F1: Russell cobra "mente aberta" de pilotos e direção de prova e aponta necessidade de evolução do regulamento

Piloto da Mercedes e presidente da GPDA acredita que problema precisa ser tratado na raiz

George Russell, Mercedes-AMG

Se enganou quem pensou que com a saída do ex-diretor de prova, Michael Masi, a situação na Fórmula 1 ficaria mais tranquila em termos de aplicação e interpretação do regulamento durante as corridas. Com um rodízio acontecendo entre Niels Wittch e Eduardo Freitas, os pilotos estão frustrados, a cada etapa, com a falta de coerência na hora da aplicação das regras do esporte, e para o presidente da Associação de Pilotos, George Russell, é o momento de todos os envolvidos começarem a ter "a mente aberta".

A polêmica mais recente com os diretores de prova aconteceu no GP da Áustria há duas semanas. Mais de 40 voltas foram deletadas durante a corrida por conta da delimitação dos limites de pista - a linha branca do traçado, que é praticamente impossível dos pilotos sentirem quando estão dentro do carro a mais de 300km/h. 

Leia também:

Na visão de Russell, se a abordagem daqui para frente for a de seguir o padrão adotado no Red Bull Ring, a situação continuará complicada, uma vez que os regulamentos não andam de acordo com os novos modelos de carros apresentados em 2022. 

"Acho que é um trabalho muito difícil o do diretor de corrida. E, em última análise, ele deve policiar as regras. Agora, as regras e os regulamentos estão corretos para essas especificações atuais de carros? Tudo precisa evoluir," analisou.

"Você tem que ir na raiz do problema e para mim, são os circuitos. Você não pode ter pilotos correndo soltos e fazendo o que eles querem, mas você consegue sentir uma linha branca? Então, sim, eu não sei o que o futuro reserva. Vai ser outro difícil fim de semana de corrida", disparou.

George Russell, Mercedes-AMG

George Russell, Mercedes-AMG

Photo by: Steve Etherington / Motorsport Images

No geral, a sensação entre os pilotos é de que os diretores de prova fazem o esperado, mas ponderam que existem formas de melhorar, em conjunto, a abordagem e a comunicação como um todo sobre o que está sendo penalizado, o que está sendo julgado e como a regra está sendo aplicada em determinado caso.

"Estão fazendo um bom trabalho em cumprir a regra ao pé da letra, mas precisamos de um pouco mais de mente aberta entre todos nós, não apenas o diretor de corrida, precisamos trabalhar juntos nisso. Precisamos evoluir esse conjunto de regras e regulamentos", ponderou Russell.

"Só porque há um regulamento, não significa que seja o regulamento certo. A corrida é um esporte muito dinâmico, você só precisa...Não quero dizer olhar caso a caso, mas não é tão simples quanto: "é só olhar no regulamento". É nisso que vamos nos ater," concluiu.

 

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #187 – Marko está certo ao colocar Verstappen como “a maior história de sucesso da Red Bull”?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Verstappen não descarta novos problemas da Red Bull na França
Próximo artigo F1: Ferrari traz novo assoalho para GP da França

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil