F1: Entenda como Vettel conseguiu se redimir em Mônaco

Alemão tetracampeão mundial finalmente conseguiu seus primeiros pontos no campeonato pela Aston Martin, após largar da melhor posição em 2021

F1: Entenda como Vettel conseguiu se redimir em Mônaco

Não foi um início fácil na temporada de 2021 para Sebastian Vettel e Aston Martin na Fórmula 1, com os resultados não chegando e os rivais começando bem. No entanto, em Mônaco, o alemão se recuperou em grande estilo.

Tendo se classificado em oitavo, Vettel cruzou em quinto, sendo esses dois números os seus melhores feitos na temporada.

Leia também:

Na corrida, ele foi ajudado pela não largada de Charles Leclerc e o abandono de Valtteri Bottas, mas mesmo o sétimo teria sido uma boa recompensa.

Talvez mais importante do que as estatísticas, foi a maneira como ele aumentou a velocidade quando precisava de algumas voltas rápidas antes de sua parada, e sua abordagem na disputa com Pierre Gasly após sair dos boxes.

Foi um desempenho que lembrou às pessoas que Vettel não se esqueceu de como guiar depois de aparentemente se perder em seus últimos dias na Ferrari, e ajudou de alguma forma os céticos depois que ele falhou em melhorar o 13º lugar nas primeiras quatro corridas deste ano.

Vencedor do Mônaco em 2011 e 2017, Vettel se sentiu confortável no carro desde o início dos treinos na quinta-feira, terminando em oitavo e décimo nas duas sessões. Significativamente, ele estava à frente do companheiro de equipe Lance Stroll, que geralmente tem a vantagem neste ano.

Ele foi ajudado pelo mais recente pacote de atualizações de assoalho no AMR1, acelerado para Mônaco enquanto a equipe de Silverstone continua a encontrar a força aerodinâmica perdida com as mudanças nas regras.

Na classificação, ele em 15º no Q1, depois de apostar tudo, usando apenas um jogo de pneus. Ele então ficou em nono no Q2 e em oitavo no Q3 colocando-se logo atrás de Lewis Hamilton.

Foi apenas a segunda vez este ano que o tetracampeão avançou para o Q3, depois de ter largado em 10º em Portugal no início deste mês.

"Estava apertado no Q1, usamos apenas um set, o que foi um pouco arriscado", disse ele após a sessão. “Mas no final, tínhamos dois jogos de pneus, o que não nos ajudou porque havia uma bandeira vermelha. De modo geral, acho que foi um bom dia para nós.”

"Aqui estávamos um pouco mais tranquilos do que em outros lugares no Q2, mas no geral, estamos sempre lutando pelo 10º lugar, para cima e para baixo.”

“Já tive uma boa sensação nos treinos por aqui. Afinal, a oitava posição não é a pole position, mas é muito melhor do que tínhamos nas últimas corridas, então temos que fazer isso e buscar alguns pontos amanhã, vamos ver."

Sebastian Vettel, Aston Martin AMR21

Sebastian Vettel, Aston Martin AMR21

Photo by: Jerry Andre / Motorsport Images

A ausência de Leclerc do grid fez com que Vettel fosse promovido para sétimo na largada. Na passagem inicial, ele correu atrás de Gasly e Hamilton, e à frente de Sergio Pérez. O piloto da Mercedes foi o primeiro a parar na volta 29, seguido pelo piloto da AlphaTauri uma volta depois.

Com uma pista limpa pela frente e um pouco de vida restante em seus pneus macios, Vettel deu algumas voltas rápidas, enquanto seus dois rivais aumentaram a velocidade em seus compostos duros.

"Gostei, porque é nessa altura que é importante", explicou. “As primeiras 10 voltas foram muito enfadonhas, só o Sergio empurrou no começo, mas sem ameaça mesmo. E aí ele recuou para salvar os pneus, e eu sabia que aquelas voltas antes dos boxes seriam as cruciais, e acabou sendo.”

"Então, eu simplesmente gostei do fato de estar em cima do carro e poder acelerar quando fosse necessário, e sabia como o carro responderia."

Quando ele chegou na volta 31, tornou-se uma corrida fora do pitlane. Ele tinha feito o suficiente para superar Hamilton, mas enquanto descia para a Sainte Devote, ele podia ver Gasly.

Na saída do pitlane eles quase se tocaram. No final, foi o piloto da AlphaTauri quem teve de recuar, permitindo que Vettel entrasse à frente.

"Eu sabia que estaria perto", disse Vettel. "Mas assim tão perto, é sempre difícil prever. Eu sempre tive um pouco do bico à frente, e pude vê-lo. Mas não o suficiente para realmente dizer o quanto eu estava à frente, porque ele estava quase lado a lado. E então ele começou a ir para a esquerda/direita.”

"Acho que ele não sabia se eu o tinha visto, então em algum momento ele desistiu. Dei-lhe espaço, mas tinha pneus novos.”

Em uma estratégia muito diferente, envolvendo uma longa jornada com pneus duros, Stroll saltou da 13ª posição ao oitavo lugar. A Aston somou 14 pontos e pulou da sétima para a quinta posição na tabela do campeonato.

"Bem, obviamente foi bom para todos nós", disse Vettel. “Recebemos as respostas certas dos boxes hoje, e também o ritmo.”

Sebastian Vettel, Aston Martin AMR21

Sebastian Vettel, Aston Martin AMR21

Photo by: Erik Junius

"Eu me senti muito bem com os macios, estava apenas administrando no começo, deixando os carros irem na frente e, em seguida, diminuindo lentamente a diferença. Achei que poderíamos ter uma chance também de manter o Sergio para trás com aquele ritmo que nós tínhamos, mas ele tinha mais um segundo a partir daí, e então não foi possível.”

"Mas fora isso, ficamos à frente de Lewis e Pierre, então isso foi ótimo para nós hoje."

Não tem sido uma transição fácil de Vettel para a Aston Martin, e depois de uma temporada final decepcionante na Ferrari, vem trabalhando muito.

No entanto, ele estava mais preocupado em dar um impulso a uma equipe que teve um início de ano difícil com o novo nome do que com sua própria reputação.

"Estou feliz pela equipe, acho que depois de uma temporada tão forte no ano passado e do decepcionante começo de muitas maneiras este ano, acho que é o que precisávamos e os caras merecem. Além disso, é um bom sinal para todos da fábrica. Tem muita coisa acontecendo.”

"Mas espero que este resultado nos ajude a manter o espírito elevado e talvez ganhar um pouco de ímpeto para termos corridas mais fortes."

Vettel está naturalmente interessado que sua equipe possa continuar a extrair mais desempenho do carro e, assim, dar a ele mais chances de lutar como fez no domingo.

"Obviamente, o meio de grid é muito apertado, e se conseguirmos encontrar um décimo ou dois extras, não importa onde, pode fazer uma grande diferença, porque pode ser o suficiente para nos levar ao Q3, e assim por diante.”

"Então, no final, se você olhar para o fim de semana, provavelmente são apenas cinco minutos que realmente importam, são as voltas de classificação e, em seguida, as voltas cruciais na corrida. Mas você precisa ter tudo funcionando do seu jeito em um grid muito apertado como este é."

RETA FINAL: Clima esquenta entre Hamilton, Verstappen e RBR após Mônaco; veja debate

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: O GP de Mônaco ainda é o ponto alto da F1?

 

compartilhar
comentários
F1: Entenda como teto orçamentário fez Mercedes desistir dos testes da Pirelli com pneus de 2022
Artigo anterior

F1: Entenda como teto orçamentário fez Mercedes desistir dos testes da Pirelli com pneus de 2022

Próximo artigo

F1 - Alonso diz que pódios com Ferrari não eram respeitados: "Coletivas eram como um velório"

F1 - Alonso diz que pódios com Ferrari não eram respeitados: "Coletivas eram como um velório"
Carregar comentários