F1: Grosjean pedirá teste privado caso não possa correr em Abu Dhabi

Enquanto se recupera das lesões após acidente no GP do Bahrein, francês indicou que pedirá um teste privado se não puder participar de última corrida do ano

F1: Grosjean pedirá teste privado caso não possa correr em Abu Dhabi
Carregar reprodutor de áudio

Após o grande acidente no GP do Bahrain, Romain Grosjean vem em fase de recuperação. Ferido nas mãos e no pé esquerdo, o francês está em uma corrida contra o tempo para tentar participar do GP de Abu Dhabi, última etapa da temporada de 2020 e a de sua carreira, já que aos 34 anos, ele não renovou com a Haas para 2021.

Seu retorno ao paddock de Sakhir na noite de quinta-feira, onde pôde se encontrar com a equipe médica, comissários e bombeiros do circuito, incluindo os dois que foram os primeiros a intervir na área do acidente, foi igualmente feliz em vê-lo vivo e já ansioso por estar presente apenas para observar que sua condição ainda é, por enquanto, insuficiente para vê-lo voltar a assumir o volante. Para este fim de semana, ele está sendo substituído por Pietro Fittipaldi.

Leia também:

Porém, ele quer voltar ao seu assento na F1. E se isso não for possível para a prova em Yas Marina, ele está pronto para pedir a cada equipe a possibilidade de fazer um pequeno teste privado.

"Os médicos dizem que é difícil saber nesse momento" , disse ele nesta sexta-feira durante uma videoconferência em resposta à pergunta sobre sua disponibilidade no próximo fim de semana.”

"A mão direita vai ficar 100% pronta. A força e a mobilidade da mão esquerda vão melhorando a cada dia. A força está aí. Ainda tem muito inchaço por conta da inflamação. A mão direita está mais forte."

"Estou feliz, mas a dor nos últimos dois dias tem sido forte. Sou bastante resistente à dor. Quebrei a mão direita no início deste ano quando caí na cozinha, não disse nada a ninguém, mas foi uma fratura exposta, dois ossos que eu coloquei de volta sozinho, e fui para o hospital, e a dor era normal, então eu sou muito resistente a um pouco de dor.”

“Não vou arriscar perder a mobilidade do dedo indicador esquerdo e do polegar esquerdo pelo resto da vida, só para ir a Abu Dhabi. Seria uma grande história poder ir a Abu Dhabi. Se isso não acontecer, vou ligar para todas as equipes de F1 para ver se alguém estaria disposto a me oferecer um teste privado em janeiro, para voltar ao carro e fazer de 10 a 15 voltas para mim."

Ele também não descarta a possibilidade de jogar de ser um substituto de luxo em 2021: "Terei uma superlicença em 2021, e vimos que ninguém está imune à Covid-19. Veremos."

Russell vs Bottas, possível estreia de Schumi em 2020, comoção da ‘volta’ de Grosjean e Pietro no GP

PODCAST: O 'milagre' Grosjean e o que Pietro Fittipaldi pode fazer em estreia na F1

 

compartilhar
comentários
SEXTA-LIVRE: O brilho de Russell e os destaques do dia de atividades pré-GP de Sakhir de Fórmula 1
Artigo anterior

SEXTA-LIVRE: O brilho de Russell e os destaques do dia de atividades pré-GP de Sakhir de Fórmula 1

Próximo artigo

F1: Russell volta a bater Verstappen e lidera o dia em Sakhir; Pietro é 18º

F1: Russell volta a bater Verstappen e lidera o dia em Sakhir; Pietro é 18º
Carregar comentários