F1: Falha da fibra óptica foi a causa da interrupção de dados em Ímola

Problema afetou cobertura de TV e transmissões de rádio das equipes durante primeiros treinos para GP da Emilia Romagna

F1: Falha da fibra óptica foi a causa da interrupção de dados em Ímola

A organização da Fórmula 1 disse que uma falha da fibra óptica local causou a interrupção que afetou a cobertura de TV e as transmissões de rádio das equipes durante os primeiros treinos para o GP da Emilia Romagna.

O sistema de dados da categoria caiu no início das atividades da pista e uma rápida mudança foi feita para um "modo de recuperação" que permitia que as operações básicas continuassem por meio de um link via satélite.

Leia também:

No entanto, muitos recursos, como transmissão de dados, câmeras a bordo e rádios das equipes, ficaram sem serviço durante uma parte da sessão.

A falha da fibra foi corrigida durante a pausa para o almoço e o TL2 aconteceu sem apresentar problemas adicionais depois que o sistema foi reiniciado.

Como resultado das restrições devido a pandemia do coronavírus, a F1 mudou suas operações técnicas da pista de volta para sua base no Reino Unido, a fim de reduzir a necessidade de viajar para as corridas, no entanto, a organização enfatizou que o problema de hoje foi local.

A interrupção criou grandes complicações para as escuderias, já que as comunicações de rádio com os pilotos foram interrompidas, tornando impossível dar a orientação usual sobre problemas de tráfego quando carros mais rápidos se aproximavam. A falta de contato contribuiu para uma colisão entre Esteban Ocon e Sergio Pérez, que resultou em uma bandeira vermelha. 

"Certamente, foi um grande problema", disse Mattia Binotto, chefe da Ferrari. 

“Não sei se todas as equipes tiveram exatamente os mesmos problemas. Mas para nós foi muito difícil, principalmente com Charles [Leclerc], não havia forma de comunicar com ele."

“É difícil porque não se pode aconselhá-lo sobre os carros que o seguem, então podem haver situações impeditivas que não são voluntárias, mas é muito difíceis para os pilotos também saberem quem está atrás."

"Além disso, estamos operando nossa unidade de energia de corrida, porque essas unidades de energia são as que instalamos no Bahrein e são usadas durante todo o final de semana. Então, obviamente, se você tiver algum problema, não sabe reagir e se comunicar. Portanto, esse tipo de problema é sério."

"A experiência foi um pouco estranha porque não tivemos tempos por volta", disse Fred Vasseur, chefe da Alfa Romeo.

“Tínhamos os dados de segurança, pelo menos. Foi apenas a primeira passagem até o meio da sessão, então está tudo bem para mim, não é um drama."

"Discutimos isso depois da sessão, porque os pilotos reclamavam do rádio, mas há 20 anos os caras podiam guiar sem o rádio!"

"Era como se estivéssemos cegos. Mesmo a comunicação do piloto não estava funcionando. Isso tornou as coisas muito mais difíceis", disse Otmar Szafnauer da Aston Martin.

F1 AO VIVO: Destaques dos treinos livres para o GP da Emilia Romagna de F1, em Ímola | SEXTA-LIVRE

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: TELEMETRIA: A verdade sobre motor Honda e tudo sobre o GP da F1 em Ímola

 

compartilhar
comentários
Vettel: rivalidades na F1 nunca serão iguais a Senna x Prost

Artigo anterior

Vettel: rivalidades na F1 nunca serão iguais a Senna x Prost

Próximo artigo

F1: Verstappen não se diz preocupado, apesar do problema em Ímola

F1: Verstappen não se diz preocupado, apesar do problema em Ímola
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da Emilia Romagna
Autor Adam Cooper