F1: Vettel e Alonso culpam carros e pneus atuais pela incapacidade de correr na chuva

Campeões afirmam que os atuais níveis de downforce e pneus mais largos são as principais causas dos problemas de visibilidade em chuva

F1: Vettel e Alonso culpam carros e pneus atuais pela incapacidade de correr na chuva

Com a Fórmula 1 ainda analisando exatamente o que deu errado no GP da Bélgica no último fim de semana, houve algumas comparações de como a categoria conseguiu realizar eventos no passado em condições ainda piores.

Uma das corridas pista molhada mais difíceis foi o GP do Japão de 2007 em Fuji, que aconteceu sob uma chuva terrível.

Leia também:

No entanto, apesar de 19 voltas atrás do safety car, a corrida finalmente continuou e chegou à bandeira quadriculada, apesar de alguns incidentes, incluindo a famosa batida entre Mark Webber e Sebastian Vettel.

Comparando o evento de 2007 com o do último fim de semana, Vettel negou que a F1 tenha se tornado obcecada demais por segurança e não estivesse mais disposta a correr riscos como antes.

Em vez disso, ele diz que a evolução da aerodinâmica e dos pneus resultou em carros lançando muito mais spray no molhado do que no passado. E foi a consequência da pouca visibilidade que, em última análise, fez com que o GP da Bélgica não pudesse ocorrer.

"Acho que o apetite pelo risco é o mesmo", explicou Vettel. "Acho que estamos felizes em correr com segurança. Os carros mudaram. Acho que há significativamente mais downforce, parece que sugamos mais água do solo.”

"E então os pneus também mudaram. Acho que os pneus de chuva extrema que tínhamos, lembro-me daqueles dias tornaram mais fácil para nós correr em condições muito, muito molhadas com muita água na pista."

Fernando Alonso concordou com Vettel e avaliou que a geração atual da borracha para clima úmido da Pirelli tem características muito diferentes daquelas usadas no passado.

“Os pneus são a maior coisa que mudou ao longo dos anos", disse o espanhol. “Eu acho que os carros, por qualquer motivo, ou as novas regras aerodinâmicas, têm mais spray quando você está correndo atrás, e nossos pneus são mais largos agora do que eram em 2007.”

“Provavelmente os pneus de chuva extrema eram um pouco mais fortes naquela época. Talvez o tamanho do pneu estivesse ajudando na aquaplanagem.”

“Além disso, tem a natureza do circuito. Acho que Spa estando naquela alta velocidade, com essas retas longas, o spray estava lá por muito tempo.”

“Portanto, acho que as condições não eram adequadas para a corrida. Era apenas uma questão de tempo que um grande acidente pudesse acontecer. E acho que a FIA queria evitar isso. Essa foi a decisão certa.”

"Dar os pontos, isso é uma coisa diferente. Eu discordo totalmente disso. Mas as condições para não competir, eu concordo totalmente."

Colaborou: Luke Smith

F1 em Spa: HIPOCRISIA dos PONTOS, MOTIVOS para a NÃO-corrida, PISTOLADA de pilotos, TAPETÃO e causos

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: GP da Bélgica foi o maior fiasco da história da F1?

 

.

 

compartilhar
comentários
DIRETO DO PADDOCK: Verstappen provoca Hamilton; as polêmicas pré-GP da Holanda de F1
Artigo anterior

DIRETO DO PADDOCK: Verstappen provoca Hamilton; as polêmicas pré-GP da Holanda de F1

Próximo artigo

Podcast #129 - TELEMETRIA: Tudo sobre o GP da Holanda com Rico Penteado

Podcast #129 - TELEMETRIA: Tudo sobre o GP da Holanda com Rico Penteado
Carregar comentários