Hamilton e Mercedes anunciam renovação de apenas um ano: entenda o que isso significa para o futuro do heptacampeão na F1

A especulação chega ao fim após uma negociação que durou meses

Hamilton e Mercedes anunciam renovação de apenas um ano: entenda o que isso significa para o futuro do heptacampeão na F1

A novela chegou ao fim. Lewis Hamilton renovou com a Mercedes e ficará no grid da Fórmula 1 neste ano, encerrando semanas de especulação sobre seu futuro. Mas, diferente dos contratos anteriores, essa renovação com o heptacampeão é de apenas um ano, o que pode causar outras implicações para piloto e equipe (entenda mais na análise em vídeo abaixo).

Enquanto Hamilton optou por focar na luta pelo seu heptacampeonato ao longo da temporada 2020, as negociações ficaram para o final do ano, estendendo-se pelas primeiras semanas de 2021.

Leia também:

Tanto o piloto quanto a equipe insistiam que o novo acordo era apenas uma formalidade. No mês passado, o chefe da Mercedes, Toto Wolff, afirmou que algumas "surpresas" estavam atrasando as negociações, mas que tudo era uma questão de tempo.

Mas em um anúncio na segunda (08), a Mercedes confirmou que chegou a um acordo com Hamilton, estendendo o contrato para 2021.

"Estou feliz de encaminhar minha nona temporada ao lado da Mercedes. Nossa equipe conquistou coisas incríveis juntos e mal posso esperar para levar adiante esse sucesso, enquanto buscamos seguir melhorando dentro e fora das pistas", disse Hamilton.

Ao longo do ano passado, Hamilton vinha destacando que queria que seu novo contrato com a Mercedes fossem além das pistas, com ele podendo ajudar em áreas como diversidade e as credenciais de sustentabilidade.

A Mercedes confirmou no anúncio que "uma parte significativa" do novo acordo inclui um comprometimento a uma diversidade e inclusão maior no esporte, na forma de uma fundação conjunta entre as partes.

"Estou determinado a seguir a jornada que começamos para tornar o esporte a motor mais diverso para as gerações futuras e estou feliz que a Mercedes tem me dado todo o apoio possível para lidar com isso".

"Estou orgulhoso de dizer que estamos levando esse esforço além em 2021, lançando uma fundação dedicada à diversidade e inclusão no esporte. Estou inspirado pelo que podemos fazer juntos e mal posso esperar por março".

O acordo garante que Hamilton continuará sua longa parceria com a Mercedes, que já lhe rendeu seis títulos mundiais desde que saiu da McLaren no final de 2012. O britânico ajudou a equipe a conquistar um recorde de sete títulos consecutivos de construtores, todos os disputados desde 2014.

As negociações deveriam ter começado após a vitória de Hamilton na Turquia, mas sua infecção com Covid-19 atrasou o início. O heptacampeão está passando as férias nos Estados Unidos, mas seguia negociando com Wolff em videoconferências.

"Sempre estivemos alinhados com Lewis pela continuidade, mas o ano incomum que tivemos em 2020 significou um tempo maior para concluir o processo", disse Wolff.

"Juntos, decidimos estender o relacionamento esportivo por mais uma temporada, iniciando também um projeto a longo prazo para dar o próximo passo em nosso compromisso conjunto para melhorar a diversidade no esporte".

"Os recordes competitivos de Lewis estão entre os maiores que já vimos no mundo do esporte e ele é um embaixador valioso para nossa marca e nossos parceiros. A história de Lewis e a Mercedes está escrita nos livros de história de nosso esporte e mal podemos esperar para acrescentar novos capítulos".

Mas a novidade na duração de seu contrato levanta dúvidas para o futuro, tanto de Hamilton quanto da Mercedes, às vésperas do início de uma nova era na F1 com o novo carro e o regulamento técnico. O heptacampeão tentará iniciar uma nova trajetória em outra equipe? E como fica a situação da Mercedes? Se perder Hamilton, tentará manter Bottas para não chegar a 2022 com uma dupla inteiramente nova? E como fica George Russell no meio de tudo isso?

Toto Wolff, em coletiva sobre a renovação, afirmou que o contrato de um ano é puramente circunstancial, devido à demora para iniciar as negociações com Hamilton e que ambas as partes têm o interesse em manter a parceria para 2022 e além, pretendendo iniciar uma nova rodada de negociações a partir do meio do ano, para evitar uma situação igual à de agora.

"Chegamos juntos ao acordo de um ano", disse. "Em primeiro lugar, teremos uma mudança substancial de regulamento em 2022. Queremos ver também como fica a situação mundial, e a empresa. Além disso, é porque demoramos demais".

"Queríamos discutir o contrato no final da temporada, entre as provas do Bahrein, mas aí, obviamente, Lewis não estava bem. No final, iniciamos a negociação antes do Natal. E era importante resolver tudo o mais rápido possível. Por isso, pensamos em adiar a discussão sobre 2022 e além para mais tarde neste ano".

Entenda mais sobre isso na análise do Motorsport.com:

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

F1 na BAND? O que esperar da COBERTURA da categoria na possível VOLTA à emissora:

PODCAST: Bottas reagirá na Mercedes? Como compará-lo a Barrichello, Webber e cia?

 

compartilhar
comentários
F1: Haas não descarta volta de Grosjean e Magnussen como substitutos

Artigo anterior

F1: Haas não descarta volta de Grosjean e Magnussen como substitutos

Próximo artigo

F1 mantém média de audiência global em 2020; saiba qual foi o GP mais assistido do ano

F1 mantém média de audiência global em 2020; saiba qual foi o GP mais assistido do ano
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Lewis Hamilton
Equipes Mercedes