F1: Vergne critica Red Bull e Marko por dispensa da Toro Rosso em 2014

Francês tinha melhores resultados que Kvyat no ano, mas viu o russo ser a preferência na equipe principal e perdeu espaço para Verstappen na coirmã

F1: Vergne critica Red Bull e Marko por dispensa da Toro Rosso em 2014
Carregar reprodutor de áudio

Jean-Éric Vergne, que correu na Fórmula 1 com a Toro Rosso entre 2012 e 2014, fez críticas à Red Bull e seu conselheiro Helmut Marko pela forma com que conduziram sua estadia na equipe. Em entrevista ao podcast Beyond The Grid, o francês relembrou o momento que foi dispensado e como perdeu seus lugares para Max Verstappen e Daniil Kvyat.

Segundo ele, a escuderia não agiu da maneira como "geralmente faz" ao colocarem na época um jovem holandês em seu lugar e promover o russo para o time principal, mesmo que esse tivesse resultados piores que o dele na temporada anterior. O piloto também fez autocríticas à sua própria postura de não procurar outro lugar para correr.

Leia também:

"No meio do ano [2014], fui chamado e me falaram que seria trocado por alguém mais novo e eu sabia que era Verstappen", relembrou Vergne. "Não havia mais espaço na Red Bull, é assim que o jogo funciona. Não falei com outras equipes porque eu pertencia à 'família', talvez tenha sido um erro da minha parte."

"Estava na Toro Rosso para ir à principal um dia. Depois de três anos, Marko disse que tudo acabaria no fim daquele campeonato. Fiquei feliz por ele ter me falado tão cedo, mas ao mesmo tempo o anúncio precoce foi o grande problema. Se [Sebastian] Vettel decidisse ir para a Ferrari, pegaria mal me chamarem para a RBR. Logo depois, anunciaram Kvyat lá sem falarem nada comigo."

Na temporada de 2014, uma antes da estreia do russo pela equipe austríaca, Vergne o superou por uma diferença de 14 pontos, o que foi significativo dado o desempenho da STR no ano, onde a equipe fez 30 no total: 22 do francês e 8 de Kvyat. No entanto, ele se viu fora tanto da escuderia principal como também da coirmã ao perder espaço para outro jovem.

"Ainda havia mais um talento promissor, que era Carlos Sainz. Foi um pouco complicado para mim", destacou. "Queria que Helmut tivesse conduzido da maneira que geralmente faz e esperado até a última corrida, pois eu estava em melhor posição que o Kvyat."

F1 DEBATE: Com 12 pontos à frente, VERSTAPPEN pode começar a COMEMORAR se vencer no MÉXICO e BRASIL?

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #141 – É o fim da linha para Mercedes e Hamilton após GP dos EUA?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Ferrari já não tem mais desvantagem "significativa" em relação aos motores Mercedes
Artigo anterior

F1: Ferrari já não tem mais desvantagem "significativa" em relação aos motores Mercedes

Próximo artigo

F1: Alonso quer respostas sobre mau desempenho da Alpine no GP dos Estados Unidos

F1: Alonso quer respostas sobre mau desempenho da Alpine no GP dos Estados Unidos