F1: Revelação de Bernie sobre favorecimento a Piquet contra Reutemann em 1981 gera revolta na Argentina

Depoimento de Ecclestone em docusérie sobre o ex-chefão da categoria foi repercutida pelos principais veículos de mídia do país; saiba mais

Nelson Piquet, Brabham and Bernie Ecclestone

Uma fala de Bernie Ecclestone, antigo chefão da Fórmula 1 e comandante da Brabham na categoria máxima do automobilismo mundial, tem gerado revolta nos fãs argentinos de esporte a motor nos últimos dias. Isso porque o britânico revelou "uma discussão financeira" para favorecer o brasileiro Nelson Piquet contra o 'hermano' Carlos Reutemann, da Williams, na última e decisiva etapa da temporada 1981, disputada no forte calor de Las Vegas, nos Estados Unidos, em outubro.

O editor recomenda:

“Tinha muita força G pelo jeito que as curvas foram colocadas [no sentido anti-horário]. E, depois do primeiro dia de testes, ficou claro que os pilotos teriam dores no pescoço. Carlos conseguiu falar com um massagista nos boxes, fui ver esta pessoa e, após uma discussão financeira, eles decidiram favorecer Nelson. Não sei se já contei a Carlos”, disse Bernie em depoimento à docusérie ‘Lucky!’, disponível no Brasil no serviço de streaming Star+. Piquet era piloto de Ecclestone na Brabham.

Race winner Carlos Reutemann, Williams (Left) with a muted celebration on the podium with third placed Riccardo Patrese, Arrows (Right). Carlos failed to observe team orders given during the race to let his second placed team mate Alan Jones past. Jones refused to appear on the podium as a result.

Race winner Carlos Reutemann, Williams (Left) with a muted celebration on the podium with third placed Riccardo Patrese, Arrows (Right). Carlos failed to observe team orders given during the race to let his second placed team mate Alan Jones past. Jones refused to appear on the podium as a result.

Photo by: David Phipps

O brasileiro e Reutemann chegaram ao GP de Caesars Palace separados por somente um ponto, com vantagem para o argentino. O piloto da Williams conseguiu a pole position, mas terminou a prova em oitavo, três postos atrás de Nelson, que foi quinto e deixou seu veículo exausto para celebrar os pontos que garantiram a conquista do primeiro de seus três títulos mundiais na F1. Aliás, os dois primeiros foram com a Brabham, sob comando de Ecclestone, que também era chefão da FOCA.

A sigla, em inglês, significa Associação de Construtores da F1, cujo grande ato foi a negociação dos direitos de transmissão da categoria, o que contribuiu para a popularização do esporte e consolidou Bernie como 'homem-forte' da F1. Carlos se aposentou em 1982 e Piquet foi campeão em 83 e 87.

Revolta na Argentina

A revelação de Ecclestone gerou a ira dos fãs argentinos de F1 nos últimos dias, com alguns dos principais veículos de mídia do país, como Clarín, Olé e Página 12, repercutindo o depoimento do ex-chefão da F1. Nas redes sociais, perfis especializados e entusiastas hermanos se revoltaram.

Como a Red Bull-Ford impacta Honda, Porsche e toda a F1; veja debate

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast: novo chefe da Ferrari erra ou acerta nos primeiros atos?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Podcast #216 - Com 'boom' de montadoras, F1 vive melhor fase da história?
Próximo artigo ANÁLISE: Por que era a hora certa para o retorno da Ford à F1 com a Red Bull

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil