F1: Norris acredita que ambiente da Mercedes tornou Russell mais sério

Piloto da McLaren vê a mudança de comportamento como uma maneira de se adaptar a pressão de pilotar por uma equipe de ponta

George Russell, Mercedes-AMG

Mudar de equipe ne Fórmula 1 pode implicar em diversas consequências, chegando, até mesmo, em uma possível necessidade de adaptação no comportamento do piloto que fez a troca. E foi o que aconteceu com George Russell, na visão do seu amigo pessoal, Lando Norris

Até aqui em 2022, Russell conquistou três terceiros lugares com a Mercedes, sendo a corrida em casa a única na qual não conseguiu finalizar e já soma 128 pontos, 19 a mais que seu companheiro de equipe, Lewis Hamilton.

Leia também:

Norris diz que Russell precisou ter uma abordagem mais séria em comparação aos seus três anos com a Williams, onde ele era visto como o azarão e o ambiente tinha menos pressão.

"Eu acho que era impressionante antes, mas o trabalho que ele faz diante de Lewis e ir para uma grande equipe [onde] há mais pressão, mais nervos, acho que ele viveu essa parte muito bem", disse o piloto da McLaren.

" Ele tem sido bem consistente e tudo mais. Então, foi impressionante ver mais esse lado, como ele está sempre lá, praticamente, menos em Silverstone, que foi o pior fim de semana que ele já teve. 

"Eu acho que é mais as pessoas mudando apenas por conta da pressão e dos nervos de estar na F1, estar em equipes diferentes e o ambiente em que você está inserido, acho que é isso o que afeta as pessoas.

"Não é por uma boa ou má razão. Mas, eu acho que você se sente mais livre quando você, vamos dizer, está em uma equipe que luta e se sai bem, você sempre sente como se fosse "eu estou no topo" e você quer se parecer com esse cara, de alguma forma.

George Russell, Mercedes W13, Lando Norris, McLaren MCL36

George Russell, Mercedes W13, Lando Norris, McLaren MCL36

Photo by: Zak Mauger / Motorsport Images

"E quando você vai para uma equipe maior, você nunca quer sentir que as pessoas conseguem ver que você cometeu erros, portanto, você sente que precisa agir um pouco mais direto, mais adequado e não quer mais fazer piadas por aí e coisas do tipo.

"Então, não é, propriamente, uma pessoa mudando, mas apenas por conta do ambiente que você está envolvido, isso pode afetar a forma como as pessoas se comportam e são retratadas nas câmeras e na TV."

Norris concordo que a situação é semelhante a sua experiência na McLaren, onde ele precisou fazer um esforço consciente para ter uma abordagem mais séria no seu segundo ano com a equipe, em 2020.

"Exato, a mesma coisa. De certa forma, um pouco diferente porque eu acho que foi mais por minha escolha.

"Eu sou o cara que fui em 2019, mas eu sinto que fui retratado de uma maneira muito ruim por agir assim. Então, foi mais uma escolha minha, mas também entrando na F1...Eu, provavelmente, era mais assim na F2 e F3, mas de repente todas as câmeras estão em você, então você quer ter certeza que está agindo de forma correta."

 

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #186 – Vitória da Ferrari na casa da Red Bull é marco para recuperação no campeonato?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Aos 79 anos, Marko não pensa em se aposentar da Red Bull e da F1: "Enquanto não for demitido"
Próximo artigo F1: Vettel guiará Aston Martin de 1922 na França em celebração aos 100 anos da marca no automobilismo

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil