Fórmula 1
19 set
-
22 set
Evento encerrado
26 set
-
29 set
Evento encerrado
10 out
-
13 out
Evento encerrado
24 out
-
27 out
Evento encerrado
01 nov
-
03 nov
Evento encerrado
14 nov
-
17 nov
Evento encerrado
R
GP de Abu Dhabi
28 nov
-
01 dez
Próximo evento em
9 dias

F1 diz que tem interesse na chegada de novos times para 2021

compartilhar
comentários
F1 diz que tem interesse na chegada de novos times para 2021
Por:
15 de mar de 2019 07:24

CEO da F1, Chase Carey, diz que categoria teve interesse "real" de novas equipes que poderiam entrar se a revisão dos regulamentos de 2021 tornar as corridas mais competitivas e financeiramente atraentes

Além das mudanças nas regras de chassi e motores, a F1 e a FIA estão trabalhando em uma reformulação que inclui a alteração da distribuição financeira entre as equipes, o custo da competição e a maneira de gerir o campeonato.

Um dos alvos iniciais, que era atrair um novo fabricante de motores, deve ser deixado de lado.

Leia também:

No entanto, quando perguntado pelo Motorsport.com se as mudanças de 2021 seriam suficientes para atrair novas equipes, o CEO da F1, Chase Carey, disse que há "interesse real" se a F1 for capaz de "fornecer uma estrutura de uma perspectiva competitiva e de modelo de negócios atraente para eles".

"É um dos nossos objetivos estratégicos, queremos tornar o esporte mais atraente para potenciais novos participantes", disse Carey.

"É certamente uma meta nos regulamentos de 2021. Temos que solidificar esses regulamentos para ter essas discussões.”

"Tivemos, mais do lado das equipes do que do lado de motor, um número de potenciais novos participantes que expressaram interesse e entusiasmo se fornecermos uma estrutura que eles pensam que permite que seja algo em que eles poderiam entrar de forma mais construtiva."

As equipes atuais da F1 devem finalmente ser formalmente apresentadas com uma estrutura completa para as regras de 2021 em uma reunião do Grupo de Estratégia no final deste mês.

Carey disse que finalizar o conjunto de regras abrirá caminho para novas discussões com novos participantes.

Respondendo à mesma pergunta, o presidente da FIA, Jean Todt, disse que "adoraria" ter novas equipes, e quer que o grid cresça de 10 para 12 times.

A F1 não tem um grid de 12 equipes desde 2012.

"A F1 deveria ter 12 equipes, mas é claro que isso representaria um problema, porque se você tivesse 12 equipes com certas receitas para distribuir, elas teriam que ter menos renda", disse Todt.

"Eles não estariam felizes. Mas é isso que a F1 deveria ser. Dizendo isso, é melhor ter 10 times fortes, o que é o caso".

Chase Carey, Chairman, Formula 1, in a Press Conference

Chase Carey, Chairman, Formula 1, in a Press Conference

Photo by: Zak Mauger / LAT Images

Fabricantes de motores dispostos a participar

Todt admitiu no verão passado que a tentativa de encontrar um novo fabricante de motores provavelmente não seria bem-sucedida em 2021.

Carey disse que a F1 está feliz por ter um "corpo forte" de quatro fornecedores de motores, mas que está sempre aberta a mais, embora isso tenha sido efetivamente descartado a curto prazo.

Uma grande revisão das regras do motor como parte do novo pacote foi evitada porque causaria problemas para os fabricantes atuais.

Todt disse que encontrar um novo fabricante de motores em 2021 "provavelmente seria difícil".

"É algo que temos discutido com muitos fabricantes e não encontramos nenhum deles realmente disposto a ser comprometido a curto e médio prazo", disse ele.

Jean Todt, President, FIA and Chase Carey, Chairman, Formula 1 in Press Conference

Jean Todt, President, FIA and Chase Carey, Chairman, Formula 1 in Press Conference

Photo by: Zak Mauger / LAT Images

Próximo artigo
Renault: Programas no estilo Netflix devem equilibrar realidade e ficção

Artigo anterior

Renault: Programas no estilo Netflix devem equilibrar realidade e ficção

Próximo artigo

Equipes da F1 devem conhecer regras para 2021 neste mês

Equipes da F1 devem conhecer regras para 2021 neste mês
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Scott Mitchell