Últimas notícias

Horner: Não haverá troca de pilotos nas equipes de ponta em 2020

Chefe de equipe da Red Bull acredita que Ferrari, Mercedes e Red Bull manterão suas suplas para a próxima temporada

Max Verstappen, Red Bull Racing, Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1, Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1, Sebastian Vettel, Ferrari, and Charles Leclerc, Ferrari, line up with the grid kids for the national anthem prior to the start

O chefe de equipe da Red Bull, Christian Horner, acredita que não haverá novidades nas duplas de pilotos dos três times de ponta para a temporada 2020 da Fórmula 1. Enquanto os rumores tomam conta do paddock e dos meios de comunicação, os protagonistas seguem negando qualquer movimento (veja abaixo galeria que mostra cenário completo do mercado de pilotos).

Leia também:

Se a Ferrari foi a primeira a afirmar que manterá seus pilotos para 2020 (Sebastian Vettel e Charles Leclerc), a Red Bull agora também sugere que não mudará a dupla do ano que vem. Max Verstappen é a estrela do projeto da equipe austríaca, e a equipe continua apostando em Pierre Gasly, apesar do mau rendimento que mostrou até o momento.

Na Ferrari, se Vettel deixar a escuderia de Maranello, há quem acredite que o alemão poderia voltar para a Red Bull, time pelo qual venceu seus quatro títulos mundiais. Porém, a equipe negou a possibilidade.

Em uma entrevista para a BBC, Horner disse: "Tenho escutado rumores de que Sebastian voltará para a Red Bull, porém não há nenhuma negociação ou conversa sobre seu regresso. Ele tem um contrato com a Ferrari até o fim de 2020.”

Além disso, Horner considera que nenhuma das três equipes farão mudanças, mesmo com o fim do contrato de Bottas no fim da temporada. “Em minha opinião, as três melhores equipes não mudarão seus pilotos até o final de 2020, no mínimo”, disse o chefe da Red Bull.

O destino de Gasly segue sem confirmação, mas até o momento, a equipe de Milton Keynes vem tentando demonstrar confiança no jovem. “Ele chegou a nosso time muito antes do planejado”, disse Horner sobre o piloto que foi promovido para a equipe principal da marca menos de um ano após estrear na F1.

“Alguns incidentes na pré-temporada afetaram sua confiança, e ele tem o companheiro de equipe mais forte do mundo. Seu rendimento foi pior do que deveria ter sido nas primeiras corridas. Mas nós conhecemos Gasly há muito tempo e sabemos de seu potencial. Por isso, nós o apoiamos ao máximo e queremos ajudá-lo a superar este momento”.

Veja como está o mercado de pilotos para 2020 até o momento:

