

Primeira vez na África do Sul, mas não no continente

Primeira vez na África do Sul, mas não no continente
2/3

Foto de: LAT Images

A Fórmula 1 já havia visitado a África antes, com a realização do GP do Marrocos de 1958, vendido por Stirling Moss

Graham Hill, BRM P57

Graham Hill, BRM P57
3/3

Foto de: LAT Images

O britânico, pai de Damon Hill, teve uma grande temporada. Depois de vencer pela primeira vez na carreira, na etapa de Mônaco, o piloto da BRM venceu mais três vezes na temporada, garantindo o título em East London.

África do Sul, 1963: Clark sobra

Se no ano anterior o "escocês voador" perdeu o título por conta de um vazamento de óleo, em 1963 ele não deu chances aos rivais e garantiu o título de maneira antecipada, no GP da Itália. Quando chegou a prova de East London, em 28 de dezembro, Clark já havia celebrado muitas festas.

Galeria
Lista

Graham Hill, BRM P57,

Graham Hill, BRM P57,
1/3

Foto de: Michael Tee / Motorsport Images

Hill bem que tentou, mas não foi páreo para Clark naquele ano. O britânico chegou a vencer a etapa de abertura, em Mônaco, pista onde foi considerado rei até 1993, quando Ayrton Senna destronou o bicampeão. No entanto, a Lotus acertou a mão no carro e Clark foi certeiro nas pistas. Hill terminou o ano como vice-campeão.

Jim Clark, Lotus 25-Climax

Jim Clark, Lotus 25-Climax
2/3

Foto de: LAT Images

Com sete vitórias na temporada, o piloto da Lotus estabeleceu um recorde naquele ano, marca que só seria batida por Ayrton Senna em 1988, quando o brasileiro venceu 8 provas no campeonato.

Richie Ginther, BRM P57 à frente de Piet de Klerk, Alfa Romeo Special

Richie Ginther, BRM P57 à frente de Piet de Klerk, Alfa Romeo Special
3/3

Foto de: LAT Images

O terceiro lugar na temporada de 1963 foi a melhor classificação na carreira de Ginther, que dois anos mais tarde teria a oportunidade de ser o primeiro piloto a vencer com um carro Honda na história da F1.

Quer ver Fórmula 2, Fórmula 3, Indy e Superbike de graça? Inscreva-se no DAZN e tenha acesso grátis por 30 dias a uma série de eventos esportivos. Cadastre-se agora clicando aqui.

Siga o Motorsport.com Brasil no Twitter, Facebook, Instagram e Youtube

Próximo artigo
GALERIA: Relembre todos os vencedores do GP de Abu Dhabi de F1

Artigo anterior

GALERIA: Relembre todos os vencedores do GP de Abu Dhabi de F1

Próximo artigo

F1: Honda estende contrato com Red Bull e Toro Rosso para 2021

F1: Honda estende contrato com Red Bull e Toro Rosso para 2021
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Vital Neto