Estes são os pilotos que começaram a temporada 2019.
O atual campeão tem vaga garantida na Mercedes para 2020. Buscando bater os recordes de Schumacher, deve permanecer com as flechas de prata, formando o conjunto mais forte do grid: melhor piloto no melhor carro.
O contrato de Bottas é renovado ano a ano e a equipe segue afirmando que para manter a vaga, o finlandês que é vice-líder do campeonato precisa manter um alto rendimento.
Quem pode substituir Bottas, é o pupilo da Mercedes que está sem vaga desde o fim de 2018, Esteban Ocon.
Ocon também tem boa relação com a Renault e o chefe de equipe da Mercedes, Toto Wolff, disse que pode fazer um empréstimo para os franceses em 2020.
O alto salário de Hulkenberg e de Ricciardo pode fazer os franceses optarem por substituir o alemão por Ocon.
Na Ferrari, Charles Leclerc tem um contrato de longo prazo. Considerado o futuro líder da equipe, tem assento garantido para 2020.
Vettel tem contrato com a Ferrari até o fim de 2020. Tanto o piloto quanto a equipe seguem repetindo que o casamento não acabará, mas o mau desempenho do alemão continua gerando rumores no Paddock.
Mas quem poderia substituir Vettel? Alguns rumores apontam para a volta de Fernando Alonso, mas o espanhol nega que queira voltar para a F1. Ao mesmo tempo, a Ferrari nega qualquer mudança em sua dupla.
Bottas afirmou recentemente que em uma eventual saída da Mercedes, seu objetivo seria pilotar pela Ferrari. Os italianos no entanto, não mencionam o nome do finlandês.
Verstappen também tem desejo de pilotar pelo time italiano no futuro. Mas neste momento, nem ele nem a equipe acreditam que seja o melhor.
Max Verstappen é o grande diamante da Red Bull que acredita que o holandês é o melhor piloto do mundo e espera fornecer-lhe um carro para ser campeão mundial.
O futuro de Gasly é menos claro. Com os maus resultados, se tornou alvo de vários rumores. O que pesa a favor do francês, é que a Red Bull não tem nenhum jovem piloto pronto para assumir a vaga neste momento.
Daniil Kvyat poderia assumir a vaga de Gasly, mas a Red Bull parece esperar para ver se o russo é capaz de manter grande forma na Toro Rosso.
Alex Albon parece ser a grande aposta para o futuro da Red Bull, mas a equipe está tomando o cuidado de dar tempo ao jovem para amadurecer na Toro Rosso antes de uma eventual promoção.
Patricio O’Ward foi levado pela Red Bull para a Super Fórmula Japonesa, a mesma tática que usou com Gasly no passado.
Na Haas, Kevin Magnussen parece ter um futuro mais sólido do que seu parceiro. Apesar de não brilhar, o dinamarquês tem sido responsável pelos resultados mais consistentes do time. Deve permanecer na equipe.
Romain Grosjean está decepcionando ano atrás ano. Apesar de bons resultados esporádicos, o piloto oscila demais e comete muitos erros. Deve deixar a equipe no fim do ano.
Pietro Fittipaldi é um forte candidato pela vaga de Grosjean. Além de ter bons resultados nas categorias de base, possui grandes patrocinadores. O que pesa contra o brasileiro é a falta da superlicença.
Hulkenberg seria um dos favoritos pela vaga da Haas, mas o alto salário do alemão pode ser um obstáculo para sua contratação.
Sergio Perez, conta com patrocinadores muitos fortes e seu custo é quase zero para quem conta com seus serviços. Seria a opção mais viável para a Haas e 2020.
Com a compra da equipe por seu pai, Lance Stroll parece ter futuro garantido na Racing Point para 2020.
Carlos Sainz Jr. já foi confirmado pela McLaren em 2020. O time assinou com o espanhol por dois anos no fim do ano passado e tem se mostrado satisfeita com os resultados do piloto.
O mesmo vale para Lando Norris, que tem mostrado talento e já foi cobiçado por equipes rivais. Confirmado para 2020, deve permanecer na McLaren por mais alguns anos.
A porta para o retorno de Alonso foi fechada para 2020, mas a equipe segue tendo um contrato com o Espanhol que atua como embaixador da marca.
George Russell tem feito o melhor que pode na Williams e deve buscar um novo carro para mostrar seu potencial no futuro. Mas a falta de oportunidades no grid pode fazê-lo permanecer onde está.
Robert Kubica retornou após muitos anos fora da categoria. Os resultados até o momento estão abaixo do esperado, mas o piloto aponta o carro da Williams como grande responsável pela má fase.
Nicholas Latifi que atualmente disputa o título da F2 poderia ser contratado pela Williams em 2020.
Kimi Raikkonen tem contrato com a Alfa Romeo até o fim de 2020. Tanto o piloto quanto a equipe estão satisfeitos com a parceria.
Antonio Giovinazzi deve permanecer na equipe se conseguir melhorar sua forma neste ano. O italiano teve um começo ruim mas continua contando com o apoio dos chefes do time.
Marcus Ericsson perdeu a vaga de titular neste ano e corre na Indy, mas continua sendo uma opção para o time em uma eventual saída de Giovinazzi.
Callum Ilott é protegido da Ferrari e poderia ser levado para a Alfa Romeo em 2020, mas seria uma aposta improvável neste momento.
32

También puedes leer:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Chefe da Mercedes: É melhor que Hamilton divida opiniões do que ele ser chato
Próximo artigo Norris: Carros da F2 exigem muito mais do físico do que os da F1

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